Abel cobra maior identificação dos jogadores com a torcida do Fla

EXTRA GLOBO: A 'fome' de Abel Braga não é maior que a da torcida do Flamengo por títulos e um time com uma nova cara. Em sua apresentação oficial, porém, o treinador lembrou que recebe uma equipe pronta e projetou poucas mudanças de jogadores. Focou na necessidade de se criar uma identidade nova entre equipe e torcida. Discurso alinhado ao da nova administração, que assume com a missão de atingir conquistas expressivas que justifiquem a reorganização financeira do clube.

O recomeço do técnico no clube após 15 anos, e na carreira após a perda do filho, se dá em um Flamengo preparado desde o início da temporada para cobranças por resultados e mudanças. Com comando definido e diretoria formada após transição tranquila, as indefinições sobre a montagem do time caíram no colo do treinador.

Abel está de volta ao Flamengo - Foto: Alexandre Vidal
- O torcedor pode ter certeza que virão alguns jogadores. Precisamos ter um pouco mais de identidade. O torcedor está tendo, do lado de fora. Somos obrigados a ter uma identidade maior com a torcida - frisou o novo treinador, que aguarda as definições sobre negociações com o zagueiro Dedé e os atacantes Bruno Henrique e Gabigol, principals alvos. Arrascaeta, do Cruzeiro, também está no radar. A ordem é trazer jogadores melhores do que os que estão no elenco.

Nos anos anteriores, desde que Muricy Ramalho assumiu em 2016, houve improvisos no comando da equipe em função da saída e demissões de treinadores. Zé Ricardo, Reinaldo Rueda, Carpegiani, Barbieri e Dorival se sucederam sem tempo para planejamento e montagem de elenco. Tempo esse que Abel tem de sobra desde que acertou com o Flamengo em dezembro. O novo treinador também terá disponível mais recursos que seus antecessores para trazer alguns reforços - R$ 100 milhões para contratar em 2019. Para Abel, porém, falta mesmo é algum "detalhe invisível"que ele tentará encontrar durante os trabalhos no campo, para reconectar time e torcida.

- No momento que tem que dar o salto alguma coisa não corre bem. Vamos ter que descobrir. Vou procurar, tentar, identificar e criar uma situação semelhante ao que acontece na arquibancada, no campo. Em 2004 senti isso na espinha. Quando criaram a música ˜Poeira” - lembra, citando a última passagem no Flamengo, marcada mesmo pelo trauma com a perda do título da Copa do Brasil para o Santo André.

Jogadores se reapresentam após recado do treinador

O elenco do Flamengo se reapresenta hoje, mas nem todos que voltam de férias necessariamente ficam no clube em 2019. Na coletiva de apresentação, o técnico Abel Braga deu o recado ao atual elenco.

- Gosto de trabalhar com quem quer estar aqui - avisou.

A frase saiu ao comentar a possibilidade de perder Trauco para o San Lorenzo, da Argentina. O treinado revelou planos ousados para o lateral, até jogar no meio-campo. Mas com necessidade de atuar na posição para atuar na seleção peruana, ele deve sair. Pode até ir para o Santos em troca por Bruno Henrique.

Outra incógnita comentada pelo novo comandante foi Diego Ribas. Elogiado por Abel, o meia tem renovação travada por divergência de valores. Quer aumento. E a diretoria não aceita conceder.

- Meu limite em relação aos meus jogadores é dizer quem eu quero ou não quero. Quanto vai ganhar eu estou fora. Jogador que se identificou com o clube. É um cara de caráter, que se cuida muito, um dos motivos que o Flamengo está onde está se deve muito a ele - avaliou Abel.

O mesmo tom foi usado para o goleiro Diego Alves, para quem o técnico telefonou e passou uma borracha em relação a crise com Dorival Junior ano passado. O goleiro se reapresenta, mas avalia propostas da Europa a partir de janeiro.

- Jogador de seleção, muitos anos de Europa, vamos ver como vai transcorrer. Espero que seja da melhor maneira - pediu Abel.

Além de Trauco, o treinador disse que conta com outros atletas que receberam proposta, caso do centroavante Henrique Dourado. O jogador é homem de confiança de Abel, que disse esperar nova volta por cima, como ocorreu no Fluminense. No Flamengo, Dourado não emplacou e foi para o fim da fila com a chegada de Uribe.

- É uma liderança, com atitudes e não palavras. Ficarei feliz se ele repetir aquele ano. Teve proposta, mas está dentro do grupo e contamos com aquele Dourado de 2017.

Em 2004 senti isso na espinha. Quando criaram a música ˜Poeira” - lembra, citando a última passagem no Flamengo.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/SiteFlaResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget