Os destaques do Cruzeiro que o Flamengo deve se atentar

GLOBO ESPORTE: Adversário na decisão da Copa do Brasil de 2017, o Cruzeiro está, novamente, no caminho do Flamengo. Desta vez, pela Libertadores da América. O duelo pelas oitavas de final, inclusive, será o primeiro entre os clubes na história do torneio continental. A partida de ida do confronto, que será realizada no Maracanã, no entanto, vai demorar a ocorrer: será apenas após a Copa do Mundo, em uma data ainda a ser definida. Certo é que os jogos serão disputados nas semanas dos dias 7 e 29 de agosto.

O Flamengo terá pela frente um adversário que tem mostrado poder de fogo em decisões e em jogos importantes. Depois de iniciar mal a Libertadores, a equipe do técnico Mano Menezes teve um returno impecável e conseguiu o primeiro lugar da Grupo 5 e o melhor ataque dessa fase da competição.

Veja, abaixo, a análise do GloboEsporte.com sobre o Cruzeiro.

Foto: Paulo Fonseca/EFE
Esquema tático

Após tentar, no início do ano, um esquema com três “volantes”, sendo Robinho o terceiro homem do meio de campo, Mano resolveu mudar a formação, reflexo de um período em que o time não estava conseguindo vencer - justamente na Libertadores. Ele optou pela entrada de Lucas Silva no lugar de Ariel Cabral e Rafinha no posto de Robinho, alterando o esquema para 4-2-3-1.

A equipe base tem: Fábio; Edilson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Rafinha, Thiago Neves e Arrascaeta; Sassá. Apesar disso, Rafinha, com uma pubalgia, tem sido desfalque, e Sobis assumiu o posto de titular, enquanto Arrascaeta, a serviço da seleção uruguaia, cedeu o lugar a Robinho.

Incertezas

O time titular do Cruzeiro, entretanto, apresenta algumas dúvidas na escalação. Isso porque não se sabe se, após a Copa do Mundo, a equipe vai poder contar com Lucas Silva e Arrascaeta. O volante está emprestado pelo Real Madrid à Raposa até junho deste ano. A diretoria celeste tenta a permanência do prata da casa, mas ainda não conseguiu. Já o meia está valorizado no mercado e, principalmente se fizer um bom Mundial pela seleção uruguaia, dificilmente o clube celeste vai conseguir segurá-lo, caso chegue uma proposta irrecusável.

Caminho na Libertadores

O início da trajetória do Cruzeiro não foi dos mais fáceis. Em um grupo com Racing-ARG, Vasco e Universidad de Chile, o time não conseguiu vencer nos três primeiros jogos (uma derrota e dois empates). Porém, fez o que precisava no returno e teve 100% de aproveitamento, com direito a duas goleadas: 7 a 0 contra La U (igualou o maior resultado do Cruzeiro na história Libertadores), no Mineirão, e 4 a 0 diante do Vasco, em São Januário, além da vitória por 2 a 1 no duelo com o Racing, no Gigante da Pampulha.

Os resultados do Cruzeiro no returno da Libertadores deram ao time o status de melhor ataque da fase de grupos da competição, com 15 gols marcados.

Competições nacionais

Além de cumprir bem o objetivo na Libertadores, o Cruzeiro tem conseguido êxito, também, nas competições nacionais. Pela Copa do Brasil, largou na frente do Atlético-PR, ao vencer o confronto de ida das oitavas de final por 2 a 1 na Arena da Baixada - a volta, no Mineirão, será realizada após a Copa do Mundo. Pelo Brasileiro, o time vem de uma sequência de três vitórias e ocupa a vice-liderança, com 16 pontos - quatro atrás justamente do Flamengo.

Defesa sólida

Apenas 15 gols sofridos em 32 jogos. São esses os números da defesa do Cruzeiro, clube que tem o melhor rendimento defensivo entre os que disputam a Série A. No Campeonato Brasileiro, por exemplo, o time foi vazados apenas três vezes. Na Libertadores, sofreu gols apenas do Racing: quatro logo na primeira rodada, na Argentina, e um em Belo Horizonte. Em ótima fase, Dedé é um dos responsáveis pelo bom desempenho do time.

Poder de fogo

Rápido e rasteiro: assim o Cruzeiro e seu ataque iniciaram as partidas consideradas decisivas nesta temporada. Marcando pressão, dando botes e num ritmo fulminante na etapa inicial dos jogos, o time conseguiu marcar gols e se dar bem nos objetivos do clube em 2018. Foi assim no Campeonato Mineiro e na Copa Libertadores, quando a equipe precisava vencer para conquistar o título e seguir viva na competição, respectivamente.

O estilo mais agressivo no início dos jogos decisivos foi visto no clássico com o Atlético, quando o Cruzeiro reverteu o placar da final e triunfou por 2 a 0, no Mineirão - conquistando o título -, e nos jogos do returno da Libertadores. Fez gols nos primeiros minutos da partida tanto diante da Universidad de Chile quanto contra o Vasco e no duelo com o Racing.

O Flamengo terá pela frente um adversário que tem mostrado poder de fogo em decisões e em jogos importantes.


Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget