"Meu pai sonha em me ver jogando no Flamengo", revela Marinho

ESPORTE INTERATIVO: Em sua segunda temporada na China, atuando pelo Changchun Yatai, o atacante Marinho já se mostra plenamente adaptado. O que ele não sabia é que o início nos gramados do país asiático seria tão difícil. Tendo sido contratado por um técnico que acabou demitido pouco tempo após sua chegada, o brasileiro se viu surpreendido ao perder rapidamente seu status de estrela.

"Pensei que a adaptação seria mais fácil. Quando eu cheguei aqui, vivia uma fase muito boa da minha carreira. Até por isso cheguei jogando bem. Mas, em pouco tempo, a gente perdeu o treinador (o sul-coreano Lee Jang-Soo), que foi substituído por um técnico chinês. Como fui contratado a pedido do anterior, fiquei um pouco de lado nesse começo".

Marinho, do Changchun Yatai - Foto: Divulgação
Na reta final do último campeonato chinês, porém, o jogador voltou a se destacar em uma sequência de jogos.

"As coisas voltaram a fluir. Agora já estou bem adaptado, o técnico até pediu para eu ficar, então a expectativa para 2018 é muito boa".

A dificuldade de adaptação, no entanto, se restringiu apenas aos gramados. Até mesmo a exótica culinária chinesa já é encarada com muita naturalidade pelo alagoano.

"Não sofro, não. Se eu comesse só comida chinesa, talvez. Mas aqui tem muita coisa boa: arroz, frango, bife, peixe, dá pra comer tranquilo. Não muda muita coisa. Já provei muita comida diferente, mas não dá para passar um ano comendo só isso, não", revela o jogador, que descobriu a solução perfeita para essa questão. "Descobri um lugar que entrega carne brasileira em casa. Se você fizer comida e comprar carne, fica bem fácil."

Alvo de desejo de vários clubes do futebol brasileiro na última janela de transferências, Marinho também relembrou o exato momento em que se tornou conhecido pelos quatro cantos do país. Em ótima fase quando atuava pelo Ceará, em 2015, quis o destino que o atacante ganhasse projeção por um motivo inusitado: uma sincera e confusa entrevista pós-jogo.

"Tudo acontece na hora certa. Muita gente já me acompanhava antes, mas esse episódio me deu mesmo uma visibilidade muito grande. A repercussão do vídeo foi enorme. 'Pô, esse cara é engraçado'. 'Pô, esse é o cara da entrevista'. Eu vinha muito bem no Ceará, mas muita gente só descobriu quem era o Marinho depois dessa entrevista. Hoje, graças a Deus, as coisas foram acontecendo e todo mundo sabe quem é o Marinho pelo futebol alegre que eu jogo, não somente por uma referência de um vídeo engraçado", afirma o atacante de 27 anos.

Apesar de se sentir feliz na China, Marinho já tem planos sobre seu retorno ao futebol brasileiro. Sem estipular um prazo e se esquivando sobre eventuais preferências, o jogador deixou escapar a vontade de realizar um sonho de seu pai, Zé Carlos.

"É difícil eu falar especificamente em qual equipe eu desejo jogar no Brasil. Temos muitos clubes muito estruturados e o que sei é que quero atuar em equipes que briguem por títulos. Meu pai é flamenguista e tem o sonho de me ver jogando lá. Quem sabe eu não consiga realizar o sonho dele? Por enquanto, quero fazer um grande trabalho aqui na China, mas no ano que vem, ou no próximo, seria legal realizar esse sonho. Assim como eu também disse, uma vez, que seria ótimo ter uma oportunidade de jogar no Grêmio. Sei também que o São Paulo tentou me contratar e, se eu tivesse ido para lá, iria feliz da vida, porque é um baita clube."

O jogador deixou escapar a vontade de realizar um sonho de seu pai, Zé Carlos.



Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget