Peñarol é recheado de jogadores com passagem pela Seleção

BLOG DO RAFAEL REIS: Em sua terceira partida na Libertadores-2019, o Flamengo terá pela frente nesta quarta-feira uma das camisas mais pesadas da história do futebol sul-americano e também um dos elencos mais acostumados a jogos de grande importância.

Cinco vezes campeão do torneio continental (1960, 1961, 1966, 1982 e 1987), o Peñarol conta com um grupo de jogadores que exala experiência internacional.

Juntos, os atletas que formam o elenco do clube uruguaio somam 244 partidas oficiais por seleções principais. Na atual edição da Libertadores, apenas o Olimpia, do Paraguai, tem um time com bagagem maior: mais de 310 internacionalizações.

Foto: Divulgação
Apesar do alto investimento feito nos últimos anos e de ter contratado jogadores que até já disputaram Copa do Mundo, como o zagueiro Juan, o lateral peruano Miguel Trauco e o meia uruguaio Giorgian de Arrascaeta, o grupo de atletas do Flamengo não chega nem 200 jogos por seleções adultas.

Ou seja, a equipe comandada por Abel Braga, pelo menos em tese, tem menos experiência internacional que seu adversário desta quarta, no Maracanã.

O nome mais experiente do Peñarol é também o jogador mais importante da equipe. O meia Cristian Rodríguez, de 33 anos, tem 110 partidas pela seleção uruguaia e é o terceiro atleta de toda a história que mais vestiu a tradicional camisa celeste.

Cebolla, como é conhecido, tem no currículo duas participações em Copas do Mundo (2014 e 2018) e quatro Copas América (2004, 2007, 2011 e 2015). Antes de retornar ao Peñarol, há dois anos, ele defendeu clubes importantes do futebol europeu, como Paris Saint-Germain, Benfica, Porto e Atlético de Madri.

Além do capitão do Peñarol, outros três comandados do técnico Diego López já serviram bastante à Celeste Olímpica: o volante Walter Gargano (ex-Napoli e Inter de Milão) tem 63 jogos e esteve nos Mundiais de 2010 e 2014, o meia Fabián Estoyanoff jogou 41 vezes pela seleção e lateral direito Mathías Corujo, 22.

O elenco uruguaio para a Libertadores deste ano poderia seria ainda mais experiente se o clube tivesse conseguido manter o meia Maxi Rodríguez. O ex-Liverpool, que jogou 57 vezes pela Argentina, acabou se transferindo para o Newell's Old Boys depois de vestir a camisa aurinegra em 2017 e 2018.

Curiosamente, apesar de ter um time acostumado às convocações, o Peñarol quase não cedeu jogadores aos times nacionais na última Data Fifa. O lateral direito Giovanni González foi o único jogador do clube que participou dos jogos entre países em março –atuou pelo Uruguai nas vitórias sobre Uzbequistão e Tailândia.

O Flamengo venceu seus dois primeiros jogos na Libertadores (1 a 0 no San José, da Bolívia, e 3 a 1 contra o LDU, do Equador) e lidera o Grupo D, com seis pontos. Já o Peñarol soma até o momento uma vitória e uma derrota.


Na atual edição da Libertadores, apenas o Olimpia, do Paraguai, tem um time com bagagem maior: mais de 310 internacionalizações.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/SiteFlaResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget