Saída de Juninho Pernambucano traz enorme alívio à Rede Globo

E tinha completa rejeição da torcida mais popular do Brasil, o Flamengo.

COSME RIMOLI: "O Renê (lateral esquerdo) é feio, é nordestino e não é amigo de ninguém. Essa é a realidade. O Brasil é preconceituoso. O brasileiro é preconceituoso. E a torcida da massa (do Flamengo) é preconceituosa.

"Isso não é coisa de profissional, jamais faria isso", em relação à comemoração de Vinicius Júnior, que marcou um gol contra o Botafogo e imitou o chororô, consagrado por Cuca, quando comandava os botaguenses.

"Pra que você traz o Mozer? Só para usá-lo. O Flamengo conseguiu mexer com o Zico quando foi diretor. O Zico... Conseguiram duvidar do Zico... Enquanto você não tiver comando, não quer dizer que não vai ganhar. Daqui a pouco você monta um time bacana e vai, vai ganhando confiança, vai no empurrão e ganha...

"Difícil é para Vasco, Fluminense e Botafogo, que não têm dinheiro. E estão tirando no trabalho a diferença. É isso que temos que reconhecer. Eles estão tirando no dia a dia, na dedicação, na organização. E o Flamengo que era pra fazer tudo isso, não... 'Eu sou o melhorzão, ninguém pode falar de mim'. E aí o que dá o resultado? Dá isso daí!"

Foto: Divulgação
No mesmo dia, 17 de fevereiro, um torcedor lembra no twitter que ele não faria o chororô, mas já fez gestos obscenos à torcida flamenguista, quando jogava no Vasco.

O comentarista desafiou o torcedor para um 'encontro' e ironizou o "homão corajoso da p... do twiiter"

Em seguida, recebeu inúmeras ofensas e ameaças. Inclusive de morte. Assustado, pediu para não comentar a partida entre Flamengo e Boavista pelo Campeonato Carioca.

"Matéria no sábado, o cara do UOL escreveu que os jogadores exigiram a troca de ônibus do Flamengo porque quicava. Mentira. Exige a troca porque ninguém quer sair com a bandeira do clube. Você é louco de sair com a bandeira e correr o risco de levar uma pedrada? Aí o cara irresponsavelmente, porque tem relação com o dirigente, setorista, vai e põe uma pilha dessa. Quem vê quer matar, Rizek. Os setoristas são muito piores hoje em dia. Eu sei que ganham mal, mas cada um tem o caráter que tem."

“Já vi isso também de olhar para você, um jogador que é profissional, não tem formação e ganha R$ 100 mil. Tem um cara que está ali, estudou quatro anos, fez de tudo para se formar jornalista, para ser setorista e ganha mal. Talvez ele leva isso em consideração. É difícil você ganhar R$ 3 mil ou R$ 4 mil em uma sociedade e se você não for um cara fera, tem que entrevistar um cara que ganha mais e que você considera ele um ninguém."

Durou de abril de 2014 até a sexta-feira, quatro de maio de 2018, a aventura de Juninho Pernambucano como comentarista da TV Globo, do Sportv e da rádio Globo AM. O ex-jogador da Seleção Brasileira, ídolo do Lyon e do Vasco, acabou sendo obrigado a se demitir. Foi a saída politicamente correta. Ele não tinha mais o menor ambiente nas emissoras cariocas.

Juninho Pernambucano era agressivo demais nos seus comentários. Destoava do grupo Globo. Era nítido que o desconforto estava cada vez maior, quando ele participava dos programas que duram horas falando de futebol.

O comando do esporte também não gostava que ele tornava públicas situações íntimas. Como não querer comentar um jogo importante por medo da torcida, que ele mesmo enfrentou no twitter.

Juninho não abria mão das suas redes sociais, um grande incômodo para a direção da emissora.

Principalmente por fazer questão de se posicionar politicamente.

E tinha completa rejeição da torcida mais popular do Brasil, o Flamengo.

É público que a gota d'água foi quando ele atacou os setoristas dos clubes. Os jornalistas que trabalham diariamente em uma equipe. Jogando no ar que eles têm 'relação' com o dirigente. São 'piores' hoje em dia. E disse que eles ganham mal. Além de questionar o caráter de cada repórter.

A reação foi pior do que possa parecer. A alta cúpula do Sportv ficou revoltada. Porque o site globoesporte tem cerca de 120 profissionais, a maioria deles setoristas. Fora os que trabalham nos clubes na Globo e no Sportv. Ele atingiu a todos esses profissionais.

O apresentador do programa Seleção, André Rizek, leu uma nota pública de repúdio à declaração do comentarista da emissora. Algo inédito, patético.


“O SporTV não concorda com a opinião e nem com a generalização. Há bons e maus profissionais. Temos mais de 30 setoristas trabalhando no grupo Globo e a eles toda a solidariedade."

Juninho Pernambucano passou a ser evitado pelos repórteres nos corredores da emissora. O ambiente estava insuportável. Aos poucos, foi ficando de lado. Apesar de estar escalado para ser um dos comentaristas da Copa do Mundo, o melhor para a emissora e para o ex-jogador é que não fosse para a Rússia.

A velha 'saída' dos 'problemas pessoais' foi alegada. E Juninho Pernambucano pediu rescisão na sexta-feira passada. A pouco mais de um mês do início da Copa do Mundo na Rússia.

Só acredita quem é ingênuo.

Juninho Pernambucano será substituído, a princípio, por Roger Flores, como comentarista da Globo. Só que ele já estava escalado, como apresentador do Sportv.

Galvão Bueno tem enorme amizade e apreço por Paulo Roberto Falcão.

Ele trabalhou 14 anos como comentarista na Globo.

Fracassou como treinador.

Está desempregado desde que trabalhou cinco partidas no Internacional, em 2016.

Não é segredo para ninguém na emissora que o narrador gostaria de ter novamente Falcão ao seu lado.

Há grande chance de isso acontecer.

Quanto a Juninho Pernambucano, segue com contatos importantes no futebol.

E não será surpresa se comentar a Copa por uma tevê francesa.

A verdade é transparente.

A saída do comentarista trouxe enorme alívio à emissora carioca...


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget