De 2007 pra cá, Flamengo se saiu melhor sem Bandeira do que com

COLUNA DO FLAMENGO: A gestão de Eduardo Bandeira de Mello, que assumiu a presidência do Flamengo no início de 2013, sucedendo Patrícia Amorim, sofre fortes críticas de torcedores e imprensa pela escassez de títulos de expressão no período – conquistou apenas a Copa do Brasil, em seu primeiro ano. No entanto, o mandatário rubro-negro, que deixa o comando do Urubu no final deste ano, afirmou que antes de sua chegada ao clube, o Mais Querido brigava para não cair para a Série B em todos os anos. O Coluna do Flamengo resolveu checar a informação, e constatou que não é bem assim.

No final de seu mandato, Bandeira terá liderado o Flamengo em seis anos, já que venceu as eleições presidenciais duas vezes, para os triênios 2013-2015 e 2016-2018. A cada ano sob seu comando, essas foram as posições finais do Flamengo na tabela do Campeonato Brasileiro:

2013: 16º lugar
2014: 10º lugar
2015: 12º lugar
2016: 3º lugar
2017: 6º lugar
2018: atualmente em 3º lugar

Foto: Gilvan de Souza
Alguns pontos, no entanto, precisam ser ressaltados: em seus primeiros anos de gestão, o mandato de Bandeia de Mello se caracterizou pela austeridade financeira, visando equacionar as dívidas do clube por meio de cortes de gastos e acordos trabalhistas, entre outros movimentos, para desafogar a situação financeira vivida pelo Flamengo, que chegou a ser calamitosa em diversos momentos. Ainda assim, vale dizer que em 2015, apesar da 12ª posição, não muito próxima da zona de rebaixamento, o Mengo atingiu seu recorde de derrotas na competição: 19, equivalente a metade dos jogos disputados.

Agora, nos seis anos que vieram antes de Bandeira – mesmo tempo de sua presidência -, as colocações do Rubro-Negro ficaram, em sua maioria, acima das estabelecidas nos anos sob seu mandato. Além disso, o único título brasileiro de pontos corridos conquistado pelo clube foi em 2009, quatro anos antes da Chapa Azul assumir o comando da agremiação.

2007: 3º lugar
2008: 5º lugar
2009: 1º lugar
2010: 14º lugar
2011: 4º lugar
2012: 11º lugar

As eleições presidenciais do Flamengo ocorrem, pela primeira vez, em um final de semana. No dia 8 de dezembro, o primeiro sábado após o encerramento do Campeonato Brasileiro, os associados escolherão um dos candidatos para presidir o Rubro-Negro pelo triênio 2019-2021. Concorrem ao cargo Ricardo Lomba, Rodolfo Landim, Marcelo Vargas e José Carlos Peruano.

Dentro de campo, o clube ainda tem cinco jogos do Brasileirão pela frente. O primeiro será na próxima quinta-feira (15), contra o Santos de Cuca, que briga para garantir uma vaga na Copa Libertadores de 2019. Enquanto isso, o Flamengo ocupa a terceira colocação na tabela, com poucas chances de conquistar o título. O duelo está marcado para as 17h (horário de Brasília), no Maracanã.

Ele afirmou que antes de sua chegada ao clube, o Mais Querido brigava para não cair para a Série B em todos os anos.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget