Entenda como funcionará empresa "Fla-Flu" para gerir o Maracanã

O GLOBO: O gerente de Operações de Estádios do Flamengo, Severiano Braga, vai se desligar do cargo no clube para ocupar o cargo de CEO da empresa Fla-Flu, criada para administrar o Maracanã, cedido pelo Governo do Estado por seis meses. A criação da sociedade anônima (S.A) foi aprovada pelo Conselho Deliberativo do Flamengo na quarta-feira e agora será registrada na junta comercial do Estado.

Como os clubes não podem ter fins lucrativos, a empresa vai administrar o fluxo financeiro com o recebimento de aluguéis para uso do estádio ao longo do contrato de permissão, além de shows e eventos. A empresa também vai se responsabilizar pelas contas do estádio, como luz e água.

Foto: Divulgação
Se um dos clubes não pagar os valores estabelecidos, não poderá jogar no Maracanã até quitar os débitos. O Flamengo vai cobrar cumprimento do Fluminense, que não apresentou certidões negativas de débito e deixou o clube da Gávea como único permissionário no contrato.

Outros funcionários dos dois clubes, além do CEO, serão cedidos para a estrutura administrativa da empresa. Do lado do Fluminense, o diretor de marketing Lawrence Magrath também se desligou para compor a diretoria da empresa. A terceira diretora é Maria Cristina, trazida pelo Flamengo já para ser integrada à S.A.

Caberá a essa diretoria a contratação de prestadores de serviço e a eventual troca de fornecedores, como segurança, alimentação, limpeza, etc. Um conselho de administração com três membros de cada clube vai fiscalizar o conselho diretor da empresa.

Com a criação da empresa, os contratos do Maracanã não precisarão ser aprovados pelos conselhos dos clubes. Flamengo e Fluminense compartilham igualmente o pagamento dos custos e recebem de forma separada pelas bilheterias e bares, mas dividem as demais receitas.

De olho no futuro

O aluguel mínimo cobrado será de R$ 90 mil por jogo. A meta é reduzir ainda mais os custos de operação e manutenção do Maracanã, estimados em R$ 28 milhões por ano na gestão do consórcio ligado à Odebrecht.

Passado o período de permissão de uso, renovável por mais 180 dias, Flamengo e Fluminense esperam concorrer para a parceria público privada que promete licitar o uso do estádio por um período de 35 anos. Isso seria feito a partir da empresa criada já de olho na administração do patrimônio no futuro.

Um grupo de trabalho entre os clubes foi montado desde a assinatura do contrato de permissão para entender como funciona o Maracanã, e uma consulta jurídica foi elaborada para avaliar como seria a montagem da empresa, para que os clubes possam gerir o estádio.

Agora, o trabalho será colocado em prática. O primeiros jogos sob a nova gestão serão Flamengo e Goiás, dia 14, e Fluminense e Ceará, dia 15, ambos válidos pelo Campeonato Brasileiro.

A empresa também vai se responsabilizar pelas contas do estádio, como luz e água.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget