Se depender da Justiça, o Fla demorará para receber do Cruzeiro

COLUNA DO FLAMENGO: Por: Venê Casagrande

Flamengo e Cruzeiro protagonizam briga jurídicial por conta de Mancuello desde o início de outubro. O argentino foi comprado pela equipe mineira em janeiro de 2018. Porém, até então, grande parte da dívida não foi quitada. O Fla, inclusive, deu entrada no Conselho Nacional de Resolução de Disputas (CNRD), que estabeleceu um novo prazo para que o Cruzeiro realizasse o pagamento de R$ 4 milhões, considerando juros e mora. No entanto, o caso foi negligenciado pela Raposa em mais de uma ocasião, gerando desgaste com o Rubro-Negro.

Quais as medidas tomadas pelo Flamengo?

Para receber a quantia, o Flamengo deu entrada no CNRD e entrou em acordo para que o Cruzeiro realizasse o pagamento. Após a equipe mineira não cumprir o compromisso novamente, o Fla retornou ao CNRD, solicitando a penhora do título da Copa do Brasil, no dia 14 de outubro.

Mancuello treinando no Cruzeiro - Foto: Divulgação
Recesso do órgão atrasou resolução

O Flamengo aguarda o julgamento do CNRD, porém, até hoje isso não ocorreu. O Fla, aliás, precisará de (ainda) mais paciência para a resolução do caso. Isso porque o órgão entrou em recesso no dia 18 de dezembro e retornará apenas em 20 de janeiro. Até lá, não haverá novidade alguma.

Caso decisão do CNRD beneficie o Fla, a história ainda não deve ser finalizada

Sem ter recebido os valores pela venda do argentino, a tendência é que a decisão do CNRD seja favorável ao Rubro-Negro. No entanto, isso não significa que questão judicial chegará a seu fim. Isso porque, o Cruzeiro terá como recorrer ao Centro Brasileiro de Mediação de Arbitragem (CBMA), que corresponde à segunda instância.

Se isso acontecer, o caso sairá das mãos da CBF, afinal, diferente do CNRD, o CBMA é um órgão independente. Vale frisar também que, ao contrário do que pode se imaginar, o imbróglio judicial não pode ir à Fifa. A entidade máxima não se envolve na questão, por se tratar de uma disputa entre clubes do mesmo país.

Caso é pauta em transição jurídica do Flamengo

O Departamento Jurídico do clube não fica imune à transição de diretorias, e o ‘caso Mancuello’ está entre os assuntos em pauta. Bernardo Assioli, diretor jurídico, realiza o processo junto a Rodrigo Dunshee, novo vice-presidente geral do clube. A decisão de deixar o Flamengo partiu do próprio Assioli, que pretende se dedicar à carreira profissional como advogado. Sendo assim, logo após o retorno das atividades no CNRD, os novos responsáveis pela pasta terão totais condições para dar sequência na resolução do imbróglio.

O caso foi negligenciado pela Raposa em mais de uma ocasião, gerando desgaste com o Flamengo.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget