Lance! elege Uribe e Diego Alves os melhores de Flamengo x Ajax

LANCE: O Flamengo conseguiu um resultado positivo nesta quinta-feira, em sua primeira partida de 2019. Na sua estreia na Florida Cup, a equipe empatou em 2 a 2 com o Ajax mas, nos pênaltis, garantiu uma vitória por 4 a 2.

Veja as atuações para os jogadores.
Por Vinícius Faustini

DIEGO ALVES - 8,0 - De volta à meta do Flamengo após três meses, redimiu-se e mostrou seu cartão de visitas em grande estilo a Abel Braga. Foi providencial ao fazer cinco defesas difíceis e evitar uma derrota para o Ajax. Não teve culpa nos gols sofridos.

Fernando Uribe comemorando gol com jogadores do Flamengo na Florida Cup - Foto: Alexandre Vidal
PARÁ - 4,0 - Atuação bem abaixo da média. Penou para conter as jogadas de Cerny e deixou brechas nas vezes em que a equipe holandesa avançou por seu setor. Além disto, pouco efetivo nas raras vezes em que apoiou o ataque.

RHODOLFO - 5,5 - Embora tenha lutado para conter os avanços do Ajax, acabou envolvido no lance do segundo gol da equipe holandesa. Teve dificuldade para conter as jogadas de David Neres.

LÉO DUARTE - 6,0 - Superior em relação ao seu companheiro, desdobrou-se para conter os avanços da equipe holandesa. Porém, deixou brecha para que Huntelaar balançasse a rede na etapa inicial.

RENÊ - 5,5 - Tentou algumas investidas para Vitinho e Uribe durante a etapa inicial. Contudo, não foi tão efetivo. Na marcação, mostrou firmeza no seu setor, batalhando para conter o ímpeto da equipe adversária.

CUÉLLAR - 6,5 - Capitão enquanto esteve em campo, manteve-se aguerrido e teve bons momentos quando tentou lançamentos para Uribe e Everton Ribeiro. Mas, aos poucos, limitou-se à marcação.

WILLIAN ARÃO - 4,5 - Hesitante na marcação, permitiu que a equipe holandesa avançasse com perigo enquanto ele esteve em campo. Chegou atrasado em muitas investidas do ataque adversário e, no segundo gol, falhou ao proteger a zaga.

DIEGO - 6,5 - Vinha fazendo uma partida oscilante, quando viu sua finalização tornar-se decisiva, graças à conclusão que permitiu o rebote para o gol de Uribe. Ressentiu-se da falta de ritmo enquanto esteve em campo.

ÉVERTON RIBEIRO - 7,5 - Esbanjou qualidade enquanto esteve em campo. Batalhou para dar passes e criar jogadas, exigiu Lamprou em finalizações e deu lançamento primoroso para o primeiro gol de Uribe.

VITINHO - 6,5 - Apresentou um futebol bem voluntarioso, tentando tabelas com Renê. Mais solto e com muito fôlego, deu trabalho à defesa adversária e chegou a levar perigo quando concluiu ao gol da equipe adversária.

URIBE - 8,0 - Aliou senso de colocação e oportunismo para garantir os dois gols do Flamengo no duelo contra a equipe holandesa. No primeiro, marcou um golaço por cobertura na saída de Lampour e, no segundo, aproveitou rebote. Ainda apareceu bem para tabelas e chances. 

RODINEI - 6,5 - Teve dificuldades para conter os avanços de Ekkelenkamp e penou, assim como os demais colegas, com a falta de entrosamento. Além disto, avançou menos do que o esperado. Mas soube ter sangue frio ao converter com convicção sua cobrança de pênalti.

RODRIGO CAIO - 5,0 - Em seus primeiros 45 minutos pelo Flamengo, batalhou muito, mas sentiu dificuldades com a falta de entrosamento e a pressão do adversário. Com o passar do tempo, deve se adaptar melhor.

TRAUCO - 6,0 - Atrapalhou-se em alguns momentos quando tentou armar contra-ataques. Na defesa, deixou brechas e bateu cabeça com Rodrigo Caio, em uma visível falta de entrosamento. Porém, foi firme ao cobrar o seu pênalti.

JEAN LUCAS - 5,0 - Teve altos e baixos na proteção à marcação do Flamengo. Não conseguiu engatar contra-ataques com precisão e viu o Ajax acuar ainda mais a equipe rubro-negra na reta final da partida.

PIRIS DA MOTTA - 6,0 - Nos seus 45 minutos em campo, mostrou nervosismo e abusou em alguns momentos da violência e de arriscadas faltas frontais. Já nos pênaltis, converteu sua cobrança com categoria.

BERRÍO - 7,0 - Empenhou-se nas vezes em que foi lançado no ataque, mas mostrou nítida falta de ritmo e chegou a tropeçar em suas pernas. Redimiu-se em grande estilo na disputa de pênaltis, ao cobrar alto e converter sua cobrança.

HENRIQUE DOURADO - 4,5 - Atuação discretíssima. Além de ser pouco acionado, devido ao cenário no qual o Flamengo estava no segundo tempo, não apresentou-se para tabelas ou para a criação de jogadas.

THIAGO SANTOS - 4,5 - Atuação oscilante com a camisa rubro-negra. Não conseguiu surgir como válvula de escape e pouco acrescentou nos minutos em que esteve em campo. Ficou apenas 27 minutos em campo.

RONALDO - 5,5 - Entrou para dar um pouco mais de  força ao setor defensivo no Flamengo. Manteve a equipe com quantidade, mas não soube criar jogadas para que o Rubro-Negro tivesse uma válvula de escape.

VITOR GABRIEL - S/N - Entrou nos minutos finais, no lugar de Thiago Santos, mas pouco fez enquanto esteve em campo.

MATHEUS DANTAS - 5,5 - Tentou segurar o "abafa" da equipe holandesa o quanto põde. No entanto, o jovem sentiu o entrosamento com os demais colegas e viu Diego Alves se destacar na reta final da partida.

ABEL BRAGA - 7,0 - O Flamengo soube medir forças com o Ajax no primeiro tempo e teve acertos, como a nova chance para Diego Alves e o espaço para Uribe. Porém, o técnico terá de ajustar o entrosamento no decorrer da temporada.

Uribe aliou senso de colocação e oportunismo para garantir os dois gols do Flamengo no duelo contra a equipe holandesa.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget