Diego Ribas, do Flamengo, é pipoqueiro?

LANCE: Depois de perder a vaga de titular para Arrascaeta, o meia Diego ganhou uma nova oportunidade com Abel Braga no time titular. Se o treinador ficou satisfeito com o que viu na vitória por 3 a 2 contra o Athletico Paranaense, no Maracanã, a torcida não saiu feliz com o que viu: o camisa 10 foi vaiado e duramente criticado.

- Me agradou. Até foi surpreendente quando passou para volante. Deu uma saída de bola muito boa de trás, de intermediária a intermediária. O Diego foi vaiado como eu fui. Aí, se está jogando o Arrascaeta e erra dois, três passes... É uma briga sadia, o Arrascaeta é um grande jogador - avaliou Abel.

Diego cobrando escanteio no Flamengo no Maracanã - Foto: Alexandre Vidal
Queda

Quase três anos após a chegada ao Flamengo, quando estava em status de ídolo, Diego passou de protagonista a coadjuvante. Na reta final do Brasileirão de 2018 ele já havia perdido a condição de titular absoluto e viu, em 2019, a vaga ser ameaçada por Arrascaeta.

O jogador não conseguiu se manter em alta em 2019. Com atuações irregulares e a concorrência de Arrascaeta na posição, o camisa 10 tem 24 partidas nesta temporada, sendo 17 como titular, e marcou quatro gols. No Brasileirão, Diego ainda não deu assistências, mas soma quatro no ano.

Pênaltis perdidos

Há cerca de duas semanas, na vitória do Flamengo por 2 a 1 contra a Chapecoense, no Maracanã, Diego também foi vaiado. Desta vez, o motivo foi o pênalti perdido. Neste quesito ele soma 13 cobranças, com nove convertidas e quatro perdidas. Um aproveitamento de 69,2%.

Entre esses números, o camisa 10 desperdiçou uma penalidade contra o Palmeiras, em 2017, que acabou sendo decisivo para o campeonato, e na final da Copa do Brasil, contra o Cruzeiro, quando o Fla perdeu o título por 5 a 3 nos pênaltis.

Aproveitamento

O aproveitamento de Diego com a camisa do Flamengo ainda é positivo. O camisa 10 tem 71% e soma 15 vitórias, quatro empates e quatro derrotas em 2019. Comparando com Arrascaeta, o uruguaio leva a pior, tendo 63%, com 12 vitórias, seis empates e quatro derrotas.

"Pipoqueiro?"

Diego tem 36 gols marcados com a camisa do Flamengo. Os adversários contra quem ele balançou as redes foram, entre aqueles que só disputam o Carioca, Boavista (2), Macaé (1), Madureira (2), Bangu (1), Cabofriense (1) e Americano (1). Em clássicos, Vasco (1), Fluminense (2) e Botafogo (1).

Em equipes que disputaram ou disputam a Série A, Grêmio (2), Chapecoense (5), Figueirense (1), Atlético-MG (1), Coritiba (1), Santos (1), Athletico-PR (2), São Paulo (1), Bahia (3), Corinthians (1), Vitória (2), Ceará (1) e Paraná (1). Em competições sul-americanas, San Lorenzo (1) e San José (1).

Motivos da escolha

O técnico Abel Braga vê Diego como um dos jogadores de confiança, principalmente pela característica de rodar mais a bola, cadenciar e, para o treinador, movimentar bem as jogadas. Por não ter conseguido um título de expressão e ter atuações ruins em partidas decisivas, a torcida perde a paciência com o jogador cada vez mais.

Números de 2018

De acordo com o "Footstats", Diego fez 26 jogos no Campeonato Brasileiro de 2018 com o Flamengo e liderou algumas das principais estatísticas do time. Ele teve 50 assistências para finalização, com o maior aproveitamento do elenco no fundamento e a terceira entre os atletas que atuaram em mais de 20 rodadas. Nessas partidas, o camisa 10 somou quatro passes para gol.

Na troca de passes, ele acertou 91,3% dos que tentou. Porém, foi mal nas finalizações. Autor de 18 gols em 2017, Diego marcou dez a menos em 2018. Ele foi o quarto maior finalizador do time, acertando apenas 17 das 48 tentativas.

Diego tem 36 gols marcados com a camisa do Fla. Os adversários contra quem ele balançou as redes foram, entre aqueles que só disputam o Carioca.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget