Flamengo oferece maior salário e luvas por Dourado que Corinthians

GLOBO ESPORTE: Futebol é dinâmico. O clichê ajuda - e muito - a entender as idas e vindas que levaram Henrique Dourado ao Flamengo. O anúncio é questão de tempo. Melhor, questão de uma assinatura: a de Pedro Abad para rescisão do atacante, que já tem a papelada redigida pelo Rubro-Negro. Capítulo final de uma novela que começou no Rio, foi a São Paulo, passou pela Turquia e por Udinese até ser concluída.

O Flamengo queria Love. Perdeu. O Corinthians queria Dourado. Perdeu. O Fluminense precisa de dinheiro. Ganhou. Basicamente, essa é a equação que leva o Ceifador à Gávea. Diante de um mercado escasso, o Rubro-Negro olhou para o vizinho, que não desejava a liberação, mas se viu sem alternativa com o recuo do Timão e a necessidade de fazer caixa. Assim - finalmente - as pontas se fecharam.

A proposta inicial

A primeira investida foi pouco depois da virada do ano. Após mapear o mercado em busca de um 9 para suprir a ausência de Guerrero, o Flamengo enviou uma proposta para o Fluminense para contar com o atacante. Naquele momento, o Tricolor já tinha em mãos a oferta do Corinthians.

Henrique Dourado no Fluminense - Foto: Nelson Perez
As duas foram consideradas similares, e o Fluminense deixou claro que não havia intenção alguma de negociar o único nome de peso que restava em seu elenco justo com o maior rival. Na época, Dourado também via de melhor tom não trocar as Laranjeiras pela Gávea.

Com a oferta recusada, Dourado então ficou próximo de um acerto com o Corinthians. O atual campeão brasileiro perdeu Jô para o futebol japonês e também precisava de um nome para a posição. Com a negativa, o Rubro-Negro passou a voltar seus esforços para repatriar Vágner Love.

Missão Love falha

A missão Love, no entanto, não foi bem sucedida. O Alanyaspor não aceitou a oferta do Flamengo e, posteriormente, negociou o atacante com o Besiktas, também do futebol turco. Com isso, o nome de Henrique Dourado voltou com força ao Flamengo.

O Ceifador, ainda nos Estados Unidos, local da pré-temporada tricolor, revelou o desejo de mudar de ares. Publicamente, em entrevista, e em conversa com o treinador. Abel, então, disse ter a intenção de tirá-lo do time. Se atuasse pelo Flu no Carioca, não poderia defender o Rubro-Negro na mesma competição.

O desfecho positivo iminente é fruto de uma junção de fatores

1. Sem Love e com a temporada em andamento, o Flamengo não enxergava muitas opções para resolver a questão. O mercado não oferece atualmente um leque de centroavantes e o mapeamento do clube não funcionou.

2. Além disso, o Rubro-Negro já estava tratando uma venda do atacante Felipe Vizeu. Ele assinará contrato com a Udinese por cinco anos, mas fica no Flamengo até junho. Guerrero pode ter a pena anulada em fevereiro, mas está suspenso até maio.

3. O Fluminense, por sua vez, via sua crise financeira sem precedentes atingir novos níveis, inclusive com bloqueio de receitas pela Justiça. O clube só aceitou vender o seu atacante justamente para o Flamengo porque somente o rival apresentou uma oferta oficial perto do valor da multa. O Tricolor deve receber 2 milhões de euros (R$ 7,8 milhões).

4. O clube das Laranjeiras ainda teve um trauma recente envolvendo um nome de peso de seu elenco. Gustavo Scarpa acionou o clube na Justiça e conseguiu o direito de assinar com o Palmeiras por conta de dívidas. Havia um temor nas Laranjeiras de que a história pudesse se repetir.

5. Para completar, o Corinthians, que era outro interessado no camisa 9 tricolor, recuou nas últimas semanas. O negócio ficou em suspenso dada a eleição presidencial do dia 3 de fevereiro. A situação deixou Dourado e seu staff em alerta.

Andamento do negócio

Empresário de Dourado veio ao Rio de Janeiro na semana passada para receber a oferta do Flamengo e, principalmente, conversar com o Fluminense.

O GloboEsporte.com noticiou a nova ofensiva rubro-negra na última quinta-feira. Horas antes, o Tricolor mantinha o discurso de que negociar seu atacante com o Flamengo estava fora de cogitação. Foi ao receber a proposta concreta do Rubro-Negro que o cenário modificou.

Os moldes

Os valores que serão pagos pelo atacante giram em torno de 3 milhões de euros (R$ 11,8 milhões) - divididos entre o rival das Laranjeiras, que vendeu seus 50%, e o Mirassol, dono do restante, mas que vai permanecer com 25% do centroavante.

Dourado ainda receberá salário, luvas e bonificações acima do que o proposto no começo do ano pelo Corinthians.

O Flamengo queria Love. Perdeu. O Corinthians queria Dourado. Perdeu. O Fluminense precisa de dinheiro. Ganhou.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget