A volta da Copa do Brasil

MAURO CEZAR PEREIRA: A Copa do Brasil decretou a volta do futebol dos clubes três dias depois do encerramento da Copa América. Grêmio 1 x 1 Bahia, Palmeiras 1 x 0 Internacional e Athletico 1 x 1 Flamengo foram os jogos que marcaram o retorno dos times após quase um mês de inatividade. No geral, altos e baixos após promessas de alguns treinadores de que suas equipes melhorariam após a parada forçada devido ao torneio de seleções.

Em Curitiba, a esperada estreia de Jorge Jesus teve domínio do Athletico no primeiro tempo. Faltou competência nos arremates ao time paranaense, que por isso não venceu. E foi prejudicado pela não expulsão do goleiro Diego Alves, que pegou a bola fora da área com as mãos, impedindo jogada de grande perigo para o Flamengo. O técnico português mexeu, mais de uma vez, no time, que melhorou no segundo tempo.

Gabigol durante Athletico-PR x Flamengo - Foto: Alexandre Vidal
O Athletico tinha desfalques importantes, mesmo assim encurralou o Flamengo em boa parte da peleja. A má pontaria comprometeu a atuação do campeão da Copa Sul-americana. No Flamengo, foi apenas o primeiro jogo com Jorge Jesus. O inquieto treinador mexeu no time, inclusive com substituições, corrigiu erros e saiu insatisfeito com o empate, embora o resultado tenha sido altamente lucrativo para ele.

Em Porto Alegre, o Bahia voltou a mostrar organização e capacidade de sair em velocidade e ameaçar o adversário, especialmente no segundo tempo. Arthur foi destaque e não fosse o acabamento equivocado em alguns lances, o time poderia voltar a Salvador com uma vitória sobre o Grêmio, que abriu o placar com Everton Cebolinha, de pênalti. Gilberto deu números finais: 1 a 1.

Bahia e Grêmio mostraram algo próximo do estágio anterior à Copa América. Mas o time nordestino, com reforços, parece ter o que melhorar, enquanto os gremistas seguem com dificuldades para reencontrar o melhor futebol. Ao mesmo tempo seguem os comentários sobre quando será o último jogo de Everton, que ainda não recebeu proposta oficial, embora grandes clubes europeus estejam de olho nele desde 2018.

No duelo contra o Inter, o que se viu foi um Palmeiras já conhecido, mas que deveria pensar não apenas na manutenção do que vem fazendo, e sim em melhorar. Um apetite maior por gols seria algo positivo. Fosse assim talvez saísse de campo com uma vantagem maior para o cotejo de volta, em Porto Alegre. O time colorado mostrou as mesmas deficiências atuando fora do Beira Rio, com pobre repertório ofensivo.

O Palmeiras chegou à 11ª vitória seguida por diferentes competições. Voltou igual, fortíssimo na defesa e competitivo. Mas pode melhorar. E o faria se vencesse por mais de um gol, como o próprio técnico Luiz Felipe Scolari deu a entender após a vitória pela contagem mínima sobre o Internacional que, de novo, mostrou pouco repertório ofensivo. Falta força atuando fora de casa.

O Athletico tinha desfalques importantes, mesmo assim encurralou o Flamengo em boa parte da peleja.

Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/xresenhacrf} {twitter#https://twitter.com/FlaResenhaNews} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget