Derrota para o Grêmio serve de lição no Flamengo contra Cruzeiro

TORCEDORES: Por João Vitor Rocha

A derrota para o Grêmio no último sábado (4) por 2 a 0 ligou um sinal de alerta na equipe do Flamengo para o jogo da Libertadores. O Rubro-Negro enfrenta o Cruzeiro, nesta quarta-feira (8), no Maracanã, na partida de ida das oitavas de final da competição continental.

O resultado negativo que fez com que os cariocas perdessem a liderança do Brasileirão serviu para que o Flamengo aprenda algumas lições e não cometa erros no duelo pela Libertadores.

Fernando Uribe durante Grêmio x Flamengo - Foto: Lucas Uebel/Getty Images
Veja algumas lições que o Flamengo deve aprender

Cada jogo é uma história
O futebol muito elogiado do Flamengo no jogo da Copa do Brasil contra o Grêmio passou longe da partida de sábado. Talvez por ser uma competição de mata mata os jogadores tenham entrado mais ligados. O Rubro-Negro vai precisar da mesma disposição no duelo da Libertadores contra o Cruzeiro. Da mesma maneira que a equipe mudou de forma tão notória de um jogo para o outro, contra o mesmo adversário, no mesmo estádio, pode acontecer novamente. Agora, para melhor. Torneio de mata mata não permite uma noite tão infeliz como a de sábado. Tomar dois a zero – com risco de ter sido três- pode acabar com os planos de título da Libertadores.

Ineficiência ofensiva
O Flamengo amassou o Grêmio no jogo entre as equipes pela Copa do Brasil, no último meio de semana, mas só conseguiu marcar quase no último lance do jogo. Na partida entre as equipes pelo Brasileirão, a situação foi ainda pior. O Rubro-Negro chegou a ter 70% de posse de bola, trocou mais que o dobro de passes do Grêmio no primeiro tempo – 327 x 159 -, mas não transformou em gol. Levou dois a zero e poderia ter sido mais, se Jael não tivesse perdido um pênalti. Nos primeiros 45 minutos, o Fla só teve três finalizações, sendo duas em cobranças de falta.

Centroavante é o ponto negativo
Fernando Uribe foi o titular do Flamengo no duelo contra o Grêmio pelo Brasileirão e novamente não foi bem. O atacante chegou para ocupar a provável vaga deixada por Guerrero ao final de seu contrato, no dia 10 de agosto. Até agora, o colombiano ainda não fez muito e vem sendo criticado a cada jogo do Fla. Contra o Grêmio, não foi diferente. No primeiro tempo, por exemplo, Uribe participou menos do jogo com os pés do que Diego Alves. O goleiro tocou 22 vezes na bola. O atacante encostou 13. Diego Alves deu 20 passes no primeiro tempo. Uribe deu nove


O resultado negativo que fez com que os cariocas perdessem a liderança do Brasileirão serviu para que o Flamengo aprenda algumas lições.



Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget