Com qualidade e muita entrega, Fla muda postura na Libertadores

GOAL: Raisa Simplicio

Pode até ser cedo para este veredito, mas a verdade é que em dois jogos pela Copa Libertadores da América o Flamengo mostrou a dedicação e, principalmente, a concentração que não demonstra no Campeonato Carioca. A vitória por 3 a 1 sobre a LDU, na noite da última quarta-feira (13), não só deixou o time de Abel Braga na liderança do grupo D, como deu a confiança que faltava à equipe e ao torcedor que compareceu ao Maracanã.

Foi sem dúvida o melhor jogo do Flamengo na temporada, se impondo, trocando passes e sendo objetivo em busca do gol. No primeiro tempo, abriu o placar logo aos sete minutos com Everton Ribeiro. Poderia ter ampliado, mas perdeu várias oportunidades - único motivo que Abel Braga teve para puxar a orelha da equipe no fim da partida.

Gabigol com a torcida do Flamengo - Foto: André Mourão
"Estou contente com a vitória, com o resultado, mas ainda acho que estamos perdendo gol demais. Foram quatro chances claras e eles tiveram o pênalti. Se eles fazem o gol, o jogo muda. Eles mudaram a forma de jogar. Futebol às vezes tu paga, a bola às vezes pune", disse o treinador em entrevista coletiva após a partida.

Na segunda etapa, Gabigol, que havia perdido grande oportunidade no primeiro tempo, ampliou o placar e incendiou de vez a torcida. O jogador, eleito o melhor da partida pela Conmebol, tem uma sintonia grande com a arquibancada e virou maestro na comemoração. Mais do que isso, os jogadores mostraram intensidade e como estão vivendo "diferente" a Libertadores. Uribe fechou o placar e garantiu a festa. Nem mesmo o gol de Borja, de pênalti, no finzinho, foi capaz de jogar água fria no êxtase dos Rubro-Negros.

Até mesmo Willian Arão, um dos mais criticados recentemente pela falta de atenção em campo, esteve ligado o tempo todo e fez a melhor partida com a camisa do Flamengo nesta temporada. No gramado, os jogadores se falavam, chamavam a atenção um do outro e não deixavam de vibrar ou incentivar a torcida para jogar junto. Uma atuação digna de Libertadores, mesclando a qualidade técnica do elenco e a entrega dos atletas em busca de um só objetivo.

Este foi o jogo de número 50 do Flamengo na competição, numa atuação bem diferente do que se tinha visto nos últimos anos. Até mesmo nas boas vitórias, como foi contra o San Lorenzo, por 4 a 0, em 2017, o Rubro-Negro não mostrava tanta vibração e entrega, nem mesmo na arquibancada. Talvez seja essa a "pegada" que Abel Braga sempre pediu desde que chegou ao clube e que fará o time realmente brigar por algo grande este ano.

Líder isolado do grupo D com seis pontos, o Flamengo volta a campo pela Libertadores no dia 3 de abril, contra o Penãrol, também no Maracanã. Enquanto isso, a LDU enfrenta o San José, em Oruro.

Este foi o jogo de número 50 do Flamengo na competição, numa atuação bem diferente do que se tinha visto nos últimos anos.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/xresenhacrf} {twitter#https://twitter.com/FlaResenhaNews} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget