Flamengo de Bandeira também não sabe contratar treinador

GOAL: Em mais um momento de turbulência na gestão Eduardo Bandeira de Mello, o treinador corre perigo. Maurício Barbieri, efetivado durante a Copa do Mundo da Rússia, vive grande pressão e pode ser demitido do cargo nos próximos dias.

O atual comandante, inclusive, caiu de paraquedas no cargo, já que chegou ao clube em janeiro deste ano para ser auxiliar técnico de Paulo César Carpegiani, outro treinador, que no momento foi contratado sem muita convicção da diretoria Rubro-Negra.

Na época, Carpegiani havia sido contatado para ser uma espécie de coordenador de futebol, mas acabou assumindo a equipe após repentina saída de Reinaldo Rueda, que decidiu aceitar uma proposta da seleção do Chile.

Foto: Gilvan de Souza
Esse foi o ciclo vicioso da era Bandeira de Mello, em quase seis anos a frente do clube, foram 13 treinadores, contando com Barbieri, o que nos fazer acreditar que este número pode aumentar para 14. Em média, um comandante fica no cargo cerca de 5 meses.

O mais curioso é que desses 13, três pediram o boné, por razões distintas. Mano Menezes, comandante em que a diretoria confianva muito, deixou o clube em meio a disputa da Copa do Brasil, em 2013. Na ocasião, a explicação foi problemas pessoas, mas o mal-estar gerado mostrou que poderia ter algo a mais do que isso.

Depois, com Muricy Ramalho, que também entregou o cargo, a coisa foi diferente. Contratado para ter vida longa no clube, o comandante teve problemas de saúde e acabou abandonando a profissão. Mais tarde, Rueda, outro nome que chegava como aposta para fazer um trabalho a longo prazo pediu o boné.

Rueda aceitou uma proposta do Chile, mas seu comportamento com o clube em meio as negociações deixou uma mágoa na Gávea, que se planejava para dar tudo o que o treinador precisava. Desta forma, a diretoria se mostrou um pouco sem norte e acabou oferecendo o cargo de treinador a Carpegiani, demitido três meses depois.

O modo como o clube se planeja com seus treinadores mostra que há uma certa lacuna, com perfis completamente diferentes, a maioria tem pouco tempo para trabalhar. A impressão que passa é que o Flamengo está sempre em construção, mas nunca se constrói, dificultando o trabalho dos comandantes.

Neste período já comandaram o Flamengo: Dorival Júnior, Jorginho, Mano Menezes, Jayme de Almeida, Vanderlei Luxemburgo, Cristovão Borges, Oswaldo de Oliveira, Muricy Ramalho, Zé Ricardo, Reinaldo Rueda, Paulo César Carpegiani e Maurício Barbieri.

Agora, o atual comandante terá uma prova de fogo pela frente, além da semana livre para trabalhar, se perder para o Atlético-MG no final de semana é bem possível que não permaneça, no entanto, na próxima quarta, o time pode decidir o futuro da temporada, diante do Corinthians, pelo jogo da volta da Copa do Brasil.

Paulo César Carpegiani, outro treinador, que no momento foi contratado sem muita convicção da diretoria Rubro-Negra.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget