Segundo Atlético-MG, Flamengo emprestaria jogadores por Fred

A rescisão passou a ser discutida e formalizada quando o clube ficou ciente da possível transferência de Fred ao Flamengo.

GLOBO ESPORTE: No dia 18 de dezembro de 2017, Atlético-MG e Fred assinaram o termo de resilição contratual, que dava fim ao contrato existente entre as partes - que teria validade até o fim de 2018. O que mais chamou atenção no documento foi, claro, a imposição da multa de R$ 10 milhões em caso de transferência do jogador para o Cruzeiro - o que aconteceu e, claro, virou uma "novela". Outros detalhes, porém, foram registrados no documento, e o GloboEsporte.com apurou algumas outras informações em relação ao que foi acordado entre as partes.

A rescisão passou a ser discutida e formalizada quando o clube ficou ciente da possível transferência de Fred ao Flamengo, que tinha interesse no centroavante e já havia iniciado o processo de negociação com seus empresários - o clube mineiro receberia jogadores em troca. A situação com o clube carioca não foi para frente, mas Galo e Fred resolveram, ainda assim, dar prosseguimento à formalização da rescisão. Isso está explícito na notificação extrajudicial feita pelo Atlético-MG ao jogador no dia 17 de janeiro, que diz que "merece realce que os ajustes rescisórios iniciais ventilavam a transferência de V.S.ª ao Clube de Regatas do Flamengo, contexto em que o Atlético se beneficiaria, em contrapartida, com a vinda de outros atletas para o seu plantel. Referida proposta não foi adiante e, mesmo assim, concordou o Atlético com a antecipação do término do vínculo desportivo".

Foto: Pedro Vilela/Getty Images
No documento de rescisão, assinado no dia 18 de dezembro, Atlético-MG e Fred chegaram a um acordo em relação aos valores a serem recebidos pelo atacante, que ainda não tinha recebido o salário referente ao mês de novembro e, claro, tinha uma quantia a receber de acerto pela saída do clube. Conforme a reportagem apurou, para ser liberado, Fred abriu mão de parte do dinheiro e de parte das premiações - incluindo a de artilheiro do Brasileirão 2016. Os representantes do atleta, que também tinham valores de comissão a receber, também abriram mão. Segundo a apuração, o valor "cheio" chegaria quase ao dobro do valor que foi acertado.

Um outro detalhe: geralmente, os valores pagos pelo acerto de rescisão de contrato são depositados à vista. No caso de Fred, o acordo com o Atlético-MG foi para que houvesse um parcelamento do valor em 10 vezes. Não houve acréscimo de juros ou de multa em função do parcelamento.

O valor exato que o Atlético-MG ainda pagará a Fred - para quitar tudo o que deve ao jogador - é de R$ 1.969.932,00. Cada parcela, portanto, é de R$ 196.993,20. As parcelas terão vencimento em todo dia 10, e a primeira venceu no último sábado. A última, portanto, tem vencimento no dia 10 de novembro (veja o acordo no trecho do termo de resilição contratual anexado abaixo).

O acordo, claro, aliviou os cofres do Galo. O clube gastará menos de R$ 2 milhões de reais em 2018 com Fred. Caso não tivesse rescindido, gastaria cerca de R$ 16 milhões, visto que o salário do atleta no Alvinegro girava em torno de R$ 1 milhão mensal - e é necessário somar os valores de 13º salário e outros gastos.

Além disso, a diretoria atleticana ainda aguarda o pagamento dos R$ 10 milhões acertados em caso de transferência do jogador para o Cruzeiro. O clube cobra Fred na Câmara Nacional de Resolução de Disputas, na CBF. Enquanto isso, a Raposa aguarda a intimação para depositar o valor em juízo, já que a Justiça Comum de Belo Horizonte determinou que o pagamento seja destinado à WRV, credora do Atlético-MG. Para evitar a situação e garantir o recebimento direto dos R$ 10 milhões, o Galo negocia com a WRV - nesse caso, a empresa retiraria a cobrança na Justiça.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget