Que jogo foi esse?

FALANDO DE FLAMENGO: Por Thiago Nascimento

Em um jogo que a torcida do Flamengo era no mínimo 95 por cento do público presente no Maracanã, o que se viu em campo foi um número elevado de chances de ataques que não resultaram em gols pela equipe Rubro Negra.

Quem viu o jogo na íntegra, com certeza discordará de mim. Afinal de contas, se levarmos  em consideração o contexto do jogo em sí durante os 90 minutos, teremos a certeza que a peleja foi horrorosa.

Para quem morre de amores por um futebol bem jogado, poderíamos tranquilamente definir o jogo de ontem com o seguinte adjetivo: brochante.

Vinicius Júnior, do Flamengo, se lamentando - Foto: Gilvan de Souza
Quem teve a coragem de assistir o jogo pelo PPV, teve que canalizar muita energia para assistir os 90 minutos desse famoso esporte bretão.

Confesso que gastei tanta energia para me manter ligado durante os 45 minutos iniciais, que durante o intervalo da partida, eu tirei um cochilo e só acordei quando o jogo já estava com decorridos 8 minutos do segundo tempo. Afinal de contas, não é fácil se manter acordado para assistir a um jogo tétrico como o de ontem.

Como produto, percebemos que cada vez mais, o Flamengo se consolida o como o principal Player da competição.

Embora, seja possível perceber que muitas questões basicas precisam ser melhoradas na gestão do Mais Querido, em campo, a disparidade técnica se consolida cada vez mais. Embora ainda falte muita raça em campo e a conquista dos mais variados títulos… esportivamente, a diferença técnica aumenta a cada edição do Cariocão. E o jogo de ontem, demonstra de forma cristalina esse fato. Chega a ser constrangedor.

Falando especificamente de campo e bola, as melhores chances passaram pelos pés de Paquetá e Vinicius Jr.

Com os dois jogadores demonstrando técnica e muita disposição, o Flamengo criou algumas boas oportunidades durante a partida. Ainda bem que esse ano, Zé Ricardo está dirigindo a equipe adversária. Pois se estivesse dirigindo o Flamengo, era bem capaz continuar não escalando esses e outros talentos que foram comandados por ele na base do Rubro Negro.

Voltando as atuações da talentosa dupla Paquetá-Vinicius Jr, me surge o seguinte questionamento:

– Será que os jogadores tidos como “os titulares do elenco” e que atuaram no jogo de ontem, não sentem vergonha de atuarem tal mal diante da torcida do Flamengo?  E além disso, será que não sentem vergonha de serem “engolidos tecnicamente” por essa dupla e também pelo os demais jovens que possam vir a serem incorporados no tal elenco principal? Será que os gestores do futebol profissional, não percebem que o custo-benefício desses tais “titulares”, não vale mais a pena?

Durante a coletiva, Carpegiani disse que precisa encontrar um susbtituto para o Cuellar. Se levarmos em consideração que o Rômulo já está no elenco desde o início do ano passado: é preocupante. Afinal de contas, se o planejamento do futebol foi feito, essas questões já não deveriam ter sido resolvidas?

De resto, continuamos líderes do Cariocão 2018 e cada vez mais distantes dos concorrentes do nosso grupo. Espero que continuemos assim.

Até porque:  Isso aqui é Flamengo!

Saudações RubroNegras!

Como produto, percebemos que cada vez mais, o Flamengo se consolida o como o principal Player da competição.



Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget