Flamengo Resenha


Últimas Notícias

UOL: Há uma explicação para o Flamengo decidir fazer jogo duro com a Globo na negociação: a cota do Estadual oferecida pela emissora representa entre 2% e 3% da receita do clube para 2020. O clube entendeu que, como o que ganharia com a competição não faria tanta diferença, poderia pedir um valor maior pelo acordo. Além de deixar de ganhar o dinheiro, o clube rubro-negro administra junto aos patrocinadores à redução de exposição em TV Aberta durante quatro meses.

Em seu orçamento para 2020, o Flamengo não incluiu nenhum valor a ser ganho como cota de TV pelo Estadual. Era uma prevenção. Na última renegociação, em 2016, o clube precisava dos R$ 15 milhões dos direitos da competição para poder fechar as contas do ano. Por isso, aceitou o mesmo valor dos outros grandes.

Foto: Paula Reis
Em relação aos patrocinadores, a diretoria rubro-negra entende que consegue dar retorno aos parceiros em outras mídias, graças à penetração do clube em redes sociais. Atualmente, o Flamengo tem 28 milhões de seguidores em diversas plataformas, com liderança folgada entre os times nacionais.

Os dirigentes do clube, porém, reconhecem que obviamente haverá uma perda com a ausência da Globo. Explicaram para os parceiros que não fecharam com a emissora porque não houve reajuste, como ocorreu com as propriedades da camisa do clube. Por isso, o clube apresentou três propostas à Globo com modelos diferentes para tentar atingir o valor desejado - os detalhes dessas três propostas são tratados de forma sigilosa. A emissora não topou nenhuma.

Sub-20 dificulta pressão por proposta da Globo

Enquanto não fechava acordo com a Globo, o Flamengo utilizava um time sub-20 nos primeiros jogos do Estadual. O motivo era a necessidade de dar férias aos titulares após a disputa do Mundial de Clubes.

Essa decisão, porém, gerou especulações. Será que o clube rubro-negro tentava esvaziar a competição? Não é bem assim. A presença dos garotos em campo, na realidade, atrapalha a estratégia da agremiação rubro-negra de pressionar a emissora por um acordo, já que o time titular é bem mais atrativo.

Dentro da diretoria do Flamengo, há uma instrução do presidente Rodolfo Landim de disputar para valer o Estadual. O objetivo é ganhar. E há a intenção de atrair torcedores para os jogos com o elenco principal, que deve estrear diante do Resende, no próximo domingo. A aposta é de que, com os titulares em campo, haverá maior interesse pelas partidas rubro-negras e, consequentemente, pressão sobre a Globo para fazer uma nova proposta.

Nunca houve intenção da diretoria do Flamengo de boicotar o Estadual deliberadamente. Até porque ele é visto como uma fonte de receita alternativa ao Brasileiro. Seu técnico, Jorge Jesus, no entanto, tem dito que a competição serve como uma espécie de pré-temporada para um ano desgastante. E que tem outras prioridades.

Do lado da Globo, há a percepção de desvalorização do Estadual com o uso de reservas não só pelo Flamengo, como por Botafogo e Vasco. Por isso, não é visto como plausível que o campeonato tenha a mesma valorização do Brasileiro como quer a diretoria rubro-negra. A interlocutores, aponta-se uma contradição entre o discurso de Jesus de que o Carioca é uma pré-temporada e o pedido do clube por mais dinheiro.

Quanto a Globo perde sem o Flamengo

Qual o impacto de não fechar com o Flamengo? Para a Globo, o principal prejuízo é a (possível) debandada de assinantes do pay-per-view, um ponto sensível para a emissora. A torcida rubro-negra, pela pesquisa feita com assinantes, representa 18% dos compradores. O tamanho do impacto sobre os pacotes, no entanto, ainda não pode ser verificado.

A questão é que a Globo já sofre com uma queda de assinantes no PPV durante o período dos Estaduais com a queda do interesse. Para piorar, há uma avaliação de que o Carioca começou com ainda menos prestígio por conta dos reservas, o que piora o desempenho das vendas de pacotes fechados. Por enquanto, ainda não é possível saber se ocorreu uma debanda de fato de torcedores do Flamengo — mas foram feitas campanhas de cancelamento em redes sociais.

Em relação às outras receitas, não há impacto imediato. Na TV Aberta, a Globo vendeu seu pacote de publicidade para anunciantes no ano passado. A intenção da emissora é disponibilizar um calendário de jogos o ano inteiro com os principais times, mas não há obrigação de incluir todos os torneios. A avaliação interna é que a empresa já perdeu outros direitos, como Champions e parte da Libertadores, e esses anúncios não foram afetados.

É preciso lembrar que a Globo também terá uma economia com a falta de acordo com o rubro-negro. Deixa de pagar R$ 18 milhões para o clube, e outros R$ 18 milhões que serão descontados do contrato. Quem perderá essa fatia de dinheiro são os times pequenos, que terão cotas reduzidas.

“Não é a primeira vez que há uma discussão nesta linha. O que há de diferente é o fato de um clube não ter este recurso previsto no orçamento. Isso diferencia o Flamengo dos casos anteriores. Os clubes já perceberam que são grandes produtores de conteúdo. Isso não acontecia no passado” - Pedro Daniel, diretor-executivo da empresa de consultoria EY.

Flamengo fora da TV ameaça futuro do Estadual?

Em reunião na semana passada, com todos os dirigentes de clubes e a Globo, o presidente do Bahia, Guilherme Belintani, defendeu que se acabasse com os Estaduais para direcionar o dinheiro da TV para o Brasileiro. Essa discussão é, de uma certa forma, o pano de fundo do impasse entre a Globo e o Flamengo. O clube quer ganhar igual o ano inteiro, e a emissora entende que atualmente as competições regionais dificultam a expansão de receita no futebol.

Por que? O grande potencial de aumento de receita do futebol brasileiro é o pay-per-view, que tem queda de arrecadação no período dos Estaduais. Por isso, desde o final de 2018, a Globo tem defendido que o Brasileiro passe a ser jogado por dez meses, com as competições menores colocadas nos intervalos.

Ora, esse é um dos motivos de a emissora não ter topado pagar os valores pedidos pelo Flamengo. Ao mesmo tempo, o clube não tem como estratégia desprestigiar o Estadual.

O impasse serve para avaliar o valor do Estadual, mas essa verificação só vai ser definitiva nas renovações de contratos como o do Paulista, que acaba em 2021. Há a perspectiva de novos veículos, como o Youtube, Facebook e DAZN, entrarem na concorrência por direitos das competições. Isso pode reverter a tendência de desvalorização dos Estaduais, ou então torná-los irrelevantes, se não houver disputa pelos direitos.

“A consequência natural é que o produto seja rediscutido. Mas temos de lembrar que uma competição é mais forte que a questão individual dos clubes. Essa balança é difícil de equalizar” - Pedro Daniel, diretor-executivo da EY.

UOL: Negociações de televisão entre clubes e a emissoras de televisão costumavam ter renovações automáticas de contrato ou concorrência limitada até 2015. As conversas relacionadas ao Brasileiro em 2016 mudaram esse panorama e empoderaram os clubes na negociação.

Primeiro, foi o Athletico-PR.

Depois, o Palmeiras.

Agora é a vez do Flamengo.

O atual campeão brasileiro e da Libertadores não fechou com a Globo a transmissão do Campeonato Carioca de 2020. Mais do que o efeito em um torneio, é um impasse que traz à mesa de negociações entre clubes e emissoras novos componentes.

Foto: Alexandre Vidal
Primeiro, a diferença entre as propostas dos dois lados é de cerca de R$ 60 milhões: a Globo oferece R$ 18 milhões, cota fixa igual a de outros grandes do Rio. O Flamengo pede R$ 80 milhões.

Segundo, o clube se ofereceu até a comprar direitos da emissora, o que seria inédito.

Terceiro, gera um impacto direto sobre o Campeonato Carioca deste ano —que pode não ter transmissão da final —que pode contaminar, a longo prazo, todos os Estaduais do país.

A proposta do Flamengo de multiplicar por quatro ou cinco vezes o valor a ser recebido tem uma justificativa: ganhar, por jogo, quase R$ 5 milhões, um valor similar ao que ganha pelo Campeonato Brasileiro. O clube simplesmente usou como referência o restante do ano. E ainda luta para receber o pay-per-view do período de quatro meses do Estadual, já que a Globo só paga por oito meses relativo ao Brasileirão.

Para a Globo, a discussão envolve o quanto arrecada com os campeonatos estaduais. E quanto vale a pena pagar por eles. A emissora já tinha aberto mão da Liga dos Campeões da Europa e de partes da Libertadores em 2018 pela concorrência. Deixou Estaduais menores de lado e agora a diretoria descarta chegar ao valor pedido pelo Flamengo.

O principal impacto será sobre seu produto pay-per-view. Mas o tamanho desse efeito é que vai dizer muito sobre o futuro da venda de direitos de transmissão e sobre o calendário do futebol brasileiro.

“É difícil a gente falar que vale mais. Flamengo vale o que Flamengo vale. Se outro clube vale mais ou menos, é problema do outro clube. Não queria entrar especificamente em outro clube. A gente não botou no nosso orçamento o direito de transmissão do Carioca. Essa administração (Rodolfo Landim), se nós não chegarmos a um valor que achamos razoável, a gente não vai fechar. Está zero lá no orçamento. Não tenho esse problema” - Gustavo Oliveira, vice-presidente de Comunicação do Flamengo

FlaTV quer ocupar vazio dos apagões

Um dos objetivos do Flamengo na negociação com a Globo era turbinar a FlaTV, seu canal próprio feito para torcedores. Assim, uma das propostas feitas pelo clube era comprar propriedades da emissora, como direitos sobre jogos do Carioca. A ideia rubro-negra era transmitir os jogos do Estadual no canal do clube.

O problema é que isso afetaria a venda de pay-per-view pela própria emissora, já que a torcida migraria para o canal do clube, que não é pago. A FlaTV, assim como outros canais de clubes, tem crescido em produção de conteúdo e visualizações, mas não trabalha com exibição de jogos cujos direitos são vendidos.

Sem ter o direito de passar o time adversário, o Flamengo tem feito transmissões de rádio que atingem até 3 milhões de visualizações. Há programas pré-jogo e pós-jogo para prender atenção dos telespectadores.

A Globo tem incluído em seus contratos sempre os direitos de streaming das competições. No exterior, clubes têm direitos de passar pelo menos replays das partidas em seus canais.

BLOG DO RODRIGO MATTOS: Há uma discussão em curso entre clubes e a Globo para mudar, novamente, os critérios de premiação da Série A, e uma das propostas envolve tirar dinheiro do campeão. O debate tem como objetivo remunerar os times que forem rebaixados no ano, pois, em 2019, eles ficaram sem a sua cota por posição no Nacional. Uma nova reunião entre os dirigentes deve definir os valores de cada posição.

Pelo novo contrato do Brasileiro, a verba dos direitos de TV aberta e fechada é dividida em três fatias: 40% igual, 30% por exibição e 30% por posição no campeonato. E o critério para as colocações foi de que os quatro times rebaixados não teriam direito a essa fatia.

No ano passado, em uma reunião, o Avaí reclamou que esse critério era injusto. A Globo concordou, já que os times rebaixados participam do campeonato, e passou a estudar uma modificação no critério. Na última sexta-feira, foi apresentada uma proposta aos clubes. Pela ideia da emissora, seria tirado dinheiro de 12 times, do quinto ao 16º. Os quatro primeiros clubes, incluindo o campeão, seriam preservados de perda.

Foto: Divulgação
O campeão do Brasileiro tem direito a R$ 33 milhões de prêmio, valor ganho pelo Flamengo em 2019; o vice ganha R$ 1,6 milhão a menos, e assim sucessivamente até o décimo colocado, como já publicado no blog. Pela fórmula da Globo, esse valor do vencedor do campeonato seria preservado.

Mas, durante a reunião, dirigentes de Palmeiras e Vasco se opuseram a essa primeira proposta. Os dois clubes entenderam que os clubes em todas as posições devem perder para remunerar os rebaixados. Com essa discordância, foi marcada nova reunião entre os clubes para a próxima segunda-feira para debater a divisão do dinheiro. O encontro será no Rio de Janeiro, em local a definir.

Pelo contrato, quem decide a distribuição do dinheiro são os clubes. A Globo pode dar sugestões e participar, mas a palavra final é dos clubes. A votação é por maioria. Mas há complexidades no contrato que dão maior poder a alguns times na decisão.

No meio do encontro, o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, chegou a sugerir o fim dos Estaduais, com a transferência do dinheiro da televisão para o Brasileiro. Perguntou para o diretor da Globo, Fernando Manuel, se a emissora iria transferir os recursos gastos com as competições para a Série A. A princípio, ele concordou que a emissora manteria o investimento.

LANCE: No último compromisso do Flamengo com os Garotos do Ninho, Matheus Dantas não estará apto para entrar em campo. O zagueiro de 21 anos está com desgaste físico e, poupado para recuperação, nem sequer foi relacionado para o jogo desta quarta-feira, às 20h30, contra o Fluminense, no Maracanã. O clássico será válido pela 4ª rodada da Taça Guanabara

Nos três jogos até aqui, Dantas foi titular e capitão da equipe alternativa que disputa o Estadual, sob o comando de Maurício Souza. O jovem defensor tem apresentado um bom futebol, porém tem sofrido com contratempos físicos. Por motivos distintos, teve que ser substituído de todas as partidas do Carioca.

Thiago durante treino do Flamengo - Foto: Alexandre Vidal
O técnico Mauricinho respondeu sobre Dantas na última entrevista coletiva, após a vitória por 3 a 2 sobre o Volta Redonda. A falta de ritmo pode estar pesando.

- Acho que a gente não pode ir na linha da forma física. O Dantas teve três problemas diferentes, indisponível, depois pancada no tornozelo e, hoje, câimbra. Eu analiso enquanto ele está em campo. (Dantas) Erra pouco, nos confrontos defensivos está muito inteiro e está há quase um ano sem jogar. Não preocupa, confiamos e estamos de olho em tudo que pode acontecer.

No decorrer das partidas passadas, o volante Hugo Moura é quem assumiu a faixa de capitão e a posição na zaga. A aguardar qual será a opção do treinador, que se despedirá dos profissionais nesta noite, já que Jorge Jesus e o grupo principal, junto aos reforços, voltam à ação na próxima segunda (3), contra o Resende.

THIAGO É NOVIDADE

Por outro lado, Thiago Fernandes, contratado junto ao Náutico em dezembro, foi relacionado e pode fazer a sua estreia pelo Rubro-Negro. O jovem atacante de 18 anos, a princípio recrutado para a equipe sub-20, tem passagem pela Seleção Brasileira de base e destacou nas primeiras exibições pela equipe principal do Timbu.

REDAÇÃO RUBRO-NEGRA: Por Jerônimo Simeão Júnior

O grupo Globo sabia que sofreria pressão para fechar com o Flamengo pelos direitos de transmissão do Campeonato Carioca.

A pressão até o momento se mantinha controlada, já que o clube estava escalando o time sub-20 no campeonato e com isso não chamando tanta atenção para si.

Mas o jogo virou. O Flamengo anunciou que vai colocar o time principal à partir da próxima rodada do Carioca.

Todo mundo quer ver o time de Jesus, atual campeão da Libertadores e do Brasileiro.

Todo mundo quer ver os novos contratados que tornaram o elenco campeão de 2019 em um time ainda mais forte para 2020.

Mais do que a pressão dos torcedores… a Globo sofre pressão dos patrocinadores.

Foto: Divulgação
Ao fechar o patrocínio do Carioca e das demais competições esportivas, os patrocinadores tinham em mente que o clube que dá maior retorno estaria presente.

Não aconteceu. E eles cobram uma posição da Globo, afinal o Flamengo fazia parte do pacote. Patrocínio tem que gerar retorno, senão é caridade.

Já a FERJ, perdeu a grana da TV, perdeu prestígio em seu campeonato e vê ameaçado os seus patrocínios para o ano que vem, já que para esse ano os patrocinadores já haviam sido fechados.

O Flamengo já mostrou que não depende dessa grana, que representa apenas 2,5% da sua receita, e vai esticar a corda para ver seus direitos e seu tamanho serem respeitados.

O Flamengo que falava em 81 milhões aceita negociar por um valor um pouco menor, mas para ter o clube que te dá maior retorno em audiência, a Globo sabe que vai ter que coçar o bolso.

Afinal, a debandada do pay per view já ligou um belo sinal de alerta…

GLOBO ESPORTE: O Flamengo anunciou oficialmente na noite de terça-feira que o zagueiro Pablo Marí deixará o clube rumo ao Arsenal. Os detalhes da transferência ainda não foram confirmados, mas o Rubro-Negro publicou em suas redes sociais na manhã desta quarta um vídeo de despedida do jogador, com momentos de destaque do defensor na temporada e, no fim, os dizeres: "Obrigado, Marí".

Em função da saída de Marí, o Flamengo também anunciou a contratação do zagueiro Léo Pereira, que estava no Athletico Paranaense. Na mesma postagem que inclui o vídeo, o clube diz:

"Chegou a hora de nos despedirmos desse zagueiro que chegou ao Flamengo para deixar a sua marca na nossa história com os títulos da Conmebol Libertadores e do Campeonato Brasileiro. Pablo Marí, obrigado por tudo".

Veja abaixo o vídeo de Pablo Marí divulgado pelo Flamengo:

GLOBO ESPORTE: A longa negociação entre Flamengo, Gabigol e Inter de Milão durou quase dois meses, mas se encerrou na última terça-feira. E com saldo positivo para o Rubro-Negro, que conseguiu conter uma possível inflação do preço do atacante, valorizado após brilhar na final da Libertadores.

O GloboEsporte.com teve acesso aos detalhes do acordo entre Flamengo e Inter de Milão. Ao todo, o Rubro-Negro vai pagar pouco menos de 17 milhões de euros por Gabigol, em parcelas anuais ao longo dos cinco anos de contrato com o atacante, por 90% dos direitos econômicos do atleta.

Foto: Alexandre Vidal
O Flamengo ainda terá a possibilidade de adquirir os 10% restantes, que ficaram com a Inter de Milão. O clube tem a prioridade para a compra deste percentual, caso o atacante alcance metas determinadas no contrato. Entretanto, não há obrigatoriedade para que isso aconteça.

Gabigol chegou ao Rio de Janeiro na manhã de terça-feira e já se juntou aos companheiros de Flamengo. O atacante assinou contrato de cinco anos com o clube. Ele foi o artilheiro rubro-negro em 2019, com 43 gols marcados.

LANCE: O atacante Bruno Henrique está de contrato renovado com o Flamengo e "se sentindo em outro patamar", afirmou em vídeo publicado nesta quarta, nas redes sociais do clube da Gávea. O acerto entre as partes pela extensão do vínculo até 2023, como o LANCE! publicou na terça, foi oficializado pelo clube.

- Nação, é com imenso prazer que venho anunciar a renovação de contrato com o Flamengo até 2023 - afirma BH27, antes de responder como se sente:


- Me sinto... em outro patamar (risos)! - citando a frase dita por ele mesmo - e que caiu nas graças da torcida do Flamengo -, durante as comemorações pelos títulos do Campeonato Brasileiro e da Copa Libertadores na última temporada.


Na terça-feira, o seu empresário, Dênis Ricardo, esteve no Ninho do Urubu para que os últimos ajustes fossem alinhados. Cobiçado pelo mercado chinês, Bruno Henrique, além da renovação, recebeu um reajuste salarial, o tornando um dos mais bem remunerados do elenco.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget