Riscos e sorte

Flamengo e Vasco estão no G-4, com quatro pontos. O Fluminense tem três. e o Botafogo ainda joga nesta segunda-feira.

GILMAR FERREIRA: E o Corinthians de Fábio Carille já é o líder isolado da Série A do Brasileiro, único a vencer seus dois jogos.

Flamengo e Vasco estão no G-4, com quatro pontos.

O Fluminense tem três. e o Botafogo ainda joga nesta segunda-feira.

Mas o que salta aos olhos é o jogo do Atlético-PR de Fernando Diniz, que nesta rodada mediu forças com o Grêmio de Renato Gaúcho.

Ótimo espetáculo de futebol na Arena Grêmio, com os dois times valorizando a posse de bola e pensando o jogo.

O 0 a 0 no placar foi cruel demais para uma partida em que a bola rolou por mais de 60 minutos, como pede a Fifa.

Uma pena...

FLUMINENSE 1 x 0 CRUZEIRO.

Funcionou a estratégia de Abel Braga diante de um Cruzeiro mais experiente e qualificado.

O 3-5-2 deixa o Fluminense bem competitivo, e isso já havia ficado claro mesmo nos 2 a 1 impostos pelo Corinthians em Itaquera.

Desta vez, com um jogador a menos desde os 14m, fechou-se na linha de cinco e encurtou espaços.

Deu campo e bola para os comandados de Mano Menezes e veio marcar cá atrás.

Apostou no que tem de melhor em termos ofensivos, que são as bolas altas e a saída em velocidade.

O goleiro Júlio César sofreu com a pressão cruzeirense, passou por momentos difíceis, mas deu certo!

A atuação do time tricolor surpreendeu a muitos, não a mim.

Se as atenções estiverem voltadas apenas para o Brasileiro, este time fará campanha sem sobressaltos.

CHAPECOENSE 1 x 1 VASCO.

Para um elenco reduzido, que sofre com baixas relevantes, o time de Zé Ricardo merece um louvor.

O Vasco fez sua sétima partida em 25 dias, cinco delas de caráter decisivo, a contar dos 3 a 2 sobre o Fluminense na semifinal do Estadual.

Média de uma a cada três dias e meio, fora deslocamentos para jogos em Belo Horizonte, Buenos Aires e Chapecó.

Portanto, fica nítida a intenção de segurar o jogo nos minutos iniciais, com aceleração nos minutos finais.

Auto-defesa para um conjunto reformado há pouco e sem peças de primeira linha.

Estratégia que quase voltou a dar certo.

Faltou sorte...

Dentro das limitações que possui, o Vasco de Zé Ricardo joga próximo do seu máximo.

Por isso fica difícil abrir mão deste ou daquele jogador, simplesmente porque o elenco não permite descartes.

Daí a insistência com alguns dos mais erráticos...

Jogadores do Flamengo comemorando gol - Foto: Gilvan de Souza
FLAMENGO 2 x 0 AMÉRICA-MG.

Os dois gols de Henrique Dourado aos 28 e 34 minutos do primeiro tempo vieram num momento em que o adversário ensaiava o controle do jogo.

Foi a sorte.

O América-MG achou espaços para jogar e criou as oportunidades que poderiam lhe valer a reação.

Júlio César, o homenageado, acabou tendo merecido protagonismo.

Mas o Flamengo de Barbieiri não foi o time que a torcida esperava ver.

Saiu com os três pontos, mas retraiu-se cedo demais na defesa da vantagem.

O jovem treinador pensou, provavelmente, em guardar energias para o jogo da Libertadores, contra o Santa Fé, na Colômbia.

Por isso sacou Vinícius Júnior _ embora não precisasse escolher Jonas, um volante, como substituto.

Correu riscos.

SPORT x BOTAFOGO.

Em tese, um jogo à feição do sistema que Alberto Valentim projetou para a partida de estreia contra o Palmeiras, no Nílton Santos.

O Botafogo ainda sem Moiséis e Luiz Fernando terá pela frente agora um adversário que põe cinco no meio, na tentativa de ter posse de bola.

Mas sem forte pegada.

Anselmo, Fellipe Bastos, Marlone, Gabriel e Andino.

O Sport perdeu para o América-MG (3 a 0) na abertura e Nelsinho Baptista vai colocar o time no ataque.

Bem como Valentim gosta.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget