O que esperar de Rodrigo Caio e da zaga do Flamengo em 2019?

FALANDO DE FLAMENGO: Por Thiago Nascimento (@t_nascimentorj)

Tenho uma resistência para falar sobre especulações. Afinal de contas, eu acho uma Canalhice falar de contratações inexistentes. Esse tipo de expediente, é o famoso faz tudo pela audiência“. Então… em respeito as pessoas que vêm aqui ler o que eu escrevo, eu jamais agirei assim.

Além de não ser justo, não é da minha índole caçar cliques a todo custo. Além disso, também sou torcedor. Portanto, eu não gostaria que agissem assim comigo. Por isso, eu respeito a galera que vêm aqui ler a minha humilde opinião.

Mas… como o C.R.F. anunciou a contratação do já citado zagueiro, eu me sinto a vontade para dar a minha opinião sobre o jogador. Então… vamos lá:

Rodrigo Caio na Seleção Brasileira - Foto: Laurence Griffiths/Getty Images
Rodrigo Caio é um zagueiro no qual muitas pessoas depositaram uma grande expectativa quando ele começou a atuar no futebol profissional do São Paulo.

Muitos acreditavam que ele poderia se destacar no time paulista e chegar a zaga titular da seleção brasileira rapidamente.

Apesar desse fato não ter se concretizado rapidamente, Rodrigo foi campeão olímpico vestindo a bonita camisa da seleção brasileira em 2016.

É claro que essa competição não tem o mesmo peso da conquista de uma Copa do Mundo, mas é inegável que participar de um grupo vencedor como esse, que conquistou um título inédito para o país e que tal competição foi sediada no Brasil… sem dúvida, é uma experiência muito interessante e que com certeza, será útil durante a sua passagem pelo Flamengo. Afinal de contas… atuar com a camisa da seleção brasileira em pleno território Brasileiro e ainda ser campeão, é uma oportunidade para poucos. Isso sem contar a pressão popular e da mídia, que é enorme.

É bem verdade que o novo zagueiro Rubro Negro não vinha apresentando um futebol de alto nível nos últimos tempos. Provavelmente, um fato que contribuiu para que muitas pessoas tivessem uma indisposição com o seu futebol… talvez tenha sido o lance no qual Rodrigo agiu de forma justa em um clássico paulista ao dizer que tocou na bola. Atitude essa, que acarretou na anulação do cartão amarelo do atacante adversário.

Eu sempre achei que o Fair Play no futebol, nunca existiu. E a minha opinião vale para dentro de campo e fora dele.

Sei que dificilmente ele terá essa reciprocidade de algum jogador rival. Porém… acredito que ele tomou essa atitude por instinto. Até achei interessante um profissional do esporte agir dessa forma.

Na época, eu não vi nenhum para criticar o cara. Mas… infelizmente, o cara foi massacrado por muita gente.

Mas… o que poderíamos esperar de um país no qual jogadores de futebol de todas as idades passam os 90 minutos se jogando a todo momento no chão pedindo pênalti ou falta? Ou que inventam que foram agredidos e rolam no chão aos berros simulando uma dor descomunal? e que também… após cometerem alguma infração… xingam, gritam e partem pra cima de árbitros e bandeirinhas de uma forma que parece que vão agredí-los?  Realmente… uma atitude honesta como essa, seria rapidamente repelida por esse pessoal.

Isso sem contar a imprensa esportiva 7×1 que desceu o sarrafo no cara. Se isso tivesse ocorrido lá fora, a puxação de saco seria enorme. A cagação de regra desse pessoal, seria gigantesca. O papinho de que tal atitude deveria ser seguida no Brasil… iria proliferar aos montes nas tais mesas redondas.

Mas como ocorrido foi aqui no Brasil, a maior parte da imprensa esportiva 7×1 achou que a atitude do jogador foi ridícula (pasmem!!!).

Infelizmente… esse é o nível do jornalismo esportivo brasileiro.

Quando vemos uma atitude honesta como essa, ser repelida com deboche, raiva e incredulidade… é fácil constatar como tanta gente canalha foi eleita no Brasil nos últimos anos.

Infelizmente… as boas atitudes são tidas como galhofa por muitos. Enquanto que o tal jeitinho brasileiro, é tido como filosofia de vida por essas mesmas pessoas. Esse é o país que vivemos. Tomara que o Brasil melhore daqui pra frente.

Bom… voltando a zaga do Flamengo, é importante dizer que mesmo tendo um bom passe e sendo um jogador veloz, Rodrigo Caio não é aquele jogador de valor técnico incontestável e que será automaticamente o títularíssimo na zaga Rubro Negra. Longe disso. Mas sem dúvida, poderá agregar e muito ao setor defensivo do Flamengo.

Nas últimas temporadas, o Flamengo teve muitos jogadores fracos tecnicamente atuando em sua zaga. E isso fez com que o time ficasse exposto não só na área central da zaga, mas também nas descidas de contra-ataques pelas laterais. Muito em função da fragilidade dos laterais esquerdo e direito. Portanto, além de laterais para os dois lados do campo, o Mais Querido precisa de um xerifão para a sua zaga. Um jogador incontestável não apenas tecnicamente mas também… como um cara que vá liderar o processo de ajuste da zaga. Um cara que ponha moral no sistema defensivo e que acabe com a desatenção da zaga do Flamengo (fato esse, que foi uma constante nas temporadas 2017 e 2018).

Na atual temporada, Rodrigo Caio jogou muito pouco. Foram apenas 23 partidas e marcou dois gols. Com certeza, é um número baixo de partidas se levarmos em conta a quantidade de partidas que compõem uma temporada inteira aqui no Brasil.

É claro que existe o fator “lesão”. Entretanto, é fato que o Flamengo está fazendo uma aposta (levando em consideração a temporada de 2018 do atleta).

Eu esperava que o Flamengo contratasse excelentes zagueiros e muitos experientes. Afinal de contas, além do Rodrigo Caio, o Flamengo também tem outras duas apostas em seu elenco (Thuller e Léo Duarte).

O outro zagueiro (Rodholfo) não é um jogador ruim. Porém… não sei se ele aguentará toda a temporada de 2019 como titular. Por isso, o Flamengo precisa contratar urgentemente um xerifão para zaga. Aquele cara que será a referência técnica e moral dentro e fora de campo.

Gestão
Por coerência… acho que a gestão eleita para o triênio 2019-2021 do Flamengo, não tem que manter nenhum profissional que esteja ligado diretamente ao atual DP de futebol do clube.

Até porquê… o tema no qual a gestão eleita mais “bateu” durante o período eleitoral… foi o quesito futebol. Portanto,  eu estou de olho na coerência versus discurso decampanha.

E a Ilha do Urubu?
Após a queda dos postes da Ilha do Urubu, o estádio nunca mais foi utilizado pela equipe profissional de futebol do Flamengo.

Então o meu questionamento é o seguinte:

– Que fim levou a Ilha do Urubu?

– O Flamengo ainda continua responsável por alguma atividade no estádio? Se a resposta for sim, quem fará essa negociação daqui em diante: O CEO do clube? a pasta do futebol? a pasta de patrimônio? a pasta de administração?

– A próxima gestão terá algum profissional do atual mandato e que cuidou da gestão da Ilha do Urubu? Ex: CEO, VPs ou qualquer outro profissional (remunerado ou não)?

Presidente vs CEO
O próprio presidente do Flamengo não poderia ser o CEO do clube? Afinal de contas, os presidentes do Flamengo não são o dono do clube. Logo, quais atividades que um CEO vai exercer e que o presidente do Flamengo não tem capacidade técnica para executa-lá?

Essa é uma dúvida que eu tenho há tempos.

Feliz 2019!
Um Feliz 2019 para todos os leitores e leitoras.

Ano que vem, estaremos juntos novamente nesse espaço para Falar de Flamengo. Sempre colocando o clube, a torcida e o Rubro-Negrismo em primeiro lugar.

Abraços e até a próxima!

Saudações Rubro Negras.


Muitos acreditavam que ele poderia se destacar no time paulista e chegar a zaga titular da seleção brasileira rapidamente.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/xresenhacrf} {twitter#https://twitter.com/FlaResenhaNews} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget