A noite em que o Flamengo foi o Flamengo

SOU FLAMENGO OFF-RIO: A noite parecia que seria mágica: estádio cheio, torcida apoiando e um gol logo aos 4 minutos de jogo. Se na partida de ida das quartas de final da Copa do Brasil o Flamengo levou 90 minutos e mais os acréscimos para conseguir marcar, no jogo da última quarta o gol necessário veio logo no começo: cruzamento de Vitinho, furada de Cortês, uma ajeitada meio de peito, meio de ombro do Paquetá e chute certeiro, no cantinho, de Everton Ribeiro. Explosão no Maraca. Parecia que seria fácil, mas o que aconteceu à partir daí foi bem longe disso.

O Grêmio passou a dominar pouco a pouco as ações no meio campo e a chegar com muito mais frequência ao gol do Flamengo, porém sem esboçar grande perigo. Mesmo com mais de 60% de posse de bola, o Grêmio não teve nenhuma chance clara de gol no primeiro tempo, apesar de martelar insistentemente com vários cruzamentos na área para o André e chutes de fora da área, alguns sem direção nenhuma, outros fracos e fáceis para o Diego Alves.

Torcida do Flamengo com bandeiras e funmaça - Foto: Divulgação
No segundo tempo a pressão aumentou, mas a medida que o tempo ia passando, e o Grêmio cansando, o Flamengo voltou a ter o controle do jogo. Uma defesa sólida como há muito não se via no time. Tenho a impressão que se tivesse mais duas horas de jogo o Grêmio ainda assim não conseguiria um gol. Réver com dez roubadas de bola e Everton Ribeiro com quatro roubadas e quatro interceptações pareciam intransponíveis e eram a imagem do Flamengo em campo. Até apareceram alguns memes engraçados, dizendo que o Cuellar saiu devido às pernas pesadas por levar o Everton e o André no bolso.

Por sinal, a melhor chance de gol no segundo tempo foi do Flamengo: troca de passes entre Paquetá e Marlos, finalização do Marlos para defesa de Marcelo Grohe e sobra de bola, já sem goleiro, para o Paquetá, porém com três marcadores travando a conclusão final. Uma grande chance perdida, aos 30 minutos da etapa final, que praticamente mataria a partida. Fim de jogo e o Flamengo classificado para mais uma semifinal de Copa do Brasil, a terceira em seis anos. A décima na história.

Duelo épico contra o Corinthians

Assim como o último confronto entre as duas equipes num mata mata (oitavas de final da Libertadores 2010), este tende a ser o duelo do ano. São mais de 60 milhões de torcedores, quase um terço da população brasileira inteira, que torce para um dos dois times. São os maiores clubes de seus respectivos estados, com ampla maioria da torcida.

Porém, muito além das duas maiores torcidas do país, também são os dois times mais odiados, o que aumenta ainda mais a audiência com os torcedores que torcem contra um, outro ou ambos. Certamente serão algumas semanas com predomínio total do confronto nos debates esportivos e nas discussões entre torcedores. Imperdível.

Volta ao Campeonato Brasileiro

Enquanto aguardamos a tão esperada volta da Libertadores com o confronto contra o Cruzeiro no Mineirão, todas as atenções voltam ao Campeonato Brasileiro. Esta para mim deveria ser a competição em que Flamengo teria que concentrar todas as suas forças, pois é uma competição em que vence o time mais regular, não apenas com elenco mais qualificado, mas também com elenco que tenha mais vontade de vencer todos os jogos e que dispute cada partida como uma final. E eu acredito que, pela qualidade do nosso elenco e com a força do Maracanã, o Brasileirão é a competição em que o Flamengo tem mais chances de vencer sem muitos sustos, sem ter que depender de uma única partida épica ou de uma única vitória sofrida.

Porém, talvez não seja a mentalidade de grande parte da torcida e da própria diretoria e comissão técnica. Estes parecem dispostos e jogar tudo nas três competições, para abraçar aquela que sobrar. Espero que não seja tarde demais quando passarem a priorizar alguma competição, como todos os demais clubes estão fazendo.

Até a volta contra o Cruzeiro pela Libertadores serão três jogos pelo Brasileirão: Atletico-PR (em Curitiba, onde o Flamengo é eterno freguês); Vitória em casa e América-MG fora. Seis pontos nestes três confrontos serão vitais para que o Flamengo chegue em Setembro com chances reais de retomar a liderança. E dar uma secada no São Paulo também será muito importante para que eles não disparem. E quem sabe a liderança não volte nestas três rodadas?

Vamos com tudo, porque o tão aguardado “ano mágico” pode estar mais perto do que se imagina. Ou acumularemos mais fracassos acreditando em um 2019 melhor. Pelo que vivemos nos últimos três anos, acredito que merecemos muito uma grande conquista ainda em 2018. Até para coroar o trabalho da diretoria que, se não foi perfeita (e esteve longe da perfeição em muitos aspectos), trabalhou muito nos bastidores e nas finanças para fazer o Flamengo mais forte a cada dia. Só nos resta torcer.

SRN.

Daniel Mercer

Vamos com tudo, porque o tão aguardado “ano mágico” pode estar mais perto do que se imagina.



Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget