A prepotência dos clubes diante de propostas do Flamengo

DRIBLE DE CORPO: Marcos Paulo Lima

Meu avô Ludegardes Paiva de Lima, o seu Deco, adorava contar histórias de Francisco Horta, ex-presidente do clube do coração do pai do meu pai — o Fluminense. A resenha preferida era falar do troca-troca entre os clubes cariocas nos anos 1970. Ideia revolucionário do Horta, claro. Para driblar a falta de dinheiro, os times trocaram jogadores.

O Fluminense cedeu ao Flamengo o goleiro Roberto, o lateral Toninho e o ponta-esquerda Zé Roberto. Em contrapartida, recebeu o goleiro Renato, o lateral-esquerdo Rodrigues Neto e o centroavante Doval. Cedeu Abel, Zé Mário e Marco Antônio ao Vasco e o cruz-maltino mandou Miguel mais uma compensaçào em dinheiro. Manfrini e Mário Sergio seguiram para o Botafogo e o alvinegro compensou com Dirceu. Vovô Deco adora a história por um motivo simples: o Fluminense foi campeão carioca em 1976. O troca-troca pegou e se repetiu mais uma vez no fim daquele ano.

Dedé - Foto: Divulgação
Se meu avô Deco estivesse vivo, lamentaria a calmaria do mercado brasileiro. O maior pecado capital da janela de transferências tem sido a inveja. Poucas vezes se cobiçou tanto o que é do próximo. Os antídotos aos olhos grandes são a vaidade e a avareza. O risco de ter o orgulho ferido impede o fechamento de grandes negócios neste mês de dezembro. Em último caso, os cartolas preferem topar oferta do exterior a reforçar um potencial concorrente. Troca é praticamente palavra proibida.

O suposto interesse do Flamengo em Felipe Melo causou efeitos colaterais no Palmeiras. Um certo mimimi até por parte do clube mais rico do futebol brasileiro. O volante ficará por lá.

O assédio do Flamengo ao zagueiro Dedé deixou o Cruzeiro em pânico. O time mineiro decidiu blindá-lo. Diz que o beque é inegociável. A Raposa também sofre fortes ataques do Grêmio pelo meia Thiago Neves. Em contrapartida, a diretoria celeste pensou em levar Luan de Porto Alegre para Belo Horizonte. Cogitou tirar Diego do Ninho do Urubu. Por falar no rubro-negro, o Flamengo sonhou com Luan. Ao que parece, tirou o pé do acelerador.

Os torcedores do São Paulo querem Rodrigo Caio longe do Morumbi. Porém, rejeitam a possibilidade de vê-lo, por exemplo, no Grêmio. O Santos torce o nariz para a oferta do Flamengo pelo atacante Bruno Henrique. O Botafogo deu um pulo ao escutar os boatos de que o goleiro Gatito havia sido sondado pelo arquirrival rubro-negro.

Vovô Deco diria que a solução nesse tempo de mercado travado seria aquela ideia revolucionária do Francisco Horta usada no futebol carioca nos anos 1970. Quem sabe…

O suposto interesse do Flamengo em Felipe Melo causou efeitos colaterais no Palmeiras. Um certo mimimi.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget