"Maraca é um baita aliado do Flamengo", diz Juca Kfouri

JUCA KFOURI: Quando o Clássico do Povo começou no Maracanã, com menos torcida do que se esperava porque os preços foram para a elite, mas ainda assim com 49 mil torcedores, 44 mil pagantes, o Flamengo deu a sensação de que golearia o Corinthians, que só se defendia.

É assim foi até os 31 minutos, quando Jadson se machucou, mais uma vítima do calendário criminoso da Casa Bandida do Futebol que esgota a musculatura dos jogadores.

Ironicamente, a entrada do centroavante Roger em seu lugar mudou o jogo, que passou a ter algum equilíbrio e que até fez com que Diego Alves fizesse o que Walter não teve de fazer: uma defesa.

Os meninos Paquetá e Pedrinho inspiravam bons momentos, mas não desencantavam, embora o garoto rubro-negro quase tenha aberto o placar de cabeça.

Jogadores aplaudindo a torcida do Flamengo - Foto: Gilvan de Souza
O que aconteceria no segundo tempo ficou difícil de prever, embora fosse óbvia a necessidade de o time paulista tratar de botar alguém para ajudar Mantuan na marcação de Vinícius Júnior.

O segundo tempo começou no ritmo do fim do primeiro: equilibrado.

De novo de cabeça, mas agora com Diego, aos 13′, o Flamengo quase fez o gol.
Henrique Dourado errava tanto que aos 22′ foi trocado por Felipe Vizeu. E vaiado.

Chovia no Maracanã e a Nação cantava para empurrar o Mengão.

“Os, meu Mengão, eu gosto de você…”.

Os cariocas voltavam a viver melhores momentos no jogo aos 25′, com Paquetá e Diego empurrando o time à frente.

Vinícius Júnior e Pedrinho pouco apareciam e Osmar Loss tirou o menino para botar o malemolente Marquinhos Gabriel no clássico.

Balbuena lembrava Gamarra mais uma vez, com atuação soberba.

Só dava Flamengo na Cidade Maravilhosa.

Até que, aos 34′, fez-se justiça.

Diego puxou o contra-ataque, deu para Paquetá que obrigou Walter a fazer grande defesa, mas Vizeu aproveitou o rebote para fazer o gol que o Rubro-Negro mereceu.

Loss chamou Kazim, porque miséria pouca é bobagem, e tirou Gabriel.

Maurício Barbieri tem muito mais opções e trocou Everton Ribeiro por Jean Lucas para manter a liderança quatro pontos à frente do Grêmio que vencia o Bahia, por 2 l,a 0, na Fonte Nova.

Marlos Moreno ainda entrou no lugar de Vinícius Júnior.

Se tem cheirinho é cedo para dizer.

Mas consistência está claro que o Flamengo tem e o Maraca é um baita aliado.

Chovia no Maracanã e a Nação cantava para empurrar o Mengão. “Os, meu Mengão, eu gosto de você…”.


Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget