Samir revela assistir jogos do Flamengo e diz: "Acredito no título"

ESPORTE 24 HORAS: Por Jorge Abel Costa

Desde que ganhou a Copa do Brasil de 2013, o Flamengo não conseguiu mais conquistar nenhum título de expressão. Nos últimos anos, o clube bateu na trave na Sul-Americana e Copa do Brasil. Mas, em 2018, o foco é no Brasileirão. Na vice-liderança, a equipe carioca busca de todas as formas terminar a temporada soltando o grito de “É campeão”. Embora o Palmeiras esteja controlando as ações, Samir acredita em um final feliz rubro-negro.

“Eu acredito no título brasileiro. O time tem muita qualidade, apesar da queda de produção no meio do caminho. Mas conseguiu se reerguer e, se deixarem, vai conquistar mais esse título para Nação. Sempre que consigo, eu acompanho os jogos”, afirma.

Samir, zagueiro da Udiense - Foto: Emilio Andreoli/Getty Images
Além de recordar sua passagem pelo Flamengo, em entrevista, ao Esporte 24 Horas, Samir abriu o jogo sobre Vizeu, Paquetá e sua experiência na Itália. Então, siga com a gente e veja o que o zagueiro falou sobre cada ponto.

Paquetá no Milan

No começo mês, de modo surpreendente, Lucas Paquetá fechou contrato com o Milan. A negociação gerou muitas dúvidas, principalmente, sobre o rendimento do meia no futebol italiano. Há quatro temporadas na Itália, Samir já está ciente dos desafios que um jogador brasileiro tem pela frente no país. Por isso, o defensor espera dificuldades no início da trajetória. Por outro lado, confia no potencial de Paquetá.

“Vai ser um grande desafio para o Paquetá. Mas, tenho convicção de que ele vai corresponder à altura. Ele tem muita qualidade e o Milan soube investir. Pelo que acompanho, ele tem sido o melhor jogador em atividade no futebol brasileiro. Por isso, Tem tudo para ser sucesso aqui na Europa”, avalia.

Vizeu recém-chegado

Outro que chegou recentemente ao futebol italiano foi Felipe Vizeu. Embora tenha ficado pouco tempo no profissional rubro-negro, o atacante já conquistou sua primeira oportunidade na Europa. Aliás, Vizeu chegou para fazer companhia à Samir, na Udinese. Mesmo que já se conhecesse do Fla, os dois atletas não tiveram a chance de estabelecer uma amizade. Mas, isso mudou assim que o jovem chegou à Itália. Hoje, amigos, Samir elogia o atacante.

“O Vizeu é um jogador de muito talento, chegou há pouco tempo, está se adaptando ainda. Porém, no nosso dia a dia eu digo a ele para ter paciência. Pois, a hora vai chegar. E, quando chegar, vai se firmar, porque tem qualidade de sobra. Desejo muita sorte à ele e ao Paquetá. Espero que os dois trilhem o mesmo caminho de sucesso que tiveram no Flamengo”, deseja o defensor.

Além disso, Samir revela o conselho que dá diariamente à Vizeu. 

“Digo “tenha tranquilidade e cabeça no lugar porque sua hora vai chegar e você tem que estar pronto.” Somos quase sempre os últimos a sair do clube. Lá na frente isso será compensado”, garante Samir.

Conselhos de Samir

Assim como Paquetá e Vizeu, Samir chegou jovem à Itália. Por isso, acabou sofrendo na adaptação ao país. Atualmente, com 23 anos, o defensor se considera mais experiente e pronto para aconselhar a dupla que está chegando. De acordo com o jogador, o primeiro ato tem que ser aprender a língua local.

“Primeiro, aprendam rapidamente a língua, o que é essencial nessa fase. O Vizeu me surpreendeu bastante, por não ter vergonha de se expressar. Está se esforçando e aprendendo bem a cada dia. O italiano gosta que o estrangeiro aprenda a língua deles e reconhece isso”, revela.

Além disso, Samir conta que outro ponto é muito importante na Itália: comprometimento tático. De acordo com o defensor, a rápida compreensão do que o treinador quer ajuda muito na projeção de carreira dos jogadores.

“Segundo, entendam o que o treinador quer em termos de posicionamento e tática. Eles levam isso muito a sério aqui. Não basta ter só qualidade, tem que ter disciplina tática. Por tudo isso, eu garanto, o Vizeu já está bem encaminhado”, declara.

Seleção Brasileira

Nos últimos anos, jogadores brasileiros como Jorginho e Thiago Motta se naturalizaram italianos e viraram peças fundamentais na Seleção local. Atualmente, se fala muito na naturalização do volante Allan, ex-Vasco. Embora a possibilidade exista, Samir não se ilude e prefere focar apenas na Seleção Brasileira.

“Respeito a decisão de cada um, mas o meu foco mesmo é a seleção brasileira. Sou brasileiro com muito orgulho e não tenho a ideia de me naturalizar. Espero um dia ter a oportunidade de ser convocado e servir o Brasil. Por outro lado, não descarto a possibilidade de me naturalizar italiano. Principalmente, para ter o passaporte europeu e facilitar o futuro da minha filha”, afirma Samir.

Futebol Italiano x Brasileiro

Diante da vasta experiência no futebol brasileiro e italiano, Samir conta a diferença entre os estilos. Segundo o defensor, na Itália a responsabilidade tática e a intensidade são os pontos mais marcantes. Além disso, o jogador explica o motivo dos atletas conseguirem maior desenvolvimento na Europa.

“Na Europa, todos ficam muito em cima, controlam a linha de peso toda semana e não deixam ninguém relaxar. A intensidade é muito alta. O jogador precisa estar muito bem condicionado. Não tem brecha. A Europa faz o jogador profissional mudar totalmente, tanto na parte tática quanto na parte física. É preciso estar muito bem para suportar a sequência de jogos”, diz.

Embora o Palmeiras esteja controlando as ações, Samir acredita em um final feliz rubro-negro.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget