Diniz já foi pupilo de Abel: "Dava para notar que era diferenciado'

ESPN: Fernando Diniz e Abel Braga, rivais no Fla-Flu desta quarta-feira, representam ideias diferentes como técnicos no futebol. Na formação do hoje comandante do Fluminense, contudo, ainda como jogador, está justamente o treinador rubro-negro, de quem foi “pupilo” entre 1999 e 2000.

O trabalho da dupla aconteceu no Paraná, clube que Diniz defendia desde 1998. Em sua segunda temporada com a camisa paranista, o então meia viu Abel chegar à equipe na tentativa de evitar o rebaixamento no Campeonato Brasileiro, já na reta final da disputa.

Em apenas oito rodadas, o treinador não conseguiu evitar a queda, mas se lembra até hoje da relação com Diniz – embora não imaginasse que o comandado viraria comandante.

 “Foi um tempo muito curto em que o Fernando trabalhou comigo, mas dava para notar que ele já era diferenciado, principalmente pelo nível cultural. Era um cara instruído, muito diferente naquele momento”, disse Abel, em declaração exclusiva ao ESPN.com.br.

Fernando Diniz e Abel Braga em Flamengo x Fluminense - Foto: Lucas Merçon
Diniz e Abel começaram 2000 ainda no Paraná, mas o trabalho conjunto não duraria muito tempo naquele ano. Logo em março, o técnico recebeu proposta do Vasco e aceitou a missão de substituir Antônio Carlos. Já o então meia partiu rumo ao Fluminense em agosto.

“Estamos falando de 2000, quase 20 anos. Não dava para saber se chegaria a ser treinador ou não, mas eu já percebia muito bem que ele tinha um grau de assimilação muito rápido”, completa Abel.

Como jogador, antes do Paraná, Diniz defendia o Corinthians. Em entrevista ao jornal “Gazeta do Povo”, em 2015, um dos responsáveis pela contratação, Ricardo Machado Lima, ex-gerente de futebol do Paraná, relembrou o negócio que fez os hoje rivais no Fla-Flu trabalharem juntos.

“Ele fez um contrato em que o clube tinha dado tudo e mais um pouco para fechar a negociação. Até a lavanderia dele o Paraná se comprometeu a pagar”, disse, repetindo elogios a Diniz. “Ele já tinha uma predominância, saltava aos olhos a diferença de perfil dele para os outros. Uma pessoa culta.”

Já depois de defender o Fluminense, Diniz ainda rodou por diversos clubes, até se aposentar em 2008. No ano seguinte, começaria sua carreira como técnico, no Votoraty, do interior de São Paulo.

O trabalho que fez Diniz ganhar notoriedade como treinador foi com o Osasco Audax, sendo vice-campeão paulista em 2016 – um ano antes, comandou o próprio Paraná, sem grande destaque.

O Fluminense, de Diniz, e o Flamengo, de Abel, entram em campo nesta quarta-feira, no Maracanã, às 21h30, na semifinal da Taça Rio. O vencedor garante vaga na decisão do segundo turno do Campeonato Carioca, e espera o vencedor de Bangu x Vasco, que se enfrentam na quinta.

O Fluminense, de Diniz, e o Flamengo, de Abel, entram em campo nesta quarta-feira, no Maracanã, às 21h30, na semifinal da Taça Rio.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/xresenhacrf} {twitter#https://twitter.com/FlaTeMorrer1895} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget