Gabigol e Bruno Henrique fazem briga sadia pela artilharia no Fla

EXTRA GLOBO: Gustavo Loio

Quando chegar ao Flamengo, na pausa para a Copa América, o técnico Jorge Jesus encontrará uma equipe que tem como uma das principais características o poder ofensivo. E dos 58 gols já marcados pelo time em 2019, nada menos que 26 saíram dos pés da dupla que jogou no Santos ano passado: Bruno Henrique e Gabigol. Cada um fez 13.

Amanhã, contra o Corinthians, no Maracanã, no jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil, novamente sob o comando do interino Marcelo Salles, a dupla é a principal esperança de gols. No primeiro jogo, em São Paulo, o rubro-negro venceu por 1 a 0.

Analisando a trajetória dos dois, uma das diferenças é que Gabigol jogou uma partida a menos que o companheiro de ataque: 23 a 24. Por isso, sua média é de 0,57 gol por jogo até agora, contra 0,54 gol do camisa 27.

Foto: Divulgação
Nesta disputa pela artilharia rubro-negra em 2019, Bruno Henrique começou melhor, marcando duas vezes em sua estreia, nos 2 a 1 sobre o Botafogo, pelo Carioca, no dia 26 de janeiro. Em outras três partidas o camisa 27 voltou a marcar dois gols: nos 3 a 2 sobre o Fluminense, pelo Estadual, no primeiro jogo da final do Carioca contra o Vasco (2 a 0) e na estreia no Brasileiro, nos 3 a 1 sobre o Cruzeiro. Ele também fez nos 4 a 0 sobre a Cabofriense, nos 3 a 1 na Portuguesa (ambos pelo Estadual), nas derrotas para a LDU (2 a 1, pela Libertadores) e Atlético-MG (2 a 1, pelo Brasileiro) e nos 3 a 2 sobre o Athletico-PR, também pela competição nacional.

Já o camisa 9 passou em branco nas cinco primeiras partidas no ano. Em compensação, marcou oito gols nas seis partidas seguintes: seis deles no Carioca: uma vez nos 4 a 1 sobre o Americano, (no dia 24 de fevereiro, seu primeiro gol) outra nos 3 a 2 sobre o Fluminense e duas vezes nos 3 a 1 sobre a Portuguesa e nos 2 a 0 sobre o Madureira. Pela Libertadores, nesta sequência, ele marcou no 1 a 0 diante do San José e nos 3 a 1 contra a LDU.

Gabigol voltou a marcar no Fla-Flu da semifinal do Carioca (1 a 1), na estreia no Brasileiro (3 a 1 no Cruzeiro). E, após quatro jogos sem balançar as redes, deixou sua marca contra o Athletico-PR e, em seguida, os 2 a 0 contra o Fortaleza, no último sábado.

Poupado na vitória sobre o time de Rogério Ceni, Bruno Henrique treinou normalmente ontem e voltará no lugar de Arrascaeta, autor de duas assistências no sábado, que se apresentou à seleção uruguaia para a Copa América.

Situação semelhante à de Cuéllar, que se apresenta hoje à seleção colombiana. Amanhã, em seu lugar, deve jogar Piris da Motta.

Analisando a trajetória dos dois, uma das diferenças é que Gabigol jogou uma partida a menos que o companheiro de ataque: 23 a 24.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/xresenhacrf} {twitter#https://twitter.com/FlaResenhaNews} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget