Relembre a passagem de Fernando Diniz pelo Flamengo

ESPN: Hoje técnico do Fluminense, que enfrentará o Flamengo pela Taça Rio do Campeonato Carioca, o técnico Fernando Diniz teve uma rápida passagem de alguns meses como jogador pela Gávea.

Após ter uma das melhores fases da carreira como meia no clube das Laranjeiras, pelo qual venceu o Estadual de 2002, Diniz perdeu espaço com o treinador Renato Gaúcho.

Em 2003, foi cedido até o final do ano a pedido de Nelsinho Baptista ao time rubro-negro, em uma negociação que envolveu uma troca com Lopes Tigrão.

A estreia do meia (então com 29 anos) foi curiosamente contra o Flu. Ele entrou no lugar de Fábio Baiano, na vitória por 4 a 1, pelo Campeonato Brasileiro.

Na Gávea, porém, Diniz não conseguiu repetir as mesmas atuações dos tempos de Flu. Sofreu com algumas lesões e fez apenas 12 jogos no elenco que contava com nomes como Edílson, Júlio Cesar, Felipe Fábio Baiano e Ibson.


O único gol que Diniz marcou com a camisa do Fla foi no empate em 1 a 1 contra o São Caetano, no estádio Anacleto Campanella, em jogo válido pelo Brasileiro. Ele roubou a bola, entrou na área e chutou cruzado no contrapé do goleiro Silvio Luís.

Naquele Nacional, o primeiro disputado em pontos corridos, time rubro-negro vivia uma séria crise financeira, tendo constantes atrasos nos salários e brigas políticas.

A campanha dentro de campo era ruim, com o técnico Nelsinho Baptista sendo demitido em julho, após derrota para o Fortaleza, em casa.

Para seu lugar foi trazido Oswaldo de Oliveira com a ajuda de Edílson Capetinha e do próprio Fernando Diniz, que já haviam sido comandados pelo treinador em outros times.

Oswaldo ficou por pouco tempo e se demitiu após uma vitória por 2 a 1 sobre o Vasco, cansado dos problemas do clube. O Flamengo era o 12º, com 48 pontos.

A diretoria rubro-negra quase fechou com Geninho, não houve acordo. Após aceitar a sugestão de Edílson e outros jogadores, o clube efetivou Waldemar Lemos, auxiliar e irmão de Oswaldo.

O anúncio feito pelo então diretor de futebol Eduardo Moraes, o Vassoura, ficou imortalizado na história rubro-negra.

"O novo técnico do Flamengo é o senhor Waldemar".

A reação dos torcedores presentes foi de extrema revolta.

O repórter Cícero Melo não teve dúvidas ao questionar: "E por que o Waldemar, hein?".

Pouco depois, alguns flamenguistas começaram a gritar: "Ah, ah, ah, fora, Waldemar! Ah, ah, ah, fora, Waldemar!”.

Apesar de toda confusão, a campanha do “Senhor Waldemar” foi muito boa. Em 10 jogos, foram cinco vitórias, duas derrotas e três empates. O time terminou na oitava colocação do Brasileiro.

A despedida de Diniz pelo Flamengo foi na vitória por 3 a 1 sobre o São Paulo no Morumbi na última rodada do Nacional.

No final do ano, Waldemar foi demitido. Curiosamente, o técnico contratado para seu lugar foi Abel Braga, que não chegou a trabalhar com Diniz na Gávea, pois o meia se transferiu para o Juventude em 2004.

A estreia do meia (então com 29 anos) foi curiosamente contra o Flu. Ele entrou no lugar de Fábio Baiano, na vitória por 4 a 1, pelo Campeonato Brasileiro.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/xresenhacrf} {twitter#https://twitter.com/FlaTeMorrer1895} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget