Flamengo precisa de novas soluções para 2019

O GLOBO: A vitória sobre o Santos não dá ao Flamengo tanta esperança na luta pelo título brasileiro. Fora o resultado, que deixa a equipe a sete pontos do Palmeiras, com 12 em disputa pela frente, ela é mostra do que o Flamengo pode colher de um ano a se confirmar sem conquistas. E, tal qual 2017, 2018 vai chegando ao fim com César em destaque.

O goleiro, cuja titularidade resultou em crise entre o técnico Dorival Júnior e o ex-dono da posição, Diego Alves, saiu como herói após uma atuação coletiva ruim no Maracanã, no dia do aniversário de 123 anos do clube. O gol salvador de Henrique Dourado acabou ofuscado pelo pênalti defendido por César aos 43 minutos do segundo tempo.

Rodinei em Flamengo x Santos - Foto: Gilvan de Souza
Gabigol, o vilão, já havia parado nas mãos do goleiro com a bola rolando, na pequena área. E o talentoso Rodrygo também não conseguiu fazer o gol de placa em arrancada espetacular. O chute parou em César. Falar de um goleiro como destaque denota um Flamengo coletivamente abaixo. Embora tenha voltado a vencer após três jogos em queda, não recuperou o futebol que poderia lhe render destino diferente na reta final da temporada.

A torcida, que apoiou o tempo inteiro, protestou antes de a bola rolar com gritos de “time sem vergonha”. Rômulo, novidade na escalação, não escapou de vaias. De volta ao time titular, Diego reapareceu bem no lance do gol, mas esteve abaixo, tal qual Everton Ribeiro. Na jogada, surge a opção que o Flamengo tem usado pouco. Com Berrío, o time ganha na bola longa quando a defesa adversária sai da própria área. O gol aconteceu em um momento em que o Santos não recuava tanto.

Sempre que tentou se impor com a bola nos pés, o Flamengo caiu em certa mesmice. Ponto fora da curva, Vitinho abria espaços pela esquerda e arrematava de longa distância no início da partida. Era o máximo de perigo. Mas o atacante se machucou e Berrío foi chamado. Com Dourado no lugar de Uribe, que sofreu lesão muscular, o Flamengo ganhou profundidade e presença de área. E opções menos óbvias para a bola enfiada por Diego. De primeira, Berrio serviu Dourado para fazer 1 a 0.

Antes, o centroavante errou um passe simples que redundou em um contra-ataque alucinante de Rodrygo, aquele que César parou. O desajuste recente do Flamengo, que tenta se manter fiel ao seu estilo de jogo, quase resulta na perda dos três pontos. Ao rodar a bola insistentemente, o time exige dos jogadores concentração plena. Léo Duarte não teve essa habilidade e quase comprometeu a vitória. Perdeu a bola para Bruno Henrique no fim, e fez pênalti em Gabigol. O enredo do aniversário do Flamengo parecia comprovar que a fase não anda boa. Mas o camisa 10 do Santos cobrou mal a penalidade, e César pegou, roubando a cena no Maracanã.

O Flamengo volta a campo no domingo, diante do Sport, fora de casa. Sem Diego, Rodinei e Pará, suspensos pelo terceiro cartão amarelo. Voltam de suspensão Willian Arão, Renê e Lucas Paquetá. O trio fez falta para a manutenção da postura tática do Flamengo. Que ficou mais exposto e não ofereceu tanto perigo mesmo com mais posse de bola. Nos quatro jogos restantes, cabe ao técnico Dorival Júnior, que já sabe que dificilmente fica para 2019, deixar algum legado a se aproveitar pelo elenco que permanecer no Flamengo para comemorar mais um aniversário. O dia foi de festa, o ano, longe disso.

Nos quatro jogos restantes, cabe ao técnico Dorival Júnior, que já sabe que dificilmente fica para 2019, deixar algum legado.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget