Davi Rossetto vira símbolo do trabalho coletivo do Flamengo:

LNB: Já era esperado que o Flamengo adotasse um estilo de jogo bastante coletivo na temporada 2018/2019, tendo em vista que seu novo treinador, Gustavo De Conti, tem essa característica como marca principal de seus trabalhos.

No Clássico das Multidões contra o Corinthians, o plano foi executado com perfeição: pontuação bem dividida, defesa aplicada e uma grande vitória do grupo, por 72 a 64. Mas, se formos apontar um destaque em especial, sem olhar tanto para os números, este é Davi Rossetto, o símbolo do coletivo rubro-negro.

Vindo do banco, o armador contribuiu de maneira bastante efetiva enquanto esteve em quadra e registrou 11 pontos (4/7 nos arremessos de quadra) e quatro assistências, números que lhe renderam 13 de eficiência.


Mais do que os números apresentados, Davi deu à equipe coisas que as estatísticas não mostram: energia, pegada e intensidade muito grandes durante seus 26 minutos em ação, tanto no ataque quanto na defesa.

No período em que esteve em quadra, o camisa 5 atuou muitas vezes ao lado do armador titular Franco Balbi e deixou o ataque rubro-negro bastante dinâmico, além, é claro, de aproveitar as brechas da defesa do Corinthians para pontuar.

“Sempre podem esperar de mim um cara com confiança e agressividade. Sei do meu papel na equipe. Sei que os adversários vêm jogar contra o Flamengo preocupados em como marcar o Marquinhos, Deryk, Varejão… e é normal que a estratégia deles seja dar mais volume para os armadores, que são os responsáveis por controlar o jogo, ainda mais para o reserva, que sou eu. Por isso tenho que estar preparado para corresponder e ser uma boa alternativa ofensiva, que possa dar conta do recado quando a opção do adversário for dar mais volume para mim”, falou Davi.

Por mais que não seja o armador titular, Davi sabe que sua função é de extrema importância no Flamengo. Seu técnico, Gustavo De Conti, promove uma alta rotação entre os atletas disponíveis e, por isso, dá minutos àquele que estiver bem.

Muitos até acham excessiva a quantidade de trocas que De Conti promove em suas equipes – cada um tem uma visão, não é mesmo? – mas Rossetto defendeu seu comandante dizendo que toda troca tem uma estratégia por trás.

“Pode até parecer que o volume de trocas do Gustavo (De Conti) seja grande, mas toda troca tem um propósito. Não é simplesmente trocar por trocar. O ponto principal é entender o que ele está buscando naquela troca, se ele quer um time mais alto, mais defensivo, quer explorar isso ou aquilo”, declarou Davi, que acrescentou:

“Também é importante que estejamos descansados para seguir com a intensidade alta e principalmente jogar de forma inteligente. Não adianta querer jogar com volume e intensidade se não tiver leitura de jogo. Tudo isso é passado para nós, e a qualidade dele (Gustavo De Conti) e do Fernando (Pereira, assistente) permite que as informações venham ‘mastigadas’ para nós jogadores e a partir daí fica mais fácil explorar o que ele quer. Muitas vezes vemos boas tomadas de decisão de quem está quadra, boas leituras de jogo, mas muitas vezes isso não é mérito só do jogador, pois muitas vezes aquilo já foi passado antes, combinado. Então tudo isso faz com que o jogo flua mais e o trabalho da equipe se desenvolva melhor”, concluiu o armador de 26 anos.

Em seis partidas no NBB CAIXA, Davi Rossetto tem médias de 6,2 pontos, 3,7 rebotes e 3,5 assistências em pouco mais de 22 minutos por partida. Quem vê pode até pensar que são números baixos, e de fato não são lá tão expressivos aos olhos dos viciados por estatísticas, mas seus serviços vão além das médias.

Entrega, raça, dedicação, defesa, correria, passes. Coisas que às vezes os números não mostram. É assim que o baixinho de 1,85m agrega para o Flamengo e vem caindo nas graças da torcida rubro-negra. E vem sendo de pouquinho em pouquinho, jogo a jogo, cada dia mais.

Na vitória sobre o Corinthians na Arena Carioca 1, por exemplo, Davi teve o devido reconhecimento pela grande atuação e foi um dos jogadores mais aclamados pelos torcedores na Arena Carioca 1. Depois do jogo era selfie para lá, autógrafo para cá, abraços, beijos, carinho. Eita sensação boa, hein, Davi?

“É legal demais sentir esse carinho. Sinceramente eu não esperava receber tanto carinho tão cedo. Acho que o fato de eu ser baixinho, diferente do estereótipo do jogador basquete, isso aproxima um pouco do torcedor. Quem vem ao ginásio e ainda não conhece o Davi me vê e pensa: ‘caramba, o que esse baixinho vai arrumar aí?’. Aí, quando você consegue produzir algo interessante no ataque e na defesa, isso te transforma em uma figura carismática e cativante. A partir daí é só retribuir o carinho deles, mas também se cobrar cada vez mais. Sabemos que não é só carinho, é uma responsabilidade muito grande representar essa massa e temos sempre que corresponder à altura”, finalizou Rossetto.

Moral da história: Davi foi realmente o destaque individual do excelente trabalho coletivo do Flamengo e vem mostrando cada vez mais seu valor no grupo.

Mas, a verdade é que, nas próximas partidas, qualquer outro atleta do Flamengo pode aparecer como Davi apareceu no clássico contra o Corinthians, pois o elenco todo está sintonizado na mesma estação e tem capacidade para tal.

Por isso, Davi Rossetto foi como um símbolo do trabalho coletivo que o Flamengo “versão 2018/2019” vem apresentando.

Agora, o próximo compromisso da equipe será na terça-feira (06/11), fora de casa, no Panela de Pressão, às 20 horas, ao vivo na ESPN. E aí, quem será o próximo destaque?

Se formos apontar um destaque em especial, sem olhar tanto para os números, este é Davi Rossetto, o símbolo do coletivo rubro-negro.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget