Vinicius Júnior se defende: "Fui comemorar com a minha torcida"

O DIA: Seja na sequência de dribles que deixou o zagueiro Kadu estirado no chão, na lambreta mal-sucedida, ambos os lances no último domingo, ou na comemoração à moda chororô, Vinicius Junior, do Flamengo, revela a sua irreverência. Aos 17 anos, o atacante joga com alegria, enquanto encara a marcação do politicamente correto, que fez o Botafogo vetar o Estádio Nilton Santos para a decisão de dois dias atrás e que, muitas vezes, desperta a fúria de jogadores mundo afora diante de dribles mais abusados.

"Está muito chato. Às vezes nem é para humilhar ninguém, é só para manter o futebol brasileiro. Neymar e Falcão sempre me falaram para nunca perder a alegria de jogar e sempre partir para cima dos adversários", afirma a jovem promessa, que segue à risca os ensinamentos de seus dois ídolos, especialistas na arte da finta.

Foto: André Mourão
A repercussão da comemoração do gol contra o Botafogo e a represália da diretoria alvinegra surpreenderam Vinicius Junior. Dono de um sorriso fácil, prefere pedalar e passar por cima do ocorrido.

"Fui comemorar com a minha torcida, não provoquei ninguém. Foi no calor do jogo, mas não fico vendo muito essas coisas. Bola para frente. Já passou, é pensar no próximo jogo", relembra o menino, que garante não se arrepender do episódio: "A alegria de jogar que tenho, e nas comemorações, eu não perderei nunca."

A velocidade que Vinicius Junior empresta ao time quando entra no segundo tempo só perde para a rapidez dos acontecimentos neste seu início de carreira. Antes mesmo de estrear pelo time profissional do Flamengo, o garoto acertou sua transferência para o Real Madrid, que aceitou pagar cerca de R$ 165 milhões pela joia.

Sem saber quando atravessará o Atlântico poderá se transferir a partir do dia 12 de julho, quando atingirá a maioridade , ele curte cada momento como se fosse o último. Diante da impossibilidade de driblar o tempo, sonha em deixar seu nome marcado na história do clube antes de receber o chamado dos espanhóis.

"Quero conquistar a Libertadores, o Brasileiro... Tudo que disputar quero ganhar e dar alegria para a nossa torcida", planeja Vinicius Junior.

Mesmo tendo decretado tão cedo sua independência financeira, o artilheiro do Rubro-Negro no Carioca não deixa a motivação de menino se transformar na acomodação que costuma desarmar talentos precocemente revelados. Sua motivação se alimenta de ambições esportivas, a exemplo de astros como Neymar, Messi e Cristiano Ronaldo.

"Quero chegar ao topo, na seleção brasileira, conseguir tudo que eu sonho desde pequeno. Fazer um gol no Maracanã pela Libertadores e tudo mais. São os maiores motivos de eu jogar, treinar todo dia e aproveitar a cada dia o futebol", projeta o camisa 20, que pretende se tornar, no futuro, o número um do planeta: "Todo mundo sonha em ser o melhor do mundo. É dar um passo de cada vez que um dia chego lá."

O título da Taça Guanabara dá brilho ao início da promissora carreira. Vinicius Junior, no entanto, como um zagueiro, dá de bico em qualquer sentimento de satisfação. O garoto quer sempre mais, embora, com habilidade, domine a ansiedade pela titularidade depois da vitória sobre o Boavista, em Cariacica, o técnico Paulo César Carpegiani disse que considera ter aproximadamente 15 titulares e colocou a jovem promessa no grupo.

"Fico muito tranquilo. Tem muito jogador de qualidade. Everton, Everton Ribeiro, Diego... São mais experientes e de alta qualidade. Todos da minha posição. Mas no momento certo que professor precisar, estarei disposto a ajudar o Flamengo."

O gol de Vinicius Junior sobre o Boavista transformou o estádio Kleber Andrade em baile de Carnaval. A torcida cantava "Mamãe eu quero", numa forma de provocar o rival Botafogo. Ficou, no entanto, uma dúvida no ar: afinal, a bola tocou mesmo no pé do atacante? Após rever o lance, ainda sem convicção, ele muda o disco, e a marchinha de carnaval dá lugar ao sertanejo universitário. O que importa é o que ficará escrito na história.

"Parece que resvalou um pouquinho. Até brincaram com a musica 'Foi de raspão, mas valeu' (risos)", diverte-se o candidato a ídolo, em alusão ao sucesso da dupla sertaneja Henrique e Diego.

Vinicius Junior, do Flamengo, revela a sua irreverência.



Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget