Júnior relembra Adriano na Itália: "Zagueiros trombavam e caíam"

ESPN: Inter de Milão e Parma se enfrentarão pelo Campeonato Italiano, neste sábado, às 10h (de Brasília). As duas equipes tiveram um papel marcante na trajetória de Adriano Imperador na Europa: foram os clubes nos quais o brasileiro mais brilhou na Europa.

Revelado no Flamengo, o atacante foi contratado pela Inter de Milão com apenas 19 anos, em 2001. Para pegar experiência na Itália, ele foi cedido para a Fiorentina antes de chegar por empréstimo ao Parma, em 2003.

Ainda uma promessa, Adriano começou a assombrar o mundo do futebol no time treinado por Cesare Prandelli.

Foto: Divulgação
"O Adriano chegou lá bem jovem e fizemos uma campeonato muito bom,chegamos em quinto lugar neste ano. Foi uma temporada extraordinária, ele fez chover por lá. Mesmo sendo novo, ele parecia um tanque mesmo (risos). A força física dele era impressionante. A precisão da batida da perna canhota era incrível e chutava muito forte. Tinha muita potência", contou o ex-lateral-esquerdo Júnior, que jogou no Parma com o atacante, ao ESPN.com.br.

Em sua primeira temporada no Parma, Adriano, com apenas 21 anos, fez uma dupla de ataque mortal ao lado do romeno Adrian Mutu, que marcou 18 gols, enquanto o brasileiro anotou outros 15.

"Ele tinha aquele vigor físico. Os caras batiam no Adriano e ele não sentia nada. Os zagueiros trombavam com ele e caíam para trás (risos). Era impressionante, uma coisa descomunal", recordou o lateral, que foi pentacampeão pela seleção brasileira, em 2002.

Um lance não sai da cabeça de Júnior. Em setembro de 2003, pelo Campeonato Italiano, o Parma foi ao estádio Olímpico de Roma e venceu a Lazio por 3 a 2. Adriano Imperador fez um gol bem ao seu estilo.

"Teve um jogo que me marcou muito. Ele fez tanta coisa, mas esse lance foi brincadeira. Ele mostrou muita força física e habilidade. O zagueiro veio para cima dele, trombou e caiu. O Adriano protegeu a bola, driblou uns três dentro da área e fez um golaço. Ali a gente via que o cara era foda!", relatou.

Fora de campo, Júnior conheceu a simplicidade do garoto que despontava na Itália como futuro astro.

"Ele é muito bacana. Tivemos uma ótima convivência. Minha família se deu muito bem com a dele e estávamos sempre juntos. Eu via muito a avó, o pai e os primos dele. Fazíamos churrasco na minha casa ou na dele. Ele brincava muito com os primos, gostava de fazer piadas. Estava sempre sorrindo e era um cara bem engraçado", relatou.

"O Adriano era bastante apegado ao pai dele, que estava sempre para Parma. Eu sempre o via o carinho que um tinha com o outro", relatou.

O falecimento de seu pai, Almir Leite Ribeiro, um mês depois de conquistar a Copa América de 2004 é apontado como o principal estopim para os problemas que o jogador teve depois.

Em sua passagem pelo Parma, Adriano anotou 25 gols e ajudou o clube a chegar duas vezes na quinta posição do Italiano. Com as ótimas atuações, foi chamado por Carlos Alberto Parreira para a seleção brasileira.

"Foi só uma temporada e meia. Depois, ele foi para a Inter e fez tudo aquilo e se tornou o 'Imperador'. Foram momentos maravilhosos", contou.

No meio da temporada 2003/2004, voltou para a Inter de Milão e viveu o melhor momento de sua carreira. Em 2004/2005, fez 32 gols em apenas 44 jogos e ganhou o apelido de Imperador.

Revelado no Flamengo, o atacante foi contratado pela Inter de Milão com apenas 19 anos, em 2001.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget