"Quem joga no Fla precisa se acostumar com pressão", diz César

LANCE: César terminou 2018 como titular do Flamengo. Assumiu a vaga quando o time rubro-negro passava pelo, talvez, momento mais conturbado da temporada e permaneceu após um ato de indisciplina de Diego Alves. Depois do ano sem conquistas e com a mudança da diretoria - o presidente Rodolfo Landim assume na última terça-feira - o jovem tem ciência da pressão que o grupo terá em 2019, mas, há quase uma década na Gávea, ressalta estar acostumado.

- Quem joga no Flamengo precisa se acostumar com uma grande pressão. Eu tenho mais de nove anos no clube e aprendi isso logo no início. Vestir o camisa do Flamengo é algo muito especial e é preciso assumir essa responsabilidade ciente de tudo que ela envolve - ressalta.

Foto: Gilvan de Souza
O camisa 37 admite que o 2018 do Flamengo teve erros, mas avalia a temporada como positiva, admite entender as reclamações vindas da arquibancada e afirma que o trabalho é para que o ano que começa seja perfeito.

- Fizemos um grande ano, de muito trabalho e com mais pontos positivos que negativos. Terminamos com a melhor campanha da história dos pontos corridos do Flamengo, chegamos numa semifinal de Copa do Brasil pelo segundo ano consecutivo. Lógico que há pontos a serem melhorados e que queremos ser campeões sempre. Entendemos as cobranças e as críticas, e estamos procurando dar o nosso melhor para que em 2019 possamos ter um ano perfeito. Este é o nosso principal objetivo - disse.

Quando César ganhou oportunidade, o Flamengo havia acabado de cair na semifinal da Copa do Brasil, após a derrota para o Corinthians, (já havia se despedido antecipadamente do Carioca e Libertadores) e restavam 12 rodadas do Campeonato Brasileiro. O time rubro-negro estava fora, inclusive, do G4. Maurício Barbieri foi trocado por Dorival Júnior no comando da equipe e o goleiro Diego Alves havia acusado uma lesão.

- Eu costumo dizer que, na nossa profissão, precisamos estar preparados sempre, independentemente da circunstância. Eu sempre pensei dessa forma e procurei trabalhar bastante para que, quando a oportunidade surgisse, eu pudesse aproveitar da melhor forma possível. Não é fácil assumir essa responsabilidade num momento como esse, mas eu estava pronto para tudo isso - disse.

'Sempre tivemos uma relação sadia'

A situação de Diego Alves no Flamengo ainda é uma incógnita. O vice-presidente de futebol Marcos Braz, em oportunidades anteriores, afirmou contar com o goleiro para este ano, assim como o presidente eleito Rodolfo Landim, que disse querer conversar com o goleiro pessoalmente. Já houve contato entre o clube e pessoas ligadas ao jogador, mas as conversas ainda estão em andamento.

César, por sua vez, torce para que Diego Alves permaneça na Gávea, salientando que a relação deles sempre foi boa.

- Não cabe a mim analisar essa situação, mas sempre tivemos uma relação sadia. Como profissional, quero estar atuando sempre e vou fazer o máximo pra permanecer assim, da mesma forma, tenho certeza que ele também quer. Mas sempre respeitando um ao outro como profissionais e isso é fundamental. Ele é um cara querido por todos nós. Esperamos que tudo se resolva da melhor forma possível - disse.

Diego Alves o procurou para uma conversa depois da recusa em acompanhar o elenco rubro-negro para Curitiba. Segundo César, não há rancor e já está tudo acertado entre eles.

- Foi um papo tranquilo. Ele ficou preocupado de que talvez eu pudesse ter ficado ofendido, mas, de coração, não fiquei. Nos abraçamos e ficou tudo bem, como já estava. Eu admiro o Diego e sempre tivemos uma boa relação. Torço muito por ele sempre.

O jovem, porém, afirma não ter tido pressão a mais diante dos ocorridos e procurou aproveitar a chance.

- Não enxerguei como uma espécie de pressão extra. Como disse, preciso estar preparado sempre. Surgiu essa chance de jogar e eu tentei aproveitar da melhor forma possível. Felizmente, acredito ter cumprido meu papel e ajudado o Flamengo.

Goleiros da base

Com Diego Alves afastado do elenco, o Flamengo terminou a temporada tendo à disposição da comissão técnica três goleiros vindos da base: César, Thiago e Gabriel Batista. O camisa 37 faz elogios ao trabalho de formação realizado nas categorias inferiores.

- É uma sensação muito boa. São todos goleiros muito promissores, vindo das categorias de base do Flamengo. É excelente o convívio. Procuramos nos ajudar sempre. É bom conquistarmos esse espaço pros goleiros da base. O que nos ajuda muito, é o fato de ter dois excelentes preparados de goleiro, que contribuem tanto pro nosso crescimento profissional, como no dia a dia de trabalho. Maia e Jober tem feito um grande trabalho.

O camisa 37 admite que o 2018 do Flamengo teve erros, mas avalia a temporada como positiva.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget