Flamengo ganha Taça Rio com o coração

GLOBO ESPORTE: Analisar técnica ou taticamente o empate com o Vasco seria muito pouco para o que aconteceu neste domingo no Maracanã. Mais do que na bola, o Flamengo ganhou a Taça Rio no coração. Assim como na semifinal contra o Fluminense, um gol nos acréscimos foi apoteótico e mudou o cenário da competição. Se o time não teve uma grande atuação, os rubro-negros podem se orgulhar da entrega e determinação de seus jogadores.

E haja coração! O próprio Abel exagerou na emoção na reta final da Taça Rio e foi “desfalque” na final. No Fla-Flu, quando o Flamengo jogou todo o segundo tempo com um jogador a menos e conseguiu a vitória nos acréscimos, o treinador teve uma arritmia, ficou três dias internado e passou por procedimentos cardíacos. Proibido pelos médicos de ir ao Maracanã, emocionou-se de casa com o título e com as homenagens dos jogadores.

Abel citou o resgate da “alma rubro-negra”. Não que a falta de vontade tenha sido um problema do Flamengo nas últimas temporadas, mas sim a dificuldade de vencer em momentos decisivos. Faltava o algo a mais. Talvez seja precoce avaliar, afinal foram dois jogos da Taça Rio, mas esse elenco começa a mostrar sinais de um grupo vencedor. O tão falado “DNA vencedor”.

Jogadores do Flamengo comemorando pênalti defendido por César - Foto: Alexandre Vidal
O jogo ganhou contornos dramáticos no fim, mas deixou a desejar em vários aspectos. Um jogo morno, em que o Flamengo, com o time reserva, não foi brilhante, mas mostrou força para brigar de igual para igual com os titulares do Vasco. Aliás, o clube abdicou da força máxima nos jogos decisivos da Taça Rio. Peças importantes como Diego, Gabigol e Cuéllar, por exemplo, sequer foram relacionadas para os clássicos contra Fluminense e Vasco.

Do clássico deste domingo, é possível tirar pontos positivos, mas também sinais de alerta.

O QUE DEU CERTO

Espírito do time
O Flamengo nunca desistiu. Acreditou e buscou o empate até o fim. Não teve medo de se expor, lançou-se ao ataque e foi premiado. Teve alma, raça e coração.

Arrascaeta
Não foi a melhor atuação de Arrascaeta com a camisa do Flamengo, ele teve mais erros do que acertos, mas não se omitiu e decidiu. Em um time que teve oito garotos formados na base ao longo do jogo, o uruguaio assumiu a responsabilidade e foi premiado com o gol. Está cada vez mais difícil para Abel deixar o camisa 14 no banco. O problema é: quem sai?

Garotada
Assim como na semifinal contra o Fluminense, o Flamengo não teve medo de lançar a garotada. Ao todo, usou oito jovens formados no clube durante o jogo. Neste domingo, os nove atletas do banco de reservas eram garotos. E se no Fla-Flu Lucas Silva sofreu o pênalti que resultou no gol da vitória, contra o Vasco foi Bill – estreante da noite – quem deu a assistência para Arrascaeta. Além dele, Vinícius foi outro a debutar no clássico.

Dupla de zaga e César
Thuler teve uma atuação impecável. Seguro atrás, colaborou no ataque com arrancadas e quase marcou um gol de cabeça. Capitão neste domingo, Rhodolfo também foi bem. Menção honrosa a César, decisivo nas cobranças de pênalti.

ALERTAS

- A conquista da forma que foi deixa alguns problemas em segundo plano, mas o time reserva do Flamengo ainda não se mostra confiável. Se sobrou coração, faltou entrosamento. Há dificuldades na criação, apesar de jogadores talentosos como Arrascaeta e Vitinho. O camisa 11 foi quem mais levou perigo contra o Vasco, mas os lances surgem, geralmente, em jogadas individuais. Há pouco diálogo com a bola nos pés entre eles. Uribe esteve apagado.

- A saída de bola e a transição para o ataque também destoam. Os jovens Hugo Moura e Ronaldo ainda não conseguem manter o nível dos titulares. Escalado na função de Arão contra o Vasco, Ronaldo tem qualidade no passe, mas não é um volante de infiltração, o que acaba alterando as características do time.

- Obviamente o time alternativo dificilmente vai manter o mesmo padrão do titular, mas foi o próprio Flamengo que aumentou o sarrafo. Se planeja usar a equipe B ao longo da temporada, em competições importantes e com um grau de dificuldades maior, ainda há muitos pontos a corrigir.

Faltava o algo a mais. Talvez seja precoce avaliar, afinal foram dois jogos da Taça Rio, mas esse elenco começa a mostrar sinais de um grupo vencedor.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/xresenhacrf} {twitter#https://twitter.com/FlaResenhaNews} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget