Vamos levando

FALANDO DE FLAMENGO: Por Thiago Nascimento

Uma noite infeliz. Essa é a minha impressão sobre o jogo de ontem contra o time do Santa Fé, válido pela Copa Libertadores.

Uma partida que tinha tudo para reconectar a torcida do Flamengo com o atual elenco de futebol que enverga o Manto Rubro Negro dentro de campo. Afinal de contas… no dia anterior, a Nação Rubro Negra lotou o Maracanã e o coloriu de vermelho e preto com um único intuito: assistir um treino da equipe de futebol, na véspera de uma partida da Libertadores da América.

wallpaper lotado treino aberto
Torcida do Flamengo no Maracanã (wallpaper) - Foto: Robert Carraco
Embora continue não entendendo o objetivo de atrair a torcida para assistir a um treino aberto, se esse mesmo clube cobra o valor de R$ 180,00 (no mínimo) para que esse mesmo público, possa assistir esse mesmo elenco no próximo jogo da Libertadores no Rio de Janeiro.

Estratégia confusa de precificação de ingressos a parte… há de se reconhecer que mais uma vez, a torcida do Flamengo deu um show nas arquibancadas.

Como não se emocionar ao ver famílias com integrantes de faixas etárias diferentes, se divertindo no Maracanã?

Se financeiramente… as famílias que lá estavam, eram famílias ricas ou pobres, esse não é o cerne da questão. E sim que, é maravilhoso constatar que milhares de famílias brasileiras tenham o futebol como um produto cultural. E que ele (o futebol) ainda é um instrumento sócio-cultural muito importante dentro da nossa no sociedade brasileira.

E torço para que esse maravilhoso produto cultural, esteja sempre disponível e acessível para todos.

O único fato que há de se lamentar… é que essa torcida maravilhosa não merece esse futebol medíocre que o clube tem oferecido a Nação Rubro Negra nas últimas temporadas. E jogo de ontem contra o Santa Fé no Maracanã, é a prova incontestável desse argumento.

A sorte do time Rubro Negro, é que mesmo que o River Plate ganhe do Emelec hoje a noite, o Flamengo terá o mesmo número de pontos do time argentino. Ou seja, o Flamengo ainda terá três jogos para conseguir a classificação para a próxima fase da Libertadores.

Agora, vejamos se esse elenco que foi planejado e montado para a temporada de 2018, terá fome de bola e organização tática para conquistar esse objetivo.

Éverton Ribeiro no centro do campo
Fica evidente a evolução tática de tal jogador, quando ele atua centralizado no meio de campo.

Ainda assim… os diversos técnicos que comandaram o Flamengo nos últimos tempos… sempre o escalava aberto, no lado direito do meio campo.

Agora, por quê os técnicos faziam isso?

E outra? Por quê ele não propôs a esses treinadores, uma mudança do seu posicionamento dentro de campo?

E caso ele tenha proposto, por quê os treinadores não acataram a sua sugestão?

Todo e qualquer jogador (seja ele do clube que for) tem quê sugerir boas idéias táticas e de posicionamento para o seu técnico.

Caso o contrário, a culpa por má atuações… quase sempre respinga no próprio no jogador. E quase nunca, no técnico.

Diego
Não dá mais. Tem que ir para o banco de reservas. Urgentemente.

Até porquê… nenhum jogador é insubstituível.

3-5-2 já!!!
Acredito que todos já tenham percebido, que a zaga do Flamengo não possui a mobilidade e a velocidade que o futebol moderno exige.

E isso não tem nada haver com qualidade técnica, e sim, com uma constatação técnica.

Embora a nossa zaga seja comandada pelo craque Juan… se faz necessário que haja uma proteção à frente da zaga do Flamengo. Especialmente, contra times que possuem jogadores velozes em seu setor ofensivo.

Por isso, eu sugiro um 3-5-2 com um líbero jovem e rápido a frente da zaga.

E caso precise de dar o combate, o Réver pode sair para ajudar o líbero. E com isso, o Juan pode jogar sempre na “sobra”.

Até porque, com a técnica que o Juan tem… ele ganhará praticamente todas.

Laterais previsíveis
Apesar de atuarem mais recuados por conta do time atuar apenas com um volante, o time do Flamengo não possui o fator “surpresa” em suas laterais.

Quando o ataque não cria, geralmente os volantes são os responsáveis por desafogar o time na criação das jogadas.

Entretanto, por atuar apenas com um volante, o Flamengo têm em seus laterais, a responsabilidade para tal função.

Entretanto, como os laterais do Flamengo não são extremamente técnicos… na maioria das vezes, os laterais soltam a bola para o meio de campo. Afinal de contas, eles não são exímios dribladores para avançarem pelas laterais. E caso eles tentem algum drible e percam a bola, o seu lado do campo se tornará uma avenida para qualquer jogador adversário que esteja “caindo” do seu lado.

E com isso, o Flamengo se torna um time previsível. Pois nessas situações, basta o adversário “povoar” o meio de campo, afim de impedir qualquer ataque do Flamengo.

E naturalmente, esse tipo de situação implicará na saída de bola do Flamengo, fazendo com que a ligação direta da zaga para o ataque, seja uma atitude cada vez mais comum no time Rubro-Negro.

Detalhe: não precisa ser um exímio entendedor de tática para enxergar essa situação… basta apenas: assistir aos jogos do Flamengo.

Substituições – Alguém entendeu?
Sai Dourado e Éverton Ribeiro. Mas… Diego permance em campo.

Alguém tem alguma excelente explicação técnica e tática para essas substituições???

Vice-Presidência de Futebol: Haja trabalho.
Mesmo com o atual futebol moderno e profissional , os clubes de futebol em sua maioria, mantém em seus estatutos, a Vice-Presidência de Futebol.

Ao constatar tal cenário, penso que quem ocupa esse cargo, tem por obrigação, realizar as seguintes atividades: ser o responsável direto por contratações e dispensas de profissionais em seu departamento.

Além disso, tomando os clubes brasileiros como exemplo, esse profissional precisa acompanhar muito de perto, os campeonatos e jogos da Libertadores, Brasileirão, Copa do Brasil, etc… para que seja possível identificar bons jogadores e profissionais que podem compor o DP de futebol do seu clube.

E além dessas atividades, o VP de futebol também precisa buscar novas metodologias de trabalho de campo, invoar/melhorar processos administrativos e buscar parceiras científicas que possam melhorar a atuação dos esportistas que atuam dentro da sua pasta.

E não menos importante, ser o profissional que implemente e cobre a meritocracia de todos os profissionais do departamento de futebol.

Sim, a responsabilidade é enorme. Talvez seja um cargo tão desgastante quanto o cargo de presidente do clube.

Porém… quem aceita tal desafio, precisa estar ciente do tamanho do desafio que irá encontrar pela frente.

Além de muito trabalho, tal cargo exige uma disponibilidade de tempo enorme.

Talvez… até seja extremamente difícil para quem exerce esse tipo de cargo, conciliar tantas atividades da pasta, com a sua vida pessoal.

Porém, acredito que se no atual futebol profissional, um VP de futebol (seja ele do clube quem for) delegar 90% dessas atividades para um diretor executivo de futebol e para um Centro de Inteligência de Futebol (caso o clube tenha um), o cargo de VP de Futebol passa a ser um cargo meramente decorativo.

E na sua opinião de vocês: Quais são as responsabilidades de um VP de futebol?

A vitória e os títulos virão
Com certeza, o Flamengo conseguirá emplacar muitas vitórias e muitos títulos no futebol.

Afinal de contas, como diz o ditado popular: uma hora ganha. Só não sei quando.

Enquanto isso: vamos levando…
Abraços e até a próxima!

Com certeza, o Flamengo conseguirá emplacar muitas vitórias e muitos títulos no futebol.



Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget