Efetivados, Barbieri e Larghi já lidam com a cobrança

GLOBO ESPORTE: No encontro entre Atlético-MG x Flamengo válido pelo primeiro turno do Campeonato Brasileiro, Thiago Larghi e Maurício Barbieri eram técnicos interinos e cheios de moral pelas boas campanhas realizadas até então. O Galo liderava o Brasileirão. O Rubro-Negro, era vice-líder. Com a vitória no Independência, na sétima rodada, os cariocas passaram à frente e assumiram a ponta da tabela.

Passados 19 jogos, os treinadores voltam a se encontrar, neste domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã, em situações bem diferentes.

As posições de Flamengo e Atlético-MG no Brasileirão não são ruins. Os cariocas ocupam a quarta posição, com 45 pontos, três a mais que os mineiros, que podem ultrapassar o concorrente na classificação caso vença o encontro deste domingo por dois gols de diferença. No entanto, mesmo na parte de cima da tabela, Barbieri e Larghi carregam sobre eles pressões por um bom resultado.

Foto: Divulgação
Um pós-Copa de pressão e dúvidas

A liderança alcançada com a vitória no Horto fez com que Barbieri deixasse de lado a alcunha de interino, mas, naturalmente, aumentou a expectativa sobre seu trabalho. O bônus da efetivação veio acompanhado do ônus da pressão que atingiu o nível mais alto na última segunda-feira, quando seu cargo foi colocado em pauta. Prevaleceu o desejo do presidente Eduardo Bandeira de Mello pela continuidade do treinador.

É o momento de maior contestação para o jovem que não conseguiu manter a regularidade de sua equipe após a Copa do Mundo. Líder com quatro pontos de vantagem quando a França venceu a Croácia na Rússia, o Flamengo está agora a cinco do São Paulo, foi eliminado pelo Cruzeiro na Libertadores, e empatou em casa com o Corinthians na primeira partida da semifinal da Copa do Brasil.

Flamengo após a Copa do Mundo:
7 vitórias
6 derrotas
5 empates

Retrospecto de sete vitórias, seis derrotas e cinco empates depois do Mundial, e questionamentos não somente de resultados, mas também de performance. O ataque rubro-negro não consegue transformar a enorme posse de bola da equipe em gols e o duelo contra o Galo é visto como determinante mudar o astral para mais um daqueles chamados "jogo do ano": quarta, contra o Corinthians, em São Paulo.

Com a semana livre para trabalhar pela primeira vez em dois meses, Barbieri garante encarar as cobranças com naturalidade e aposta em uma melhora de rendimento domingo, no Maracanã:

- O Flamengo tem pressão em qualquer circunstância e momento. Todo profissional aqui tem que estar preparado para lidar com isso. Desde o início é assim. Estamos fazendo o trabalho da melhor maneira possível. A vontade de entregar o trabalho da melhor forma possível é muito maior do que qualquer pressão.

É inegável, porém, que Maurício Barbieri está no limite do erro: não vencer o Atlético-MG elevará a panela de pressão do Ninho do Urubu a níveis insustentáveis. Para deixar o ambiente mais morno, o Flamengo terá Willian Arão no lugar de Diego. Mudança forçada por suspensão, mas que abre a possibilidade de uma equipe mais equilibrada defensivamente e com Lucas Paquetá mais próximo da área.

Apesar de o discurso ser de não pensar no título e tentar garantir um lugar entre os quatro primeiros, uma vitória sobre o Flamengo reascenderá a chances de o Atlético-MG brigar pela taça. Mais do que isso: devolverá, aos torcedores, a confiança no trabalho que vem sendo feito por Thiago Larghi no comando do Atlético-MG.

O aproveitamento de alguns jogadores e alguns tropeços, como no clássico, quando o Cruzeiro usou o time reserva, irritaram os torcedores. Apesar de não ser unanimidade na opinião dos torcedores, o trabalho de Thiago Larghi precisa ser exaltado, pois conseguiu dar padrão ao time - mesmo após as diversas mudanças no pós-Copa, com a perda de vários atletas.

Diferenças

Se no primeiro turno os dois treinadores viviam momentos parecidos, Thiago Larghi vê diferenças no momento dos dois times e técnicos antes do jogo de domingo. O técnico do Atlético-MG exalta o trabalho de Barbieri e também o momento do Galo no Campeonato Brasileiro.

- São casos distintos. A gente passou por uma reformulação no nosso elenco. Pelo jogo desenvolvido pelo Flamengo, acho que o Flamengo vem fazendo bons jogos. A questão dos resultados são pontuais. Acho que o Barbieri ainda desenvolve um grande trabalho e não vejo motivo para tanto alarde assim. Sei que as cobranças são sempre grandes e é importante manter o foco no nosso trabalho e no desempenho do time principalmente.

-O nosso foco segue no desempenho. A gente segue no nosso objetivo do semestre, que é estar entre os seis primeiros. Apesar de todas as dificuldades, nos últimos oito jogos são quatro vitórias, três empates e uma derrota. Esse rendimento é um rendimento de 62%, então também não vejo nenhum alarde - comentou o treinador atleticano.

- Estamos procurando fazer o melhor trabalho, o grupo está evoluindo. Já passamos do momento de turbulência e o que a gente espera é um time mais sólido daqui para frente.

Quem vence?
Dois dos técnicos da nova geração do futebol brasileiro, que apostam em um jogo de posse de bola e troca de passes, colocarão os trabalhos frente a frente mais uma vez. Para Barbieri, uma vitória no Maracanã embala o time às vésperas do jogo contra o Corinthians, pela semifinal da Copa do Brasil. Do lado atleticano, um triunfo de Thiago Larghi recoloca o time na disputa direta pelo titulo Brasileiro, igualando o rival na tabela. Façam suas apostas!

As posições de Flamengo e Atlético-MG no Brasileirão não são ruins.


Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget