Interino do Flamengo, Barbieri já fez estágio com José Mourinho

O primeiro clube com mais pressão que Maurício teve a chance foi o Guarani, de Campinas.

LANCE: Estudioso, um cara de grupo e extremamente tático. Essa é a definição dada por quem já trabalhou com o jovem Maurício Barbieri. Aos 36 anos, ele chegou ao Flamengo para a comissão técnica permanente e tem tudo para se tornar o treinador. Pelo menos até o final da temporada, quando encerra o mandato de Eduardo Bandeira de Mello. Enquanto não consegue definir possíveis contratações de nomes como Cuca e Renato Gaúcho, que a princípio não receberam ofertas, Barbieri vai ganhando tempo e a confiança da diretoria e dos jogadores.

E forma de trabalho de Maurício Barbieri dá motivação para acreditar que o jovem pode se tornar um grande nome entre os treinadores no Brasil. E a chance no Rubro-Negro bate à sua porta. Contratado no dia 7 de janeiro para a comissão técnica permanente, foi um dos poucos que sobrou na limpa feita pela diretoria. E agora vai comandando as atividades, sempre com portões fechados. E dando a cara de sua equipe ao time. Seu primeiro desafio, será no sábado, no amistoso diante do Atlético-GO, em, Goiânia.

Marcelo Barbieri, do Flamengo - Foto: Gilvan de Souza
Jogador de Barbieri no Audax Rio, quando iniciou sua carreira no comando técnico, e por dois anos no Red Bull Brasil, clube que teve mais destaque, o ex-atleta do Flamengo Fabiano Eller contou um pouco do estilo que Barbieri pode colocar em prática e quem é o treinador.

- Apesar se ser novo já tem uma bagagem grande por ter passagem por bastantes clubes. Todos respeitamos muito ele. Treinador trabalhador, sem preguiça e muito estudioso do futebol e estratégias. Então acaba sendo estrategista. É um cara que quer sempre ganhar - afirmou Fabiano, que hoje mora no Espírito Santo e é pré-candidato a Deputado Federal.

- Ele chegou no Flamengo por competência própria. E não por ajuda de empresário. Isso posso afirmar - cravou Eller.

Barbieri esteve próximo de chegar ao clube há quatro anos atrás, por indicação de Carlos Noval, hoje diretor de futebol, mas que gerenciava a base rubro-negra. Não deu certo, porque o treinador ganhou uma oportunidade no profissional do Audax Rio, onde conhece Fabiano Eller. Jogador de grandes clubes e do Fla entre 2003 e 2004, ele tem um conselho.

- Por ser novo é preciso que deixem (a diretoria) ele fazer o trabalho sem pressão. Ele é competente e terá muito a agregar no clube. Não estariam dando uma oportunidade dessa no Flamengo, caso venha a ser efetivado mesmo, se o pessoal não soubesse o potencial dele. Confio no sucesso - completou.

PRIMEIRA GRANDE CHANCE NO GUARANI: ELOGIOS DO ATUAL TREINADOR

Apesar de ter feito bons trabalhos no Audax Rio, quando chegou à elite do futebol carioca e no Red Bull Brasil, alcançando às quartas de final do Campeonato Paulista e uma vaga na Série D do Brasileiro em 2015, o primeiro clube com mais pressão que Maurício teve a chance foi o Guarani, de Campinas. No Bugre, chegou em 2017, credenciado pelos bons trabalhos em clubes menores. Ao seu lado, Umberto Louzer era o auxiliar. Com Barbieri, ele garante que aprendeu muito. E agora comanda o profissional da equipe campineira, que nesta quarta-feira decide o acesso para a Série A1 do Paulista, diante do XV de Piracicaba.

- Ele é um profissional altamente capacitado, que busca se atualizar e me ensinou muito. É estudioso e tem muito conteúdo. Domina muito bem sua sessão de trabalho. Tem uma liderança muito positiva, apaixonado pelo que faz, vive intensamente o dia a dia do clube. Ele potencializa e sempre quer melhorar seus atletas - afirma Umberto, que esteve ao lado dele na disputa da Série A2 do Paulista do ano passado

ESTÁGIO COM JOSÉ MOURINHO E OS PRIMEIROS PASSOS

Formado em Educação Física na Universidade de São Paulo, fez estágio no Porto, campeão da Europa de 2004 sob o comando de José Mourinho. Lá, aprendeu a teoria que é tanto destacada por quem conviveu com Barbieri. Aos 22 anos chegou em Portugal e viu o Porto, do então hoje treinador do Manchester United, papar tudo. Até o Mundial de Clubes.

Apesar do maior tempo de estágio na base, Maurício viu de perto como o considerado uma dos melhores técnicos do mundo trabalhava. Pessoas mais próximas ao treinador, afirma que muito do que ele traça vem da escola do português. Teórico em muitos momentos, Barbieri estuda uma forma de colocar em prática as táticas que conheceu no mundo à fora.

Por ser muito estudioso, retornou ao Brasil e virou estagiário de preparação física no Audax Rio. Os dirigentes da época viram potencial e após sucessivas mudanças na comissão técnica, o efetivaram como treinador, chegando ao ápice em 2013, levando a modesta equipe para a Série A do Rio de Janeiro.

- Apesar de pouco tempo de convívio aprendi a respeitar e admirá-lo, da maneira como enxerga o futebol. Ele me deu a oportunidade de estar no Guarani onde pude trabalhar e estar com ele com muito conteúdo diário. Tem minha admiração e respeito. Merecedor de estar em um clube como o Flamengo e tem totais condições e capacidade - aposta o treinador do Guarani, que apesar de mais velho que Barbieri, vê no treinador uma inspiração.

CONFIANÇA COM OS JOGADORES

Treinador jovem e que fala a língua dos atletas. Essa é a visão também de Barbieri. Além de se inspirar em José Mourinho, Maurício gosta de conversar pessoalmente com cada atleta para passar informações do que precisa e do que espera.

Dentro do Flamengo, ele caiu nas graças de alguns atletas. Ele também é visto pela diretoria como um elo entre jogadores, comissão técnica e departamento de futebol. A possível chegada de Thiago Alves, como gerente de futebol, também pode criar uma boa proximidade com Maurício, devido a forma de trabalho do dirigente.



Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget