Maurício Prado vê Barbieri no caminho certo: "Palmas pra ele"

JORNAL DO BRASIL: Renato Maurício Prado

O trabalho de Maurício Barbieri no Flamengo começa, inegavelmente, a dar frutos visíveis. Ele é jovem e inexperiente, algumas vezes ainda erra (como escalar um time reserva contra a Chapecoense ou ser cauteloso demais, quando não havia motivos, no segundo jogo contra o River Plate), mas no geral, justiça seja feita, tem acertado muito mais. O time rubro-negro exibe, agora, um padrão de jogo bem definido. E, hosana nas alturas, acabou com os chutões pra frente e com o maldito chuveirinho, que persistiam faz tempo, com os mais diversos treinadores.

Maurício Barbieri com jogadores do Flamengo - Foto: Gilvan de Souza
Discretamente, está sendo feita também uma troca de guarda (e de gerações) na defesa. A cada jogo que passa os jovens Léo Duarte e Thuler mostram do que são capazes e não há mais dúvidas de que logo serão titulares absolutos. É admirável também o técnico que tem conseguido com Renê: antes um mero e esforçado marcador, que agora vem revelando um até então insuspeitado talento no apoio ao ataque.

É elogiável também a utilização cada vez mais frequente de Jean Lucas, grande promessa da base que pode virar titular com a saída de Vinícius Jr. e o deslocamento de Paquetá mais para a esquerda. E, registre-se ainda, é sob o comando do jovem treinador que o futebol de Everton Ribeiro, enfim, está reaparecendo.

Ainda acho cedo para considerar Maurício Barbieri uma grande revelação como técnico. Mas que ele demonstra estar no caminho certo para isso, demonstra. Palmas pra ele.

Frescura

A irritação e as queixas dos jogadores do Fluminense e do técnico Abel com os dribles de Lucas Paquetá e Vinícius Jr., no Fla-Flu, não se justificam. O estilo deles é assim, irreverente, moleque, talentoso. Não gosta, que lhe roubem a bola. Sem pontapés. Como bem lembrou o próprio Vinícius, o que diriam de Mané Garrincha, nos dias de hoje?

Outro campeonato

A paralisação do Brasileiro durante a Copa, aliada à janela de transferências para o futebol europeu, nos permite prever um outro campeonato, que pode ser bem diferente, a partir de meados de julho. Não somente os times mais fortes devem se modificar bastante (com a saída de alguns de seus melhores jogadores e eventuais contratações) como começarão a ter que se dividir entre até três competições: Brasileiro, Libertadores e Copa do Brasil. Aproveitar essa parada para recuperar fisicamente o elenco e afiná-lo ainda mais nas semanas que existirão só de treinamentos é o dever de casa geral. E somar o máximo de pontos possíveis nas duas últimas rodadas antes do Mundial também.

O trabalho de Maurício Barbieri no Flamengo começa, inegavelmente, a dar frutos visíveis.



Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget