Fernando Uribe reforça nova ligação do Flamengo com a Colômbia

GLOBO ESPORTE: Na reapresentação do Flamengo, uma cara nova, mas um sotaque bem conhecido. Fernando Uribe reforça ainda mais a relação do clube com a Colômbia, encorpada nos últimos anos. Agora são quatro colombianos no elenco. Grande maioria entre os gringos rubro-negros. É o Fla "cafetero". Para quem não sabe, é dessa forma que os colombianos são conhecidos, tudo por conta da relação do país, que é um dos maiores - e melhores - produtores do mundo, com o café.

Uribe se junta a Marlos Moreno, Berrío e Cuéllar. Hoje, os colombianos representam dois terços dos estrangeiros do Flamengo. Os peruanos Paolo Guerrero e Trauco completam a lista. Nenhum dos dois deve seguir no clube no segundo semestre

- Claro que me ajuda muito ter colombianos aqui, são jogadores de muita qualidade que estão há algum tempo no clube, são muito respeitados e vão ajudar na minha adaptação - disse Uribe, em sua apresentação.

Cuéllar e Fernando Uribe no Flamengo - Foto: Gilvan de Souza
Flamengo e Colômbia nunca tiveram uma relação tão próxima. No início do século, o clube tentou, sem sucesso, contratar Freddy Rincón. Em 2010, Cristian Borja passou rapidamente pela Gávea. Hoje no São Paulo, Santiago Tréllez jogou na base, mas nunca teve chance entre os profissionais.

O panorama começou a mudar com Gustavo Cuéllar. Com o contrato recentemente renovado e xodó dos rubro-negros, o volante chegou em 2016 e foi o primeiro da nova leva colombiana. No ano passado, Reinaldo Rueda assumiu o comando técnico em agosto. Trouxe com ele os compatriotas Bernardo Redín (auxiliar) e Gustavo Velasco (preparador físico). Seduzido por oferta da seleção chilena, o trio foi embora em janeiro.

Hoje, incluindo colombianos e peruanos, o Flamengo conta com seis estrangeiros no elenco. A CBF permite que apenas cinco sejam relacionados para competições nacionais, mas a Conmebol não limita em seus torneios. Caso da Libertadores, por exemplo.

O quarteto colombiano do Flamengo

Gustavo Cuéllar

O volante foi o primeiro do quarteto a chegar. Pouco aproveitado por Zé Ricardo, teve um início difícil e quase foi negociado. Titular desde o segundo semestre do ano passado, hoje é incontestável e xodó da torcida. Renovou no início do mês até 2022, com multa estipulada em mais de R$ 300 milhões.

Marlos Moreno

Emprestado até o fim do ano pelo Manchester City, o jovem atacante chegou ao Flamengo por indicação de Reinaldo Rueda, com quem foi campeão da Libertadores em 2016, no Atlético Nacional. Demorou a se adaptar, jogou pouco, mas cresceu um pouco antes da parada da Copa. A expectativa é que seja mais aproveitado no segundo semestre.

Orlando Berrío

Chegou em janeiro de 2017, foi titular em boa parte da temporada, alternando boas e más partidas. Tem como principal característica a velocidade. Ficou marcado pelo drible sensacional que deu em Victor Luis, na semifinal da Copa do Brasil contra o Botafogo. O lance resultou no gol da classificação, marcado por Diego. Lesionou seriamente o joelho esquerdo no fim do ano passado e está em fase final de recuperação. A tendência é que fique à disposição de Barbieri na reta final de 2018.

Fernando Uribe

Último da leva, o centroavante foi apresentado nesta quarta-feira. Pouco conhecido no Brasil, Uribe chega credenciado por três ótimas temporadas pelo Toluca, no México. É a aposta do Flamengo para substituir Paolo Guerrero, que não deve ficar no club

Uribe se junta a Marlos Moreno, Berrío e Cuéllar. Hoje, os colombianos representam dois terços dos estrangeiros do Flamengo.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget