Meu amigo Abelão não deixava o Flamengo jogar

O GLOBO: Paulo Cezar Caju

A rodada do Brasileirão serviu para reforçar que não sou tão louco assim. Quando eu dizia que meu amigo Abelão não deixava o Flamengo jogar fui duramente criticado. Quem acompanha a carreira de Jorge Jesus, principalmente no Benfica, sabe que ele preza o futebol ofensivo. Foi com ele que o centroavante Jonas desandou a fazer gols.

Claro que um time que busca o ataque constantemente corre o risco de levar gols, mas e daí? Sampoli pagou por isso contra o Fortaleza, mas seu time vem evoluindo jogo a jogo. Podia ter feito pelo menos seis gols. “Professores”, como Mano, Carille, Felipão, Argel e tantos outros, primeiro sonham com uma defesa forte, criam verdadeiros muros de contenção, treinam exaustivamente o desarme e deixam o ataque para terceiro plano. Considero isso um desrespeito aos torcedores. Bastou Fernando Diniz ser demitido para o auxiliar Marcão botar as manguinhas de fora e jogar lá atrás contra o Corinthians. Oswaldo de Oliveira assumiu e foi logo avisando que o time vai parar de tomar gols bobos. Seria tão bom se prometesse um time com sede de gols!

Foto: Divulgação
O Palmeiras é um contrassenso nesse sentido, pois deve ser o time com mais centroavantes do Brasil e só joga na defensiva. Por esse estilo covarde de ser, Cuca, que estava na lista de meus preferidos do Brasileirão, perdeu pontos após a partida contra o Vasco. Meu Deus, como seu time bateu! E ainda teve gente reclamando da expulsão!!! E outra coisa, me incomoda ver o Daniel Alves vestindo a 10 do São Paulo. Em nome da tradição do clube deveria ter negado, mas vaidade é vaidade! Se bem que a camisa 10 deveria ser retirada do mercado enquanto continuássemos jogando esse futebolzinho.

Pelo menos tivemos a chance de ver o golaço de Arrascaeta, que amargou o banco de reservas durante um período, vai entender. Gostei que o Roger venceu mais uma com o seu Bahia gostoso de ver jogar.

Mas alguém assistiu Avaí x Corinthians e CSA x Cruzeiro? Deveriam devolver o dinheiro aos torcedores. O Luxa vem apostando na dupla de ataque Talles Magno e Marrony e torço para que insista com ela, pois esses dois meninos terão um futuro brilhante. Vendo o Talles lembrei de minha estreia contra o América, também menino, mas com muita personalidade.

A rodada terminou com o meu Botafogo x Chapecoense. A comentarista disse que esperava um grande jogo, Kkkk, deve estar de brincadeira! Para piorar, Barroca disse que lançaria Rodrigo Pimpão porque ele “joga com a perna invertida”, Kkkkkk, peraí “jogar invertido” eu lembro no jogo do bicho, e costumava dar burro, Kkkk!!!

O problema é que vários jornalistas estão fazendo esse curso para treinador e todos ficam com a mesma “leitura de jogo”. Tanto que antes dormir, com dor no maxilar de tanto rir, ainda ouvi o repórter de campo explicando a razão de o Botafogo ter empatado: “o time deveria ter agredido o último terço do campo....”. Antes de ele terminar a frase, desliguei a tevê, acariciei meu terço, rezei uma Ave-Maria e sonhei com João Saldanha.

Se bem que a camisa 10 deveria ser retirada do mercado enquanto continuássemos jogando esse futebolzinho.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget