Dever de casa

FALANDO DE FLAMENGO: Por Sorín

Amassamos a Chape desde os minutos iniciais, impondo aquele nosso já conhecido domínio arame liso. Tanto que apesar da nossa maior posse de bola, o goleiro Jandrei pouco trabalhou e antes do gol do Renê (Flamém), ao apagar das luzes da primeira etapa, Nosso Flamengo cercou, cercou, mas pouco teve chance real de abrir a contagem.

Como de hábito nesses jogos contra retrancas, que tanto fazem nosso elenco sofrer, após conseguir abrir o placar ficou tudo mais fácil. A diferença é que dessa vez a gente não complicou o treco. A Chape voltou do vestiário com um pouco menos de histeria defensiva. Daí pra mais um pouco de pressão até o gol de pênalti logo aos 11 do segundo tempo foi um pulo.

Diego, do Flamengo, contra a Chapecoense - Foto: Buda Mendes/Getty Images
Não dá exatamente pra medir muita coisa dada a fragilidade do adversário. Sem nunca tirar o mérito da equipe em FAZER O QUE TEM QUE SER FEITO dessa vez. Ainda assim… Louvável ver que o Arão entrou bem de novo, a exemplo do que já tinha feito em Porto Alegre contra o Inter. Aliás, outro que participou bem foi o Rodinei… E daí se lesionou. Vamos observar.

A torcida compareceu em bom número, sem repetir as marcas míticas beirando ou passando dos 60 mil com que se habituou em partidas recentes. Não rolou o protesto de ficar sem cantar nos primeiros 45 minutos. Ou era uma fake news, ou algum tipo de sensatez baixou de última hora.

O São Paulo venceu o Bahia fazendo o mínimo. Cada vez mais vem se mantendo bem na tabela, mas ali na conta do chá, com placar magro e sem sobras, o que nos deixa menos preocupados com nossos igualmente modestos desempenhos.

Nesse domingão é dar aquele olhar de lado como quem não quer nada e aguardar algum deslize de Palmeiras e/ou Inter. Após o jogo de ida pela CB na quarta, tem mais molezinha na tabela reservada pra nós. Vamos até Brasília colaborar com o povo de São Janu na campanha do Tetra Rebaixamento. Já o São Paulo tem Clássico contra o Santos na Vila Belmiro. O Inter vai pegar a Chape na Arena Condá, e o Palmeiras encara o Bahia em Salvador.

Parece… Parece… E estou sendo otimista ao utilizar a palavra “parece”, que o lance com nossos Verdadeiros Falsos Noves só vai dar mesmo pra resolver na próxima temporada. Tava até pensando aqui se não dava pra arriscar uma estratégia Ruediana e tascar o Paquetá lá no ataque pra ver no que dá. Mesmo porque, se não der certo, não muda absolutamente nada.

Aquela virada de chave marota para encarar a gambazada na quarta, com direito a Cuéllar e Paquetá voltando na correria dos compromissos internacionais pra participar dessa importante batalha. Não é molezinha, mas é menos complicado que o Grêmio. Mesmo porque, além de não viver boa fase, o técnico dos caras agora é o Jair Desventura, e sempre fica no ar aquela possibilidade dele levar na bagagem para o Parque São Jorge um cadinho de nhaca botafoguense e sina de derrotas.

Bora torcer.

Isso aqui é Flamengo.

Nosso Flamengo cercou, cercou, mas pouco teve chance real de abrir a contagem.



Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget