Simuladão

FALANDO DE FLAMENGO: Por Sorín

É hoje… É hoje… Mas não é hoje.

A Nação dormiu relativamente tranquila nessa última noite. Por competência (obrigatória), a vaga no mata-mata que rola no distante mês de agosto já está garantida.

Ano passado, no jogo da última rodada da fase de grupos, também na Argentina, foi aquela catástrofe que vocês bem lembram. Uma noite tão danosa que os jogadores passaram o resto do ano minimizando sobre ela pra justificar outras tantas tardes e noites não agradáveis na temporada.

Foto: Buda Mendes/Getty Images
Pra não dizer que não vale nada, seria bem interessante vencer e terminar em primeiro no grupo. Garantia zero de confronto mais fácil após o sorteio, mas aquela marota vantagem de poder decidir em casa nas oitavas.

O povo bem que podia usar um “se” mágico e fingir que o jogo vale mais que isso. Entrar em campo como se da vitória contra os hermanos dependesse nossa permanência na Liberta. Pra que? Pra testar. Pra comprovar. Pra ganhar confiança e principalmente passar um pouco disso pro resto do mundo (e pra Nação), que de forma justa ainda dirige pro time  um olhar de lado com algumas pulgas atrás da orelha.

Porque se o futebol for aquele mostrado (ou não) no Clássico de sábado contra um Vasco que apanha dia sim e outro também, todo mundo vai continuar não botando muita fé, mesmo sabendo que o tempo para treinar será infinito no período da parada pra Copa. Mesmo porque, cá entre nós, vamos ouvir falar muito em falta de ritmo de jogo por sei lá quanto tempo depois que a bola parar de rolar na Rússia.

E vamos nós pro embate sem… (tomando fôlego)… Diego, Juan, Réver e Geuvânio e, de brinde, com Dourado e Paquetá precisando de muita calma nessa hora porque estão pendurados nos cartões amarelos e podem virar desfalque para a primeira partida do mata-mata. A gente vê essa lista e lembra logo do Festival Rubro-negro da Insanidade promovido pelo Barbieri em Chapecó. Orem vocês que eu sou ateu.

Do lado de lá… Do lado de lá… O River não mandou muito bem no Argentinão. Por lá é finita la guerra, já que o país é adequado ao calendário europeu. Terminou acima da meiúca caudiquê tem time a balde na disputa (28). Após as 27 rodadas (13v 6e 8d) ficou apenas na oitava posição, “garantindo” vaga na Sul-Americana de 2019. Porém, na reta final não desafinou, foram 4v e 1e nos últimos cinco jogos (terminou em 12/05). O técnico Marcelo Gallardo não tem lesionados e/ou suspensos para o confronto.

Jogo em estádio “das antigas”, no qual o Flamengo bem que podia se espelhar quando chegar o ano 2095 e o nosso projeto sair do papel. O River programa uma reforma, não quer mudar as características, e ainda quer ampliar de 80 para 85 mil a capacidade.

O cenário é esse para a tranquila e envolta em curiosidade noite de Liberta. Haverá La Intensidad? Estamos preparados para os desafios do segundo semestre? Podemos chegar na Argentina e jogar de igual pra igual sem sentir a pressão local? Essas e outras Fla-respostas quando a bola rolar.

Bora torcer.

Isso aqui é Flamengo.

Jogo em estádio “das antigas”, no qual o Flamengo bem que podia se espelhar quando chegar o ano 2095 e o nosso projeto sair do papel.



Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget