Após barração, E. Ribeiro acirra briga no meio-campo do Flamengo

Com a lesão de Diego, Barbieri encaixou o setor criativo com o camisa 11 e Everton Ribeiro atuando na faixa central.

LANCE: Há duas semanas, diante do Santa Fe em Bogotá, Everton Ribeiro foi preterido por Maurício Barbieri, que optou por escalar Willian Arão e deixar o camisa 7 entre os reservas, alterando o sistema de jogo do Flamengo. Hoje, o interino tem uma "dor de cabeça boa" com a recuperação do bom futebol de Everton Ribeiro, um dos destaques nos triunfos sobre Ponte Preta e Internacional.

Lucas Paquetá também vive momento incontestável mo meio-campo do Fla. Com a lesão de Diego, Barbieri encaixou o setor criativo com o camisa 11 e Everton Ribeiro atuando na faixa central. No ano, os dois já ocuparam o lado direito do ataque. Nos últimos jogos, Geuvânio ficou ali, mas não convenceu.

A eficiência de Lucas Paquetá na saída de bola, sendo o principal responsável pela transição da defesa para o ataque, está constatada. Everton Ribeiro, por sua vez, teve participações decisivas. Iniciou o lance em que Henrique Dourado garantiu a vitória por 1 a 0 sobre a Macaca e fez um golaço contra o Colorado.

Como o Flamengo atuou nas últimas duas partidas na ausência de Diego:


Quando Diego estiver recuperado - a lesão no joelho direito deve tiá-lo do jogo contra a Ponte Preta, quinta-feira -, Maurício Barbieri terá que encaixar o meia. Uma possibilidade é escalá-lo mais próximo de Henrique Dourado, como foi na partida contra o Ceará, na convincente vitória no Castelão por 3 a 0.

Assim, o Flamengo mantém Lucas Paquetá ditando o ritmo do meio-campo, enquanto o camisa 10 atuará próximo à área, com mais chances de finalizar contra o gol adversário e dar passes decisivos para os atacantes.

Uma opção para Maurício Barbieri quando Diego estiver recuperado:



Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget