Cinco motivos para acompanhar Flamengo e Corinthians pelo NBB

GLOBO ESPORTE: Encontro das Nações, Clássico do Povo... Chame como quiser. Mas o fato é que o dérbi que atrai multidões das duas maiores torcidas do Brasil no futebol chegou ao mata-mata do Novo Basquete Brasil (NBB). A partir deste sábado, às 14h, Flamengo e Corinthians se enfrentam na série melhor de cinco das quartas de final do torneio nacional. Trata-se de um duelo inédito na fase de playoffs dessa competição e, na temporada atual, o Rubro-Negro venceu os dois encontros que tiveram (um, no Rio de Janeiro, por 72 a 64, e o outro, em São Paulo, por 91 a 68).

Os confrontos serão recheados de atrações para o público, e o GloboEsporte.com listou algumas delas. Lembrando que o jogo inicial será no dia 13 de abril, às 14h (de Brasília), em São Paulo. O segundo acontece no dia 17 de abril, às 20h, na casa do Rubro-Negro, e o terceiro, no dia 20/4, às 14h, novamente no Rio de Janeiro. As arenas ainda não foram definidas.

Foto: Divulgação
A palavra dos técnicos:

Gustavo De Conti (Flamengo)
Acho que será um clássico que vai atrair muito público, muita atenção para o NBB. O Corinthians está retornando muito bem ao NBB e tem muita tradição no basquete, antiga, com o Oscar e também com o Wlamir Marques, que dá nome ao ginásio. E o Flamengo não é diferente: tem uma história recente, rica, de conquistas. Mas sem dúvidas essa rivalidade vinda do futebol ajuda muito na divulgação do jogo e no aspecto emocional, porque fazemos basquete, fazemos NBB para o público, quanto mais gente tiver, melhor.

Bruno Savignani (Corinthians)
São os dois clubes com as maiores torcidas do Brasil, com torcedores apaixonados e entre eles há uma rivalidade que se estende para todos os esportes, inclusive agora no basquete. Ter essas duas camisas numa disputa de playoff do NBB eleva o número de pessoas acompanhando, aumenta o número de fãs torcendo pro basquete. Eu espero ginásios cheios nessa série. Da parte do Corinthians, o torcedor foi fundamental para nossa classificação, conto com eles como diferencial do nosso time

Veja abaixo 5 motivos que tornam Flamengo x Corinthians especial:

1) Fuller voando no Timão

Campeão do Novo Basquete Brasil pelo Paulistano, o armador Kyle Fuller fechou com o Corinthians em julho do ano passado. Cobiçado pelo mercado depois de sua conquista em sua primeira temporada no Brasil, o jogador foi disputado por Mogi das Cruzes e Timão, na época, mas preferiu aderir ao "bando de loucos".

Aos 27 anos, o ala-armador nascido em Compton, na Califórnia, mas com nacionalidade peruana e passagens pela seleção do país, é um dos destaques da equipe comandada por Bruno Savignani. Suas médias, por jogo, são de 21,1 pontos; 3 rebotes; e 2,1 assistências, sendo 16,1 de eficiência. O "Gringo da Favela", como vem sendo chamado pela torcida por ter crescido em uma comunidade em Lima, pode desequilibrar o confronto!

2) Franco Balbi muito bem no Flamengo

Se um gringo é o destaque do Corinthians para as quartas de final do NBB, no Flamengo a história não é nada diferente. O hermano Franco Balbi, armador de 28 anos, é o cara do Mengão. O jogador chegou ao clube em junho de 2018 e, de cara, se identificou com a torcida.

Ele veio do Ferrocarril Oeste, da Liga Argentina, onde se destacou, tendo sido o terceiro maior garçom da dura Liga Nacional Argentina. Pelo Rubro-Negro, na atual temporada, tem médias de 10,3 pontos; 3,6 rebotes; e 5,7 assistências, sendo a eficiência de 14,2.

3) Duelo das maiores torcidas do país

Flamengo e Corinthians são as duas maiores torcidas do país. Estreante no Novo Basquete Brasil, o Timão, que manda seus jogos no ginásio Wlamir Marques, tem média de público de 1.500 espectadores. Já o Flamengo tornou a Arena Carioca 1 sua casa e, no mata-mata, pode ter um bom número de apoiadores nas arquibancadas. O fato é que tanto a Fiel quanto a Nação Rubro-Negra prometem um show nesse quesito.

4) Jogo inédito em mata-matas

Trata-se do primeiro jogo de playoff da história entre Flamengo e Corinthians. Ou seja, os torcedores podem ter a chance de testemunhar o nascimento de uma rivalidade interessante no Novo Basquete Brasil (que já existe há tempos no futebol). A propósito, o Rubro-Negro, do treinador Gustavo De Conti, reencontrará caras conhecidas. Humberto, Teichmann, Ricardo Fischer e Shilton, ex-flamenguistas, atuam pelo Timão, de Bruno Savignani, hoje. Na temporada regular, o Flamengo venceu tanto o jogo em casa quanto fora.

5) Oscar ídolo dos dois

Membro do Hall da Fama e considerado o maior pontuador da história do basquete, com 49.737 pontos, Oscar Schmidt fez muitos deles por Flamengo e Corinthians. Ele passou primeiro pelo Timão, onde ficou de 1995 a 1997, tendo feito 4.270 pontos em 131 jogos. Foi campeão brasileiro em 1996. No Rubro-Negro, ele jogou de 1999 a 2003, marcando 7.241 em 219 embates. Foi o clube por onde encerrou a carreira e onde conquistou dois títulos estaduais, em 1999 e 2002. Pelo time da Gávea, o Mão Santa, foi cestinha nos estaduais de 1999 a 2002 e no Campeonato Brasileiro de 2000 a 2003.

Campeão do Novo Basquete Brasil pelo Paulistano, o armador Kyle Fuller fechou com o Corinthians em julho do ano passado.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/SiteFlaResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget