Chapas Azul e Verde movimentam bastidores do Flamengo

GLOBO ESPORTE: Até o dia 1º de outubro, as chapas para o próximo triênio (2019/2021) do Flamengo precisam inscrever os candidatos a presidente e vice-presidente geral do clube - além de candidatos à presidência e vice da Assembleia Geral.

A quatro meses dos sócios do Fla irem às urnas, a corrida eleitoral agita os corredores da Gávea. São reuniões, almoços, composições e pesquisas a torto e a direito.

Novamente, as chapas azul, da situação do atual presidente Eduardo Bandeira de Mello, e a verde, dissidência da azul, despontam como adversários, após frustradas tentativas de união. O atual vice-presidente de futebol, Ricardo Lomba, é o candidato da situação, com apoio do presidente Bandeira. O empresário Rodolfo Landim, que já conquista alguns apoios antecipados - inclusive no "terreno azul", lidera a chapa verde, que teve Wallim Vasconcellos como candidato na última eleição.

Foto: Divulgação
Postulante à presidência na última eleição, Cacau Cotta avalia concorrer novamente. Ele apoiava Rodrigo Dunshee, que será o vice de Landim. Ex-vice-presidente de futebol, campeão brasileiro em 2009, Marcos Braz é outro que vai disputar a presidência em dezembro.

A decisão por Lomba amadureceu nos últimos meses entre os membros da situação. Muitos defendiam a união com os verdes, mas as divergências - até pessoais - fazem da nova eleição espécie de continuação do pleito entre Bandeira e Wallim no fim de 2016, espécie de ares de segundo turno, três anos depois.

Os bons resultados depois de Lomba fazer reformulação no departamento de futebol deram o alicerce para os grupos de apoio de Bandeira lançarem o vice de futebol.

- A preocupação nesse momento é o futebol e as três competições que estamos tão bem, tão concentrados. Agora, o governo do Bandeira é bem avaliado e é natural que um candidato do nosso grupo se credenciasse.

- Estamos conversando com todo mundo, aberto a composições, com todo Conselho Diretor ao nosso lado - disse Lomba, ao GloboEsporte.com, evitando se estender em momento decisivo da temporada rubro-negra.

Pesquisas divergentes

O grupo de Bandeira se reuniu no início desta semana. O coordenador da campanha será o vice-presidente de Tecnologia da Informação, Luiz Filipe Teixeira. A ideia é desconstruir o discurso da campanha de Landim, que fala em isolamento de Bandeira, depois de perder também o apoio do vice-presidente geral Mauricio Gomes de Mattos, que também desistiu da candidatura para se aliar a Landim.

O ex-vice-presidente de finanças Claudio Pracownik, que renunciou ao cargo em meados de julho, também é tido como figura certa nos lados de Landim. O candidato da chapa verde reuniu apoiadores numa churrascaria na zona sul nesta sexta-feira e reafirmou a candidatura também a funcionários da sua empresa. A confirmação pública está prevista para próxima quinta.

- É uma chapa de união. Estamos unindo o clube de um lado e o outro é basicamente a SóFla, ou parte dela. Temos várias correntes que apoiaram o Bandeira e que estão conosco. Queremos pacificar o clube, governar com uma participação ampla e não um grupo dominante.

- Queremos que o futebol ganhe tudo. Ponto. Isso é independente. Se for afetar a eleição, zero problema. Pode afetar? Não sabemos. Estamos pensando em uma coisa maior: o Flamengo unido e muito mais vitorioso em todas as áreas - disse Landim ao GloboEsporte.com.

A chapa azul ainda não definiu o vice-presidente de Lomba. O nome ideal era Alexandre Wrobel, atual vice-presidente de patrimônio, um dos homens que mais buscou a união entre as chapas - Pracownik também teve esforços frustrados nesse sentido.

Wrobel vai apoiar Lomba e seguiria em caso de vitória da situação, mas dificilmente sairá candidato a vice-presidente. Lomba teve encontros com Cacau Cotta e confia em buscar mais apoios importantes, como do ex-presidente Márcio Braga.

Nesta semana, duas pesquisas foram divulgadas. Numa delas, na coluna de Ancelmo Gois, feita pela consultoria EPZ, Lomba tinha 58% das intenções de voto contra 30% de Landim, com 12% de indecisos. Em outra, do Bureau de Estatística e Estratégias (BEE), era Landim o líder das intenções de votos entre sócios, com 25,12%, contra 15,81% de Lomba. Ainda havia citações a Rodrigo Dunshee, Mauricio Mattos, Marcos Braz e Cacau Cotta.

Cacau: "Estou amadurecendo minha candidatura"

Terceiro colocado na última eleição, Cacau Cotta é visto como eventual aliado na chapa de Lomba. Como dizem nas fileiras azuis, votou com a situação nas últimas pautas do Conselho Deliberativo.

- Votei com o Flamengo. Não tem essa de votar com a situação - pontua Cacau.

Ele lembra que ia apoiar o amigo Rodrigo Dunshee, mas se sentiu livre para sair candidato assim que Rodrigo lhe avisou do acordo com Landim.

- Hoje posso dizer que estou amadurecendo minha candidatura. O Rodrigo era meu candidato. Sem ele me sinto à vontade para decidir o que fazer. Almocei com o Lomba e conversei com algumas pessoas do Landim, mas não com ele diretamente. Estou vendo o Landim agregando mais pessoas neste momento - avaliou Cacau, que só sairia ao apoio de alguém que pudesse ter a plataforma que defende: - Falo sempre num triângulo, com ingressos populares, Maracanã cheio e base forte.

Ex-secretário municipal de Esportes e Lazer do Rio, Marcos Braz está em viagem fora do país. Ele reafirmou a candidatura e lamentou a antecipação do cenário eleitoral.

Lomba teve encontros com Cacau Cotta e confia em buscar mais apoios importantes, como do ex-presidente Márcio Braga.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget