Bombeiros exigem novo Projeto Preventivo Contra Incêndio do Fla

G1: O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro (DPRJ) e o Ministério Público do Trabalho (MPT) solicitaram documentos ao Flamengo após vistoria técnica realizada nesta terça-feira (12), no Centro de Treinamento do Flamengo, em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio. O Centro de Treinamento não foi interditado.

Cada instituição apresentará relatório conclusivo na próxima sexta-feira (15), em reunião a ser realizada às 10h na sede do MPRJ, para a adoção das medidas cabíveis junto ao clube para a regularização do Centro de Treinamento.

Até sexta, portanto, não há qualquer previsão de interdição no Ninho. Na segunda-feira, após uma reunião, ficaram proibidos pernoites de atletas e funcionários no local.

Bombeiros no Ninho do Urubu, CT do Flamengo - Foto: REUTERS/Ricardo Moraes
O Corpo de Bombeiros também participou da visita. A corporação notificou o Flamengo para "apresentação de um novo projeto de segurança contra incêndio e pânico e manutenção dos dispositivos existentes".

Na vistoria, segundo o MP, as instituições que compõem a força-tarefa recolheram informações técnicas relacionadas às instalações do Ninho do Urubu e a questões ligadas à proteção dos direitos da infância e da juventude.

Representantes do Flamengo estiveram presentes. Foram requisitados documentos para embasar posterior análise da perícia.

Também estiveram presentes representantes da Polícia Civil do Estado, da Defesa Civil e da Prefeitura do Município do Rio, que recolheram material para a complementação do parecer sobre a inspeção.

Nesta segunda-feira, reportagem da TV Globo mostrou que duas plantas de CT enviadas pelo Flamengo à prefeitura mostram que alojamento incendiado não estava previsto.

No primeiro caso, o projeto foi aprovado pela Prefeitura em setembro de 2011. O documento de 2010, que serviria para obter licença de construção no Ninho do Urubu, aponta que o projeto do Centro de Treinamento George Helal, em Vargem Grande, na Zona Oeste, foi de responsabilidade dos engenheiros Alexandre Martins e por Wagner Barroso.

No papel, a área do alojamento receberia outros usos: no Bloco 7, ficariam depósitos e uma lavanderia; no Bloco 8, um escritório da administração; espaços em branco foram assinalados como estacionamento.

Na atualização da planta em 2018, os contêineres onde dormiam atletas das categorias de base também não apareciam. Mas houve algumas novidades no projeto. As mudanças previstas pelo Flamengo aumentariam o estacionamento, que ocuparia as áreas onde ficariam a lavanderia e a administração.

O Ninho do Urubu também não tinha alvará de funcionamento e chegou a ser interditado em outubro de 2017 e foi multado 31 vezes, desde essa época. O Flamengo pagou 21 dessas multas.

Representantes do Flamengo estiveram presentes. Foram requisitados documentos para embasar posterior análise da perícia.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/SiteFlaResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget