No último encontro com River, Flamengo era recheado de craques

GLOBO ESPORTE: Grandes torcidas, popularidade, inúmeros craques e conquistas ao longo da história.... Flamengo e River Plate têm história para contar. Nesta quarta-feira, se reencontram pela Libertadores. Ao todo, foram 15 jogos, com ligeira vantagem para o time brasileiro: 7 vitórias, 2 empates e 6 derrotas. Mas você recorda o último encontro entre os dois? Caso não lembre, não se culpe. O jogo aconteceu há quase 18 anos. E merece ser recordado.

Contexto

Quase um terço dos confrontos na história entre Flamengo e River Plate ocorreu no segundo semestre de 2000 - quatro dos 15 jogos -, uma vez que os clubes estavam no mesmo grupo e depois se enfrentaram nas quartas de final da Mercosul. Não é difícil imaginar a rivalidade criada em campo no período.

Foto: AFP/FABIAN GREDILLAS
Turbinado pelo dinheiro da ISL - empresa suíça de marketing esportivo que injetou U$ 80 milhões no clube -, o Flamengo tinha um elenco recheado de estrelas. Dentro de campo, no entanto, salários atrasados e problemas de relacionamento minaram o ambiente e, consequentemente, o time. Mal na Copa João Havelange, a Mercosul de 2000 era a esperança de título. O momento era de crise, e o time chegou desacreditado a Buenos Aires, especialmente após a derrota no jogo de ida por 2 a 1, no Maracanã.

No Monumental de Nuñez, em 8 de novembro de 2000, um jogaço com sete gols – todos no segundo tempo (veja no vídeo acima). A vaga esteve nas mãos do Flamengo até o minuto final do tempo regulamentar. No fim, a derrota por 4 a 3 eliminou o Rubro-Negro e impediu uma semifinal carioca na Mercosul, contra o Vasco.

Gols e reviravoltas do jogão


Desfile de craques

Pelos nomes que estavam em campo poderia muito bem ser uma partida entre seleções brasileira e argentina. De um lado, o River tinha um verdadeiro esquadrão: o veterano Ortega e os jovens Saviola e Aimar eram os grandes destaques. Bonano, Berizzo, Hernán Diaz e o colombiano Yepes completavam a lista de selecionáveis.

No time rubro-negro não é preciso apresentações: Julio Cesar, Juan, Gamarra, Alex, Petkovic, Edilson, Denílson e Adriano eram protagonistas de um time milionário, que gerou muita expectativa, mas que ficou devendo, especialmente por conta dos problemas extracampo. No comando da constelação, Zagallo.

Depoimento de Juan

- Foram dois jogos muito difíceis. O River tinha um time muito forte, com Aimar, Ortega e Saviola. Jogadores que depois se tornaram referências no futebol mundial. Dominamos no Maracanã, mas levamos dois gols em contra-ataques. Em Buenos Aires foi um jogaço, estivemos três vezes à frente no placar. Eles empataram em uma cobrança de falta do Aimar e depois fizeram o quarto gol. Tínhamos um time forte, mas o Flamengo vivia um momento conturbado, com menos estrutura, e refletiu naquele grupo. Era um grupo muito talentoso, mas que não deu certo devido à organização. - Espero que a história seja diferente agora. Acho que serão dois jogos equilibrados e difíceis - recordou Juan, autor de dois gols nos confrontos das quartas de final. O zagueiro tinha 21 anos.

Imperador tem noite para esquecer

Ele ainda não era conhecido como Imperador e tinha apenas 18 anos. Adriano foi o vilão da eliminação em Buenos Aires. O atacante teve participação decisiva em três gols... do River. Primeiro, ao tentar afastar de cabeça, deixou na medida para Saviola. No terceiro, “ajeitou” para Cardet. Por fim, perdeu a bola no ataque que resultou no gol de Ortega.

A (quase) noite de Pet

Petkovic chegou ao Flamengo no início de 2000 e vivia grande fase. Com o time em baixa, o sérvio era um dos poucos aliviados pela torcida. Em Buenos Aires, por pouco não saiu como herói. Além das assistências para Edilson e Juan, o camisa 10 marcou um golaço de falta, aos 40 do segundo tempo, que seria o da classificação. Mas o River virou no fim.

Clima quente e troca de tapas

Logo após o gol de Petkovic, que colocava o Flamengo nas semifinais, o clima esquentou. Na confusão, Leandro Ávila e Berizzo foram expulsos. Em seguida, Maurinho e Aimar trocaram tapas, mas apenas o lateral brasileiro foi expulso. O que gerou muita reclamação. Com um a mais, o River virou o jogo em quatro minutos.

Ao todo, foram 15 jogos, com ligeira vantagem para o time brasileiro: 7 vitórias, 2 empates e 6 derrotas.



Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget