Argentina toma chocolate da Croácia e se complica na Copa

GLOBO ESPORTE: A Argentina respira está por um fio de viver um de seus maiores vexames em Copas do Mundo. Melhor para Croácia, que aproveitou o nervosismo misturado com apatia do time de Lionel Messi para vencer com autoridade por 3 a 0 na nesta quinta-feira, em Nizhny Novgorod, e garantir classificação às oitavas de final pelo Grupo D. Beric abriu o placar em erro grosseiro de Caballero, Modric e Rakitic ampliaram. Sumido, Messi nada foi capaz de fazer e precisará fazer milagre para não deixar a Rússia mais cedo.

ERRO DESENHADO
Willy Caballero deixa Nizhny Novgorod como grande vilão pela derrota da Argentina. O que o goleiro não pode dizer é que não teve a chance de ser mais precavido com a bolas nos pés. Na estreia contra a Islândia, por pouco não entregou um gol ao tabelar errado com Rojo. No primeiro tempo contra os croatas, deu passe curto para Taglifico, que foi esperto e sofreu falta. No terceiro vacilo, não teve jeito. O toque para Mercado saiu todo errado, péssimo, e Rebic respondeu com um chutaço. Ex-Manchester City, o goleiro do Chelsea mostrou que não aprendeu nada com Guardiola.

Messi assustado em Argentina x Croácia - Foto: Clive Brunskill/Getty Images
CADÊ MESSI?
O craque esteve irreconhecível diante dos croatas. Mais avançado do que de costume, pouco foi notado em campo no primeiro tempo e deixou se abater pelo gol sofrido no início da etapa final. Cada vez que o telão do estádio mostrava o camisa 10, via-se um olhar perdido e incrédulo. Já no hino argentino, Messi demonstrava tensão e passava a mão no rosto, preocupado. Com a bola nos pés, fez muito pouco. Nenhuma finalização, apenas uma tentativa bloqueada, e cinco erros em 28 passes. Cometeu ainda duas faltas e sofreu três.

SITUAÇÃO DO GRUPO
A vitória garante a Croácia nas oitavas de final. Com seis pontos, os europeus lideram o Grupo D e encaram a Islândia, terça-feira, às 15h (de Brasília), em Rostov. Já a esperança da Argentina passa totalmente pelo confronto entre Nigéria e Islândia, nesta sexta, às 12h, em Volgogrado. Em caso de vitória da Nigéria, precisa bater os africanos em São Petersburgo e torcer por tropeço dos islandeses contra a Croácia. Em caso de vitória da Islândia, terá que secá-los por derrota contra a Croácia e tirar o saldo goleando a Nigéria. Se for empate, também terá que tirar o saldo em relação a Nigéria e esperar que os croatas vençam. Haja matemática!

PRIMEIRO TEMPO
Quarenta e cinco minutos marcados por tensão, lances ríspidos e chances desperdiçadas. Argentina e Croácia fizeram um primeiro tempo de alta intensidade. As alterações de Sampaoli surtiram efeito. Sua equipe tinha mais a bola, permanecia no campo de ataque, mas pecava em dois pontos: dava espaço nas laterais e Messi participava pouco da criação. E foi nesses vazios que os croatas levaram muito perigo em chute cruzado de Perisic, defendido por Caballero, e peixinho para fora de Mandzukic. Tudo pelo lado esquerdo de ataque.

GOL PERDIDO DE ENZO
A Argentina, por sua vez, conseguia ser mais vertical do que contra a Islândia. Acuña justificava a entrada no time e levava perigo. Foi pelo seu lado que saíram as duas jogadas mais perigosas: cruzamento que beijou o travessão e disputa de bola que sobrou para Enzo Perez, sem goleiro, chutar para fora. Messi, mais avançado que de costume, sequer finalizou em um primeiro que, de tão nervoso, pouco se ouviu da sempre empolgada torcida albiceleste.

SEGUNDO TEMPO
A Argentina voltou para o segundo tempo posicionada no campo de ataque. Messi apareceu em jogada onde chamou a marcação de três e tocou para Taglifico servir Agüero. A finalização parou em Subasic. Parecia um caminho para chegar com mais espaço ao ataque. Só parecia. Porque no lance seguinte, aos oito, Mercado recuou para Caballero, que tentou tocar de volta e errou tudo. Presentão que Rebic aproveitou sem pensar, de primeira. Golaço. O vacilo que já tinha se desenhado diante da Islândia transformou o goleiro em vilão.

GINGA CROATA
Bem armado e inteligente, a Croácia passou a fazer o que quis do jogo. Deixou a bola com a Argentina, se defendeu e apostou nos contra-ataques. O nervosismo dos sul-americanos virou desespero. A bola queimava. Nem Messi foi capaz de ajudar. Pelo contrário, o que viu-se foi um camisa 10 abatido e apagado. Sampaoli colocou Higuaín, Pavón e Dybala. Em vão. O brilho da camisa 10 na noite estava reservado para Modric. Ginga para cima de Otamendi, limpada para o lado e mais um golaço.

CABIA MAIS
Enquanto os argentinos sequer esboçavam reação, a Croácia se impunha sem fazer força. Rakitic acertou o travessão em linda cobrança de falta, mas não desistiu. No lance seguinte, já aos 46, puxou contra-ataque e chutou para defesa de Caballero. Kosavic ficou com o rebote e devolveu para o meia do Barcelona fechar o placar. A Croácia está nas oitavas de final. A Argentina respira por aparelhos.

Sumido, Messi nada foi capaz de fazer e precisará fazer milagre para não deixar a Rússia mais cedo.



Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget