"Cheguei ao Flamengo após dispensa no Fluminense", revela Thuler

ESPORTE INTERATIVO: Matheus Thuler é mais um daqueles jogadores que foram trabalhados para chegar ao time profissional do ​Flamengo. Chegou ao clube criança para jogar futsal, depois de ser rejeitado pelo rival Fluminense. Nesse período, o zagueiro, de 19 anos, cresceu e buscou o seu espaço aos poucos e hoje está no elenco profissional.

Antes de fazer o teste no Flamengo, Matheus Thuler foi dispensado pelo Fluminense. Com o "não" do Tricolor, o zagueiro fez teste no Rubro-Negro, aos oito anos, e foi aprovado. Em entrevista ao Esporte Interativo, o jogador contou a sua trajetória na Gávea.

"Eu cheguei ao Flamengo com oito anos após uma dispensa no Fluminense. Aí fiz um teste aqui no futsal e passei. E joguei futsal até 14 anos, aí conciliando com campo. Passei por todas as categorias e, graças a Deus, hoje estou no profissional".

Thuler e Everton Ribeiro no Flamengo - Foto: Gilvan de Souza
Antes de oportunidades com o técnico Mauricio Barbieri, Matheus Thuler ficou um longo período sem entrar em campo, apenas no banco de reservas e, em alguns momentos, não era sequer relacionado. O jovem, entretanto, não desanimou e procurou se preparar enquanto a chance não vinha.

"De maneira alguma (desanimado). Sempre animado e trabalhando. Eu sempre busquei o meu espaço. Procurei sempre dar o meu melhor para ficar preparado para as oportunidades. Eu buscava conversar com os mais experientes para ficar cada vez mais pronto".

Confira abaixo outros trechos da entrevista com o zagueiro Thuler:

Em nenhum momento pediu para ser emprestado para ganhar experiência e ter mais oportunidades?

"Não. Eu só pedia às vezes para descer e jogar nos juniores. Algumas vezes eu consegui descer e em outras, infelizmente, não dava, pois poderia comprometer o profissional. A final do Sub-20, a gente conversou, e eles (diretoria) liberaram".

A sua parceria fora de campo com Léo Duarte ajudou na hora que atuaram juntos?

"Com certeza. O Léo é muito meu amigo fora de campo. Ele me passou muita tranquilidade para jogar ao lado dele. As coisas, graças a Deus, foram acontecendo de uma forma muito boa".

Você tem a oportunidade de atuar com Juan, que é ídolo de muita gente da sua idade. Você conversa muito com ele?

"Juan é meu ídolo. Procuro aprender o máximo possível com ele, não só com ele, mas com os demais, para evoluir mais ainda. Eles já viveram tudo que estou passando e certamente podem me ajudar".

Como foi a sua reação ao saber que seria titular?

"Fiquei um pouco ansioso. Acho que é normal. Procurei trabalhar e focar durante a semana. Fiquei só ansioso mesmo. Nervoso, ainda bem, eu não fiquei (risos)".

Como foi o pós-jogo que você fez o seu primeiro gol entre os profissionais?

"Foi maravilhoso. Foi emocionante. Bom demais... Fiquei respondendo amigos. Muito feliz".

Guardou a camisa do jogo?

"Guardei. Está guardada (risos)".

Depois que você passou a jogar mais, os torcedores passaram a ter reconhecer?

"Sim. Eu tiro foto com todos. Tento dar atenção. Muito gratificante. Eu já fui do lado de lá e agora é ao contrário. Isso me deixa muito feliz".

O fato de o Flamengo buscar um zagueiro no mercado te desanima?

"Não. Não muda nada. Vou continuar trabalhando. Se vier alguém, vai vir para somar".

O Flamengo vai apresentar Fernando Uribe como novo reforço. Como foi o primeiro contato com o atacante colombiano?

"Não consegui conversar muito com ele. Ele chegou à tarde, desejei boa sorte e mais para frente vamos conversar mais".

Como é a sua relação com Barbieri, que é um treinador com uma atenção extra com os jovens?

"Ele tem uma preocupação com o time e com todos. Ele deixa todos muito bem à vontade. Isso é muito importante para os jogadores. Ele é um treinador assim, que tem uma ótima relação com todos".

​Você é um jogador que foge do estilo dos demais atletas. Não costuma postar foto em festas e não tem tatuagem como os demais. Já teve preconceito por conta disso?

"Nunca recebi preconceito. Eu procuro postar pós-jogo. Eu não sou muito de postar muitas coisas nas redes sociais. Meu jeito. Fico bem tranquilo em rede social.

Você chegou a iniciar a faculdade de Administração. Pretende voltar?

"Pretendo mais na frente. Agora, os meus dias estão muito corridos. Agora, eu pretendo fazer um curso à distância. Eu fazia Administração, mas agora vou fazer Educação Física. Não sei se vai me ajudar dentro de campo, mas creio que vai ser melhor pois já estou trabalhando na área".

Recentemente, o Flamengo pediu a sua liberação da convocação para um período de treinamento com a Seleção Sub-20. Tem medo de isso atrapalhar na sua ida para o Sul-Americano em 2019?

"Não. Eu continuo fazendo o meu trabalho aqui. Eu sou jogador do Flamengo. Se o Flamengo acha melhor eu ficar aqui, eu tenho que aceitar. Vou continuar trabalhando normalmente".

Com o "não" do Tricolor, o zagueiro fez teste no Rubro-Negro, aos oito anos, e foi aprovado.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget