Veja 8 laterais que poderiam ser a solução para o Flamengo

Por Joza Novalis

Onde estão as soluções para as laterais do Flamengo?

Não é de hoje que a torcida do Flamengo reclama disso, mas aqui há várias opções de toda a América Latina que poderiam resolver esse problema.

Fabricio Bustos (22), lateral-direito argentino do Independiente, é uma potência em todas as fases do jogo. Um grande apoiador no ataque, com velocidade, força e boas tomadas de decisão. Além disso, é um dos melhores laterais marcadores da América Latina.

Bustos tem uma leitura primorosa dos movimentos do adversário, ótimo senso de cobertura e é sempre muito atento à recomposição defensiva. Transborda valentia e não raramente é um dos melhores em campo, o que é bastante incomum para laterais.


Guillermo Varela (25), lateral-direito uruguaio do Peñarol, tem um enorme equilíbrio em suas qualidades ofensivas e defensivas. Sobe muito bem, com posicionamento, passes decisivos e bons cruzamentos, identificando quando é preciso avançar ou não.

Quando a situação requer mais cuidados defensivos, guarda posição como nenhum outro e dá muita segurança. Se precisar, também sabe fazer as funções de zagueiro e volante. Já teve passagens por Manchester United e Real Madrid Castilla. Até hoje não sei como ainda está no Uruguai.


José Luis Gómez (25), lateral-direito argentino do Lanús, é extremamente ofensivo e rápido, com boa condução, drible e cruzamento. Sabe atacar tanto por fora quanto por dentro (prefere por fora, mas faz os dois muito bem).

Gómez ainda deixa a desejar no setor defensivo, especialmente nas recomposições, mas não fica tanto para trás em relação à média. Do meio para frente, é um lateral que tem tudo o que um grande time precisa.


Roberto Rosales (30), lateral-direito venezuelano do Málaga-ESP, é experiente e sabe muito bem resolver os problemas defensivos de uma equipe. Apesar disso, não é nada incomum vê-lo mais à frente, como boa opção de ataque.

Taticamente, Rosales é muito inteligente, pois sabe ocupar bem os espaços e tem ótima noção defensiva. Além de seu país, já passou pelo futebol belga, holandês e agora espanhol com vários anos em cada clube, o que lhe dá certa "casca". Isso pode ser decisivo para vingar por aqui.

Nícolás Gil (21), lateral-esquerdo colombiano do Independiente Santa Fe, é mais um talento muito bem trabalhado nas canteras. Sua capacidade de defender o lado do campo impressiona a todos nas arquibancadas do Campín. Tudo parece calibrado em seu futebol. Nada parece excessivo.

Sua visão panorâmica das ações dos rivais o permite atuar como lateral ou zagueiro. Quando mais jovem, também foi primeiro volante. Embora seja um marcador implacável, o seu jogo ofensivo ganha relevância na abertura do campo com cruzamentos quase perfeitos.

Outro dos traços importantes de Nicolás Gil é a percepção da temperatura do jogo e a sua reação breve aos acontecimentos. Ainda é jovem, mas tudo leva a crer que não irá decepcionar todas as expectativas depositadas em seu futebol.

Guga (20), lateral-direito do Avaí, é uma das grandes revelações do futebol brasileiro em sua posição. Muito bom na marcação direta e nas antecipações, embora ainda precise melhorar seu posicionamento e cobertura. Na fase ofensiva, destaca-se pelo passe curto ou em profundidade.

Guga é talentoso, entende o momento certo para usar o drible e qualifica a pressão de sua equipe no entorno da área dos rivais. É o dono da bola nas cobranças de faltas e escanteios. Personalidade de veterano em um garoto de apenas 20 anos.


José Abella (24), lateral-direito mexicano do Santos Laguna, é daqueles que se destacam por boa marcação e apoio ao ataque de maneira segura e eficiente, às vezes também fazendo gols. Seu ponto forte é a marcação no um contra um.

Além disso, possui vigor físico e boa ultrapassagem para o terço mais ofensivo do campo. Por ser veloz, muitas vezes é quem puxa os contra-ataques de sua equipe. Tem bom passe curto, mas seus cruzamentos precisam de evolução.

De qualquer forma, as suas falhas esporádicas são bem compensadas por sua entrega durante os 90 minutos do jogo e por honrar como poucos a camisa que veste, o que o torna uma espécie de xodó da torcida do Santos Laguna.

Víctor García (24), lateral-direito venezuelano do Vitória de Guimarães-POR, é um jogador muito forte na marcação e na projeção em altíssima velocidade para o campo de ataque.

Sua condição técnica era indiscutível na base do pequeno Real Esppor, da Venezuela. Mas uma ida prematura para a Europa dificultou a sua adaptação e paralisou a evolução de seu potencial. Hoje, bem mais experiente, mostra sinais de recuperação do nível que o levou para o Porto.

García passa a impressão de que ainda precisa explorar toda a extremidade do campo e aprender a entrar em diagonal, pois dispõe de um arremate forte e certeiro. Voltar ao seu continente, desta vez para um clube brasileiro, seria tudo o que ele precisa para seguir evoluindo.

São eles: Fabricio Bustos, Guillermo Varela, José Luis Gómez, Roberto Rosales, Nícolás Gil, Guga, José Abella e Víctor García.


Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget