É preciso acreditar

ESPN FC: Por João Luis Jr.

Se você nasceu flamenguista ou se tornou flamenguista durante a vida, você provavelmente tem pouca tolerância à derrota. Certas torcidas parecem ter uma vaga simpatia por perder, algumas se gabam de começar jogos atrás no placar, outras tratam longos períodos sem títulos como uma virtude, mas o rubro-negro não é assim. O torcedor do Flamengo é obcecado por ganhar, movido por títulos, alérgico ao fracasso. O nosso hino diz "vencer, vencer, vencer" e não "vencer dentro, comemorar empate fora, derrota não é tão ruim se a gente tiver a posso de bola".

A cobrança incessante por títulos é parte do nosso DNA. O time está jogando um bom futebol? Ótimo, mas cadê a taça? A galera fez uma bela participação no torneio? Legal, mas ganhou? Estamos na briga pelo título? Show, mas se não ganhar a briga, desculpa, não valeu nada. Somos uma torcida mal-acostumada com triunfos, um clube que mesmo nas suas maiores secas sempre garantiu algum troféu, uma multidão nascida e criada nas conquistas e que nunca se contenta com menos do que o máximo.

Jogadores do Flamengo comemorando - Foto: Gilvan de Souza
E é exatamente por isso que derrotas como a dessa quarta-feira revoltam tanto o torcedor. O Flamengo que entrou em campo contra o Cruzeiro não só não venceu como não mostrou em nenhum momento ter condições ou mesmo vontade de vencer. Não que perder não seja parte dos riscos inerentes ao jogo, não que a derrota não seja sempre uma possibilidade que ronda todo time que quer ganhar, mas existe uma clara diferença entre perder um grande jogo dando tudo de si e ser humilhado numa partida ridícula atuando como um time pequeno que nunca havia atuado fora do playground do prédio onde mora.

Alguém aqui vai abandonar o Flamengo por conta de uma derrota, por mais patética que ela tenha sido? Claro que não. O Flamengo é parte de cada um de nós e mais de uma vez, quando ele não conseguiu caminhar sozinho, fomos nós que carregamos esse time, fomos nós que empurramos, no grito, na fé e na força, cada um dos jogadores, desde os mais merecedores até os menos dignos, o quão longe nossos braços foram capazes de levar.

Por mais que todas as fraquezas rubro-negras tenham sido brutalmente expostas e tenhamos nos sentido um pouco como uma mãe que considerava o filho totalmente preparado para o vestibular e subitamente percebeu que ele está bebendo cola direto do pote e nem consegue amarrar os cadarços sozinho, o que é preciso agora, tanto para o time quanto para a torcida é ainda acreditar.

Acreditar que nada está perdido, acreditar que cada porrada ensina uma lição, acreditar que a derrota mostrou a Barbieri e aos 11 que estavam em campo – vários dos quais não deveriam estar – que o Flamengo não pode ser isso que vimos na quarta-feira, nunca, em hipótese alguma. Porque o Flamengo nasceu pra vencer e, mesmo nas ocasiões em que ele não tiver a capacidade de fazer isso, ele precisa no mínimo deixar claro que vontade não faltou.

Alguém aqui vai abandonar o Flamengo por conta de uma derrota, por mais patética que ela tenha sido? Claro que não.



Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget